Morre autor sul-africano antiapartheid Andre Brink, aos 79 anos

JOHANESBURGO (Reuters) – O escritor sul-africano antiapartheid Andre Brink morreu na sexta-feira, aos 79 anos, vítima de um coágulo sanguíneo, durante um voo para a Cidade do Cabo de uma universidade belga onde recebeu um doutorado honorário, informou a imprensa local.

Por Joe Brock, do DCI 

Brink, que escreveu em inglês e africânder, era um líder dos Sestigers, grupo de escritores influentes dos anos 1960 que eram contra o regime do apartheid.

O romance de 1973 de Brink “Kennis van die aand” foi o primeiro livro escrito em africânder a ser banido pela minoria branca que governava a África do Sul. Foi posteriormente publicado em inglês ao redor do mundo com o título “Lookin on Darkness” (Olhando a escuridão).

“A Dry White Season” (Uma temporada seca e branca, 1979), talvez o romance mais famoso de Brink, era focado na morte de um ativista negro na prisão e foi posteriormente adaptado em um filme de Hollywood no qual estrelaram Marlon Brando e Donald Sutherland.

“É com grande tristeza que perdemos uma das nossas mais brilhantes estrelas literárias”, disse Etienne Bloemhof, um dos editores de Brink, à rádio 702 Talk Radio.

A coleção de 1998 de Brink sobre a política da África do Sul, “Reinventing a Continent”, tinha um prefácio do herói antiapartheid Nelson Mandela, que se tornou o primeiro presidente negro da África do Sul depois do fim do regime da minoria branca em 1994.

Seu último romance “Philida”, uma história sobre a escravidão na África do Sul em 1830, foi listado para o prêmio Man Booker.

Brink, que também era um dramaturgo e acadêmico, era professor de inglês na Universidade da Cidade do Cabo.

+ sobre o tema

VIDA DE REI

Pelé vai lançar um livro contando sua história, em...

Bolt é superado por Gay e perde invencibilidade

Bolt foi derrotado pela primeira...

Alemães e sul-africanos passam experiências da Copa a Cuiabá

Cuiabá recebe, nesta quinta-feira (23), profissionais diretamente ligados...

para lembrar

“Brasil vive apartheid e culpam as drogas”, diz Carl Hart

Primeiro neurocientista negro a se tornar professor titular da...

Noites das lágrimas em África uma conversa com o escritor Marcelo Aratum

Para falar da minha experiência é nada mais que...

Noites das lágrimas em África uma conversa com o escritor Marcelo Aratum

Para falar da minha experiência é nada mais que...
spot_imgspot_img

Literatura africana em sala de aula: uma proposta didática

A relação entre história e literatura vem de longa data. A narrativa literária é considerada uma das fontes de produção do conhecimento histórico sobre...

Copa Africana de Nações: África do Sul e Costa do Marfim avançam às semifinais

Nigéria e África do Sul, Congo contra Costa do Marfim. Essas serão as semifinais da Copa Africana de Nações, após os resultados das partidas deste...

A África do Sul tem razão

O fato de o Hamas ter cometido crimes brutais —o sequestro de civis israelenses, ainda em curso, é um deles— não exime Israel de prevenir genocídio, tampouco autoriza...
-+=