“Meu maior medo é que meu filho se transforme em outro Freddie Gray”

EL PAÍS conversa com Toya Graham, a mãe coragem de Baltimore

Do El Pais 

Toya Graham diz que se sente um pouco “esmagada” pela fama adquirida da noite para o dia. A noite de segunda-feira, concretamente. Foi quando começaram a circular as imagens em que essa mulher negra surgia furiosa em frente a um shopping center e começava a dar tapas no seu filho adolescente, Michael, até obrigá-lo a se afastar do grupo que deu início aos violentos distúrbios emBaltimore. Mas “a mãe do ano”, como foi chamada pela imprensa norte-americana, não se arrepende de ter exibido sua fúria para meio mundo.

“Eu só estava tentando tirar meu filho de todo esse caos e confusão. Meu maior medo é que ele se transforme em outro Freddie Gray”, conta. Gray era o jovem negro de 25 anos cuja morte sob custódia policial desatou a onda de protestos em Baltimore, a qual levou que o estado decretasse emergência e toque de recolher nessa cidade, a menos de uma hora de viagem da capital dos EUA. “Então me enfureci, mas porque tinha medo. Ele sabe muito bem o que está acontecendo e não deveria ter participado disso”.

Continue lendo aqui 

 

Leia Também:

Beyoncé se manifesta sobre protestos em Baltimore

+ sobre o tema

Racismo no Banco do BRasil

"Fui vítima de uma atitude racista e constrangedora no...

Passeata marca um ano da morte de George Floyd em Minneapolis, nos EUA

Familiares de George Floyd e cidadãos de Minneapolis organizaram...

Juíza diz que anúncio de alisamento reproduz racismo e manda tirá-lo do ar

A Justiça de São Paulo determinou a retirada de vídeos...

para lembrar

Poesias das quebradas de Salvador vão ser publicadas em livro

A obra “Poéticas periféricas: novas vozes da poesia soteropolitana”...

Um andar abaixo

Seis meses depois da operação policial mais letal da...
spot_imgspot_img

Fifa apresenta pacote de medidas contra o racismo no esporte

A Federação Internacional de Futebol apresentou um pacote de medidas contra o racismo no esporte. O mundo do futebol está reunido em Bangkok, na Tailândia, onde...

Tragédia no Sul é ambiental, mas sobretudo política

Até onde a vista alcança, o Rio Grande do Sul é dor, destruição. E vontade de recomeçar. A tragédia socioclimática que engolfou o estado, além da...

Para os filhos que ficam

Os seus pais vão morrer. É ainda mais difícil se dar conta disso depois de um Dia das Mães, como foi o último domingo....
-+=