Mulheres têm cada vez menos filhos e escolhem pela maternidade tardia, aponta IBGE

Pesquisa divulgada nesta quarta-feira (31) aponta que houve aumento de nascimentos no grupo de mulheres com mais de 30 anos.

Por Andréa Martinelli, do HuffPost Brasil

As mulheres brasileiras têm cada vez menos filhos e escolhem cada vez mais pela maternidade tardia, entre os 30 e 39 anos. Este é um dos dados apontados pela pesquisa “Estatísticas do Registro Civil 2017”, divulgada nesta quarta-feira (31), pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Estatística), que confirma uma constante na sociedade brasileira. Desde 2013, o instituto aponta que, a cada ano, cresce o número de mulheres que contemplam este perfil no País.

O total de nascimentos cujas mães possuíam menos de 30 anos caiu de 74,3% para 64,9%, entre 2016 e 2017. Segundo a pesquisa, a taxa de fecundidade entre as mulheres mais jovens vem caindo expressivamente nos últimos 10 anos. Entre 2007 e 2017, a proporção dos filhos de mães que tinham até 19 anos de idade passou de 20,22%, em 2007, para 15,95%, em 2017.

REPRODUÇÃO/IBGE
Gráfico do IBGE mostra a proporção de nascimentos segundo a idade da mãe, comparando os anos de 2007 e 2017.

No mesmo período analisado, o grupo de mulheres que deram à luz entre 20 a 29 anos diminuíram. De 54,1%, abaixou para 48,98%. Já no grupo de mulheres de 30 a 39 anos, houve crescimento. Antes somavam-se 23,4% e, com os dados atuais, contabilizam-se 32,2%. Na faixa de mulheres com 40 anos ou mais, o percentual de nascimentos avançou de 2,2% para 2,9%.

Este dado é uma crescente na sociedade brasileira. Em 2005 a mesma pesquisa apontou que 30,9% das mulheres que deram à luz no Brasil tinham entre 20 e 24 anos. Já em 2015, dez anos depois, o percentual nessa faixa etária caiu para 25,1%.

Além disso, foi observado um aumento de nascimentos entre mães na faixa etária dos 30 anos. De 22,5%, em 2005, para 30,8%, em 2015. No grupo de mães de 15 a 19 anos, o percentual de nascimentos caiu de 20,3%, em 2005, para 17%, em 2015.

O número de nascimentos cresceu no Brasil

@BRIT/Nappy

Dados analisados pela pesquisa também apontam que o número total de nascimentos cresceu 2,6% em 2017. A pesquisa aponta que esse dado recupera parte da queda registrada em 2016, embora ainda seja menor que os números de 2015 e 2014. A pesquisa aponta que a redução dos chamados “registros tardios” foi a responsável por esse aumento. Estes registros são efetuados em anos posteriores ao do nascimento, que representaram 2,7% em 2017 contra 3,5% em 2016.

+ sobre o tema

Feministas indicam desafios para avanço das políticas para as mulheres

Em reunião com a ministra da Secretaria de Políticas...

Graciliana Selestino Wakanã: ‘O que a gente quer é viver bem’

Graciliana Selestino Wakanã, do povo Xucuru Kariri, fala sobre...

Vozes femininas disputam espaço na Rio+20

"Se alguém acha que somos invisíveis, está na hora...

Agressor de mulher terá que pagar gastos do INSS

Medida começará por Espírito Santo e Brasília, mas deve...

para lembrar

Homens e mulheres concordam: o preconceito de gênero interfere no salário

De 13 perguntas da pesquisa Mitos & Verdades, feita...

Mulher Negra Brasileira Um Retrato – Rebecca Reichmann

A opinião publica brasileira raramente reconhece ou critica os...

Diálogos Feministas: Análise de conjuntura e desafios para a defesa da democracia

Esta publicação traz uma síntese do debate realizado: uma...

Thorning-Schmidt é nomeada primeira-ministra da Dinamarca

A líder dos social-democratas dinamarqueses, Helle Thorning-Schmidt, foi oficialmente...
spot_imgspot_img

Estudo mostra o impacto do fator racial materno no desenvolvimento infantil

O ganho de peso e o crescimento dos filhos está diretamente relacionado ao fator etnorracial das mães. Isso é o que mostra uma pesquisa desenvolvida pelo Centro de Integração de Dados...

‘Meu filho é órfão de mãe viva’: veja relatos de 5 mulheres acusadas de alienação parental após denunciar homens por violência ou abuso

Cristiane foi obrigada a ficar sem contato com a filha e entregá-la ao pai por 90 dias. Isabela* foi ameaçada pelo companheiro. Jéssica* e...

Abrir mão da maternidade pode ser ponto de partida para sonhos e ambições

Ao passar dos 35 anos, a babá Anailda Santos, 41, começou a questionar se ainda poderia ter filhos, e, aos 39, percebeu que não era...
-+=