Maceió é a capital mais violenta para jovens. São Paulo está em último, diz pesquisa

Fonte: Veja –

 

A capital brasileira mais violenta para os jovens é Maceió (AL), aponta o Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência (IVJV), lançado nesta terça-feira pelo Ministério da Justiça e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. São Paulo aparece em último lugar entre as capitais, e o Rio de Janeiro ocupa a 8ª posição.

 

O IVJV é um indicador que mede os locais onde os jovens do Brasil estão mais vulneráveis à violência, levando em consideração fatores como taxa de homicídios, mortes no trânsito, indicadores de pobreza e desigualdade. A pesquisa analisou a população na faixa dos 12 aos 29 anos, em 266 cidades com mais de 100 mil habitantes.

 

No ranking geral, a cidade mais violenta é Itabuna, no sul da Bahia, seguida por Marabá (PA) e Foz do Iguaçu (PR). Completam as cinco primeiras posições, Camaçari (BA) e Governador Valadares (MG), com índices considerados muito altos. Entre as consideradas mais seguras para os jovens, São Carlos, no interior paulista, foi a que registrou o IVJV menor. Depois, as menos violentas são São Caetano do Sul (SP), Franca (SP), Juiz de Fora (MG) e Poços de Caldas (MG).

 

“Pelo dados, a questão exposição é mais aguda no Nordeste e no Norte, mas o problema está no Brasil inteiro. Nossa abordagem é que a vulnerabilidade não é só violência e crime, mas também fatores como acesso à escola, pobreza e acidentes de trânsito. O cenário é complexo, e as autoridades precisam entendê-lo para traçar as políticas públicas”, afirmou Renato Sérgio de Lima, secretário-geral do Fórum Brasileiro de Segurança.

 

Morte precoce – O estudo também mostrou que jovens com idade entre 19 e 24 anos são os que têm as maiores chances de morrer vitimados pela violência no Brasil. O IVJV calcula que uma média de cinco pessoas nesta faixa etária devem morrer em cada município brasileiro. Em seguida, os mais suscetíveis são os de 25 a 29 anos (3,73 por cidade) e, depois, de 12 a 18 anos (2,38).

 

Também foi traçado o perfil dos grupos expostos à violência. Os mais vulneráveis são homens, com mais de 19 anos, declarados negros ou pardos. O risco é menor, de acordo com o levantamento, para mulheres, com idade entre 12 e 18 anos.

 

Na faixa etária de 12 a 18 anos, a estimativa é de que 2,38 adolescentes morram antes dos 18 anos. Já entre adultos de 25 a 29 anos, a previsão é de que, em média, 3,73 jovens morram antes de chegar aos 29 anos.

 

“O resultado é comovente. Demonstra que o caminho de construção das políticas para Segurança Pública deve ser por outro paradigma”, disse o ministro da Justiça, Tarso Genro, em coletiva de imprensa sobre a pesquisa.

 

Confira as posições das capitais no ranking nacional:

Capital Posição
Maceio (AL) 13º
Porto Velho (RO) 19º
Recife (PE) 22º
Belém (PA) 34º
Macapá (AP) 40º
Teresina (PI) 43º
Manaus (AM) 59º
Rio de Janeiro (RJ) 64º
Cuiabá (MT) 66º
São Luís (MA) 67º
Fortaleza (CE) 68º
Salvador (BA) 84º
João Pessoa (PB) 89º
Rio Branco (AC) 96º
Aracaju (SE) 103º
Boa Vista (RR) 104º
Belo Horizonte (MG) 105º
Vitória (ES) 107º
Palmas (TO) 111º
Curitiba (PR) 120º
Campo Grande (MS) 148º
Natal (RN) 152º
Florianópolis (SC) 157º
Porto Alegre (RS) 161º
Goiânia (GO) 163º
Brasília (DF) 172º
São Paulo (SP) 192º

Matéria original

 

+ sobre o tema

Governo, organizações e quilombolas se unem em defesa do Decreto n°4887/2003

Por Daiane Souza Quilombolas, órgãos públicos e instituições de todo...

Quilombolas deixam sede do Incra após passarem noite no local

Órgão se comprometeu a retomar diálogo sobre desapropriações no...

Seminário Educação 2011 marca o Ano Internacional do Afrodescendente

Evento com quase 3 mil inscritos vai até quarta-feira...

Consciência Negra programação Mato Grosso do Sul 2011

05/11 Feira da Agricultura Familiar de Furnas dos...

para lembrar

spot_imgspot_img

João Cândido e o silêncio da escola

João Cândido, o Almirante Negro, é um herói brasileiro. Nasceu no dia 24 de junho de 1880, Encruzilhada do Sul, Rio Grande do Sul....

Levantamento mostra que menos de 10% dos monumentos no Rio retratam pessoas negras

A escravidão foi abolida há 135 anos, mas seus efeitos ainda podem ser notados em um simples passeio pela cidade. Ajudam a explicar, por...

Racismo ainda marca vida de brasileiros

Uma mãe é questionada por uma criança por ser branca e ter um filho negro. Por conta da cor da pele, um homem foi...
-+=