MPF denuncia cantora gospel Ana Paula Valadão por fala ligando gays a Aids

Enviado por / FonteUOL

O Ministério Público Federal (MPF) enviou à Justiça uma denúncia contra a pastora e cantora gospel Ana Paula Valadão por falas consideradas homofóbicas, onde ela relacionava homens gays a Aids. O MPF pede que a cantora seja responsabilizada por dano moral coletivo no valor de R$ 200 mil, que serão revertidos a entidades que representam pessoas LGBTQI+.

A fala foi feita durante o Congresso Diante do Trono, transmitido pela Rede Super de Televisão, no ano de 2016.

Muita gente acha que isso é normal. Isso não é normal. Deus criou o homem e a mulher e é assim que nós cremos. Qualquer outra opção sexual é uma escolha do livre arbítrio do ser humano. E qualquer escolha leva a consequências. A Bíblia chama de qualquer escolha contrária ao que Deus determinou como ideal, como ele nos criou para ser, chama de pecado. E o pecado tem uma consequência que é a morte. Inclusive, tudo que é distorcido traz consequência naturalmente; nem é Deus trazendo uma praga ou um Juízo, não. Taí a Aids para mostrar que a união sexual entre dois homens causa uma enfermidade que leva à morte, contamina as mulheres, enfim… Não é o ideal de Deus.

A investigação do MPF teve início após a fala da pastora viralizar nas redes sociais, em dezembro do ano passado. De acordo com o inquérito, a pastora e a emissora devem ser responsabilizadas.

“Responsabilizar ‘os homens que fazem sexo com homens’ pelo surgimento e propagação da Aids reforça o tom hostil e preconceituoso da fala, desrespeitando direitos fundamentais decorrentes da dignidade da pessoa humana dessa coletividade. A soma de todos esses elementos evidencia a inegável ocorrência de discurso de ódio”, diz trecho da ação.

No decorrer da investigação, o Ministério Público ouviu a emissora e Ana Paula. Os dois acusados sustentam que o discurso está respaldado pelo argumento da liberdade religiosa. A defesa da pastora reforçou que o discurso foi direcionado para um público específico.

“Nunca quis ofender quem quer que seja, e que suas palavras foram muito mal interpretadas, destacando-se que estas foram proferidas integralmente em um contexto religioso, durante um Culto a Deus, para público determinado, onde a transmissão se deu por um canal igualmente para um público de fiéis, e que em momento algum se pronunciou de forma contrária a legislação vigente”, afirma a defesa no inquérito do MPF.

Além da punição à Ana Paula, o Ministério Público também pede que a Rede Super pague R$ 2 milhões por danos morais coletivos. Além disso, o órgão solicita à Justiça para que emissora e cantora gospel arquem com “custos econômicos da produção e divulgação de contranarrativas ao discurso do ódio praticado, em vídeo e sítio eletrônico, com a efetiva participação de entidades representativas de pessoas LGBTQIA+ bem como de pessoas que convivem com o HIV”.

O UOL tentou contato com a produtora e Diante do Trono e a a Rede Super, mas não obteve retorno até o fechamento desta reportagem.

Leia também:

Santa Inquisição: Ana Paula Valadão pede boicote à C&A em textão cheio de preconceitos no Facebook

A pastora Ana Paula Valadão, muito louca, profetiza a chegada da hora da igreja na política

Ana Paula Valadão pede perdão por comentário sobre gordos

+ sobre o tema

Atleta da marcha sofre com ofensas homofóbicas diárias nos treinamentos

O xingamento ecoou pelas arborizadas ruas de Sobradinho, cidade...

Ativistas LGBT fazem campanha de boicote contra “Stonewall”, o filme

O longa de Roland Emmerich sobre a revolta que...

Na Rússia, “sair do armário” pode virar crime sob pena de multa ou até prisão

Se for aprovada, declaração pública sobre sexualidade homoafetiva poderá...

Maquiadora é barrada em clinica de depilação ao ser confundida com homem homossexual

A maquiadora Jake Falchi passou por uma situação humilhante e...

para lembrar

Casos de racismo, sexismo e homofobia chegam a 331 durante o Carnaval de Salvador

Segundo relatório parcial do Observatório da Discriminação Racial, foram...

As ameaças da Irmandade Homofóbica no Piauí

Grupo denominado Irmandade Homofóbica espalha ódio em redes sociais...

Maré se levanta contra preconceito aos LGBTs

No último 7 de setembro cerca de dez mil...

Professor da UFMA acusa alunos de homofobia

Glécio Machado Siqueira, de 36 anos, é  professor do...
spot_imgspot_img

Homofobia em padaria: Polícia investiga preconceito ocorrido no centro de São Paulo

Nas redes sociais, viralizou um vídeo que registra uma confusão em uma padaria, no centro de São Paulo. Uma mulher grita ofensas homofóbicas e...

ONG contabiliza 257 mortes violentas de LGBTQIA+ em 2023

Em todo o ano passado, 257 pessoas LGBTQIA+ tiveram morte violenta no Brasil. Isso significa que, a cada 34 horas, uma pessoa LGBTQIA+ perdeu...

Justiça manda Governo do RJ pagar R$ 80 mil a Cacau Protásio por ataques em gravação em quartel dos bombeiros

A Justiça do Rio de Janeiro determinou, em segunda instância, que a atriz Cacau Protásio seja indenizada em R$ 80 mil por ataques e...
-+=