Na Flip, um Casarão para Ruth Guimarães

Ponto alto da homenagem do Instituto Silo Cultural é uma roda de conversa sobre a literatura da escritora, com presença de Lázaro Ramos

Por Silo Cultural No Negro Belchior

A escritora Ruth Guimarães, falecida em 2014, ocupou a cadeira número 22 da Academia Paulista de Letras. Produziu romances celebrados pela crítica, pesquisas folclóricas e traduções do francês e do latim. Foi aluna de Mário de Andrade e amiga de grandes escritores como Guimarães Rosa, Jorge Amado, Antonio Candido e muitos outros.A iniciativa da homenagem é do Instituto Silo Cultural, cuja sede receberá, durante a Flip – Festa Literária Internacional de Paraty, a denominação de “Casa Ruth Guimarães”.

Os idealizadores do evento são Luís Perequê, compositor, cantor e produtor cultural nascido em Paraty, e a esposa, a coreógrafa Vanda Mota. O casal criou o Instituto Silo Cultural em 2001, e lá realiza atividades de resgate e de incentivo à preservação da cultura caiçara. Ambos tiveram acesso a um texto de Ruth Guimarães e a paixão foi instantânea.

A “Casa Ruth Guimarães” será aberta no dia 27 de julho, com entrada livre. Na programação, além de exposição da coleção completa dos 45 livros publicados pela autora, serão exibidos vídeos e áudios, fotos e trechos de alguns de seus trabalhos. Uma roda de conversa, com a presença do ator Lázaro Ramos, está programada para o dia 28 de julho. Para compor a mesa, foram convidados o sociólogo José de Souza Martins e o educador Severino Antonio. A mediação ficará a cargo de Joaquim Maria Botelho, jornalista, escritor e filho da homenageada.

Lázaro Ramos, com seu novo livro

Comum de dois

A homenagem faz parte do projeto do Instituto Silo Cultural “Assim na Serra como no Mar”, que reúne uma intelectual de alma caipira e elementos da cultura caiçara.

O caipira e o caiçara são portadores de traços culturais similares, que Ruth Guimarães, entre outros pesquisadores e folcloristas, observou e registrou em vários dos seus escritos.

Por isso a casa que leva o nome da escritora exibirá manifestações tradicionais dessas duas culturas do Sudeste brasileiro. Representarão os caiçaras, na Casa Ruth Guimarães, artistas e escritores de Ubatuba.

A programação oficial está em fase de confirmação e será definida nos próximos dias, mas já estão previstas apresentações de teatro, música e dança.

 

Família unida

Os quatro filhos da escritora foram convidados pelo Instituto Silo Cultural para atuarem na organização do evento. A curadoria é de Joaquim Maria Botelho. A coordenação da exposição é de Júnia Botelho, tradutora e escritora. Marcos Botelho, que não mergulhou na área da literatura mas é experiente produtor cultural, integra a equipe de apoio. E Olavo Botelho expõe fotos que fez sobre temas abordados nas obras de Ruth Guimarães. As demais fotos são do fotógrafo Botelho Netto, marido de Ruth.

No espaço “Casa Ruth Guimarães” há também uma livraria e café. Um ambiente ensolarado para falar de literatura. Paraty é uma festa.

 

Programação

Em breve aguarde e acompanhe aqui e na página do Facebook do Silo Cultural, a programação completa da Casa Ruth Guimarães, que irá contar com exibição de documentários, roda de conversa com escritores de Ubatuba e apresentações culturais.

+ sobre o tema

Internado em Belém, Jorge Aragão divulga vídeo e agradece pelas orações

O cantor Jorge Aragão divulgou vídeo em suas redes...

Manifesto Crespo: tecendo arte e história nos cabelos

Afinal, existe cabelo ruim? Vez ou outra os negros...

Pílula de cultura encerra semana da consciência negra

Festa PÉ NA AFRICA fecha a Semana da Consciência...

Palavras de origem africana no vocabulário brasileiro

Afora o Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Guiné-Equatorial,...

para lembrar

Festival Visões Periféricas anuncia filmes selecionados 

O FESTIVAL VISÕES PERIFÉRICAS confirma a realização da 17ª edição, de 20...

Caixa Econômica Federal se defende por mostrar Machado de Assis branco

Está no ar a campanha comemorativa pelos 150 anos...

José Sabóia

José Sabóia do Nascimento (Almadina BA 1949) {gallery}artes/saboia{/gallery}...

21 coisas que só nerds negros vão entender

1 – Tentar conciliar duas culturas muito distintas. O...
spot_imgspot_img

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...
-+=