Margareth Menezes se manifesta após ter nome citado em fala racista de comentarista

Enviado por / FonteHypeness

Citada em comentários preconceituosos por comentaristas do site MyCujoo, a cantora Margareth Menezes se pronunciou por meio de nota repudiando a atitude da equipe. Aconteceu na tarde do domingo (25), durante a transmissão do jogo Bahia x Napoli, válido pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro feminino.

Edson Florão usou o termo “cabelos exóticos” para se referir aos cabelos crespos das jogadoras, que em sua maioria são negras. “O Bahia, que está aí com a sua vantagem de estatura, com esses cabelos exóticos. Pelo menos meia dúzia (das jogadoras). A Nine (lateral direita) tem o cabelo mais exótico, me parece, dessa equipe do Bahia”.

Narrador da partida, Paulo Cesar Ferrarin citou o nome da cantora Margareth Menezes para complementar o comentário racista. “Verdade. Eu até ‘tava’ brincando com esses cabelos. Parece a Margareth Menezes (cantora), lá da Bahia”.

Chamar cabelos crespos de “exóticos” em um país de maioria negra é, no mínimo, ultrapassado e preconceituoso. Por isso, a cantora não deixou barato. “O fatídico episódio de hoje, durante o jogo Napoli x Bahia, em que comentários preconceituosos foram direcionados às atletas e à artista Margareth Menezes, é algo que não pode ocorrer”, disse a equipe de Maga em seu perfil oficial no Instagram.

Já a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), provocada por usuários do Twitter, emitiu uma nota oficial na noite deste domingo (25) também repudiando o ocorrido.

“Durante a partida Napoli x Bahia, pelo Brasileiro Feminino A-1, a equipe de transmissão do MyCujoo fez comentários preconceituosos direcionados a atletas do Bahia. A CBF lamenta profundamente o ocorrido e informa que solicitou ao MyCujoo que os profissionais fossem afastados imediatamente das transmissões, o que foi prontamente atendido pela plataforma. Não podemos admitir que o futebol seja palco para esse tipo de comportamento”, ressaltou a entidada máxima do futebol brasileiro.

Confira o momento em que o comentário preconceituoso foi feito:

Os pronunciamentos de Margareth Menezes:

O Bahia está disputando pela primeira vez a Série A-1 do Brasileirão Feminino, a elite da modalidade no país. As Mulheres de Aço estão em 10º lugar com dois pontos conquistados em três partidas. Na quarta-feira (28), elas enfrentam a equipe da Ferroviária, em Pituaçu, pela quarta rodada. O Bahia empatou por 2×2 na partida marcada por mais um caso de racismo.

+ sobre o tema

Mercado imobiliário dos EUA revela piora na desigualdade racial em uma década; entenda

Sharan White-Jenkins é uma mulher negra, proprietária de um...

Literatura africana em sala de aula: uma proposta didática

A relação entre história e literatura vem de longa...

Leci Brandão sai em defesa da Vai-Vai: ‘Nenhuma instituição está acima da crítica’

'A crítica social é necessária na medida em que...

Nota de esclarecimento GRCSES VAI-VAI

Em 2024, a escola de samba Vai-Vai levou para...

para lembrar

‘Projeto Querino’ é um podcast que narra a luta negra sem romantismo

Se os livros de história narram a Independência do Brasil...

E se Roberto Jefferson fosse negro e pobre?

Em outubro celebramos os 200 anos da morte de...
spot_imgspot_img

Moção de solidariedade da UNEGRO ao Vai Vai 

A União de Negras e Negros Pela Igualdade (UNEGRO), entidade fundada em 1988, com  longa trajetória na luta contra o racismo e suas múltiplas...

Perfeição do racismo brasileiro transforma algoz em vítima

O racismo é um crime perfeito. É com essa frase que o antropólogo Kabanguele Munanga, uma das maiores autoridades do Brasil em estudos raciais, define...

Jornalista é vítima de injúria racial dentro de supermercado da Baixada Fluminense

O colunista Daniel Nascimento, do jornal O Dia, foi vítima de injúria racial em um supermercado de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, na última...
-+=