Kofi Annan, Nobel da Paz e ex-secretário geral da ONU, morre aos 80 anos

Enviado por / FonteDo UOL

O ex-secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas) e prêmio Nobel da Paz Kofi Annan morreu aos 80 anos na manhã deste sábado (18). As causas da morte ainda são desconhecidas. A família do diplomata publicou uma nota dizendo apenas que ele morreu em paz “após uma breve doença”.

“Com imensa tristeza a família Annan e a Fundação Kofi Annan anunciam que Kofi Annan, ex-secretário-geral das Nações Unidas e prêmio Nobel da Paz, morreu em paz no sábado 18 de agosto depois de uma breve doença. Sua mulher Nane e seus filhos Ama, Kojo e Nina estavam ao seu lado nos últimos dias”, informou um comunicado publicado nas redes sócias de Anna e da fundação que leva seu nome.

No texto, a família pediu “privacidade neste momento de luto”.

A Organização Internacional para as Migrações (OIM), agência da ONU, também divulgou a notícia e lamentou “a perda de um grande homem, um líder e um visionário”. “Uma vida bem vivida, uma vida que merece ser celebrada”, acrescentou a instituição em sua conta do Twitter.

Annan se manteve em atividade até os seus últimos dias, liderando a delegação da ONG The Elders (Os anciãos, em português), fundada pelo líder sul-africano Nelson Mandela (1918-2013), e da qual faz parte o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

(Image: AFP)

Quem foi Kofi Annan?

Primeiro líder negro da ONU, Annan entrou na organização em 1962 e foi ascendendo nas fileiras da organização até chegar à Secretaria-Geral em 1997, função que desempenhou até 2006.

O mandato de Annan como secretário-geral da ONU coincidiu com a Guerra do Iraque e a pandemia do HIV/Aids. Nesse contexto, ele e as Nações Unidas receberam o Prêmio Nobel da Paz de 2001 pela criação do Fundo Global de Luta contra Aids, Tuberculose e Malária para ajudar países em desenvolvimento.

Após esse período, ele serviu como enviado especial da ONU para a Síria por volta de 2012, liderando os esforços para encontrar uma solução pacífica para o conflito.

No comunicado sobre sua morte, a Fundação Kofi Annan descreveu-o como um “estadista global e internacionalista profundamente comprometido, que lutou ao longo de sua vida por um mundo mais justo e mais pacífico”.

“Onde quer que houvesse sofrimento ou necessidade, ele estendeu a mão e tocou muitas pessoas com sua profunda compaixão e empatia. Ele desinteressadamente colocou os outros em primeiro lugar, irradiando bondade genuína, calor e brilho em tudo o que ele fez”, diz a nota

+ sobre o tema

Baú de Miudezas, Sol e Chuva: o lirismo em pequenas doses. – Cidinha da Silva

Release do livro novo de cidinha da silva A prosadora,...

Coronavírus avança 250% em três meses na Terra Yanomami e relatório cita ‘total descontrole’

Relatório inédito produzido por uma rede de pesquisadores e...

Pesquisa: grupos étnicos têm diferentes hábitos de sono

Em maioria, os afro-americanos gostam de rezar antes de...

para lembrar

Suicídio entre índios é recorde

Uma morte a cada três dias. Esse é o...

7 clichês contra Direitos Humanos desconstruídos por colunistas do Justificando

Essa semana foi divulgada pelo Datafolha uma pesquisa indicando...

Olimpíadas se aproximam e remoções continuam

A pouco meses das Olimpíadas, as remoções aparecem entre...

JUSTiça!

Por: Luis Emmanuel Barbosa da Cunha   21...
spot_imgspot_img

Ministério da Igualdade Racial lidera ações do governo brasileiro no Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU

Ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, está na 3a sessão do Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU em Genebra, na Suíça, com três principais missões: avançar nos debates...

Conselho de direitos humanos aciona ONU por aumento de movimentos neonazistas no Brasil

O Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), órgão vinculado ao Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, acionou a ONU (Organização das Nações Unidas) para fazer um alerta...

Ministério lança edital para fortalecer casas de acolhimento LGBTQIA+

Edital lançado dia 18 de março pretende fortalecer as casas de acolhimento para pessoas LGBTQIA+ da sociedade civil. O processo seletivo, que segue até...
-+=