Justiça Federal suspende nomeação do presidente da Fundação Palmares

Juiz federal alega que chefe da Fundação Palmares ‘ofende’ a população negra, a quem deveria defender. AGU afirma que estuda recurso para manter Sérgio Nascimento no cargo.

por  André Teixeira no G1 

O juiz Emanuel José Matias Guerra, da Justiça Federal do Ceará, aceitou um pedido de ação popular e determinou a suspensão da nomeação de Sérgio Nascimento de Camargo como presidente da Fundação Palmares.

A decisão suspende o ato do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, publicado no Diário Oficial da União em 27 de de novembro. A Fundação Palmares integra a Secretaria Especial da Cultura, o antigo Ministério da Cultura, e tem por objetivo promover políticas públicas em defesa da população negra.

Conforme o juiz da 18ª Vara Federal, no interior do Ceará, há “diversas publicações” feitas por Sérgio Nascimento que têm o “condão de ofender justamente o público que deve ser protegido pela Fundação Palmares”.

A Advocacia-Geral da União disse que ainda não foi notificada da decisão da Justiça Federal no Ceará. “Contudo, a instituição já estuda o recurso cabível que irá apresentar com vistas à manutenção do ato”, afirma a AGU, por meio de nota.

O advogado Hélio Costa, autor do pedido de suspensão da nomeação, afirmou que a presidência de Sérgio Nascimento na Fundação Palmares “contraria o interesse público e representa claro desvio de finalidade do ato administrativo”.

“Não podemos jamais permitir que a fundação sirva a interesses diversos completamente contrários aos objetivos para os quais foi criada. Portanto, a referida decisão representa uma vitória ao movimento negro e, a meu ver, deve ser mantida ao final do processo”, afirmou o advogado ao G1.

 

Declaração do novo presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Nascimento de Camargo, publicada em rede social — Foto: Reprodução

Em uma publicação feita em rede social antes de ser nomeado para o cargo, Sérgio Nascimento classificou o racismo no Brasil como “nutella”. “Racismo real existe nos Estados Unidos. A negrada daqui reclama porque é imbecil e desinformada pela esquerda.”

Sobre o Dia da Consciência Negra, Sérgio afirmou que o “feriado precisa ser abolido nacionalmente por decreto presidencial”.

Ele disse que a data “causa incalculáveis perdas à economia do país, em nome de um falso herói dos negros (Zumbi dos Palmares, que escravizava negros) e de uma agenda política que alimenta o revanchismo histórico e doutrina o negro no vitimismo”.

Reação de instituições

Representantes de movimentos negros reagiram às afirmações do jornalista Sérgio Nascimento, logo após a assinatura do ato, na semana passada.

“Ela [a Fundação Palmares] deveria agir pra defender a cultura afro-brasileira. E, infelizmente, esse senhor ele não veio pra gerir, ele veio pra função de desconstruir todo o legado que vários negros e negras construíram”, disse Claudia Vitalino, presidente da Unegro, após a nomeação de Sérgio para o cargo.

“O movimento negro, ele surge no primeiro negro que foge da senzala. No primeiro negro que se volta contra a escravidão. Aqui, surge o movimento negro. Então, o movimento negro vem lá da época de Zumbi, das Dandaras. Não tem nada a ver com esquerda ou direita”, acrescentou Silvio Henrique, do Conselho da Igualdade Racial.

+ sobre o tema

Pin-up Negra: Histórias e Tendências

O estilo pin-up surgiu no início do século XX...

Cartola e Leci Brandão – Programa Ensaio 1974

Gravado em 1974, o programa traz Cartola e Leci...

‘Eu me comporto igual no ar e fora do ar’, diz Maria Júlia Coutinho

Apesar de ter entrado no horário nobre há algumas...

para lembrar

A Arte de Governar a Si Mesmo: uma caravana pelo interior

Com o apoio da Lei Aldir Blanc, através do...

Conversas desconfortáveis com um homem negro

A pauta antirracista é hoje mundialmente tão importante quanto...

Espetáculo ‘Dandara na Terra dos Palmares’ estende temporada no Teatro Sesi Rio Vermelho

Com as sessões esgotadas desde a estreia, “Dandara na...
spot_imgspot_img

Coletivo Kukuru Itan realiza oficina gratuita de teatro de Nanã para idosos durante o mês de junho

Com a missão de valorizar a identificação de idosos racializados, sobretudo negros, o Coletivo Kukuru Itan criou a oficina de teatro de Nanã, que acontece durante o mês...

Graciela Soares se inspira na obra de Carolina Maria de Jesus para o lançamento de single inédito

A partir do 7 de junho, a cantora e compositora Graciela Soares apresenta nas principais plataformas de áudio o seu primeiro single autoral Despejo, confira o link do...

‘Está começando a segunda parte do inferno’, diz líder quilombola do RS

"Está começando a segunda parte do inferno", com esta frase, Jamaica Machado, líder do Quilombo dos Machado, de Porto Alegre, resumiu, com certo desânimo, a nova...
-+=