Guest Post »
Lázaro Ramos lança livro em que aborda o racismo

Lázaro Ramos lança livro em que aborda o racismo

Autor de três livros dirigidos ao público infantil (Paparutas, A Velha Sentada e Caderno de Rimas do João), o ator, diretor, roteirista, escritor e dramaturgo Lázaro Ramos, lança nesta sábado, 1º, em Salvador o seu primeiro livro que é dirigido ao público adulto.

por Eduarda Uzêda no A Tarde

Trata-se de Na Minha Pele (selo Objetiva, da Companhia das Letras) que reflete sobre racismo e compartilha experiências pessoais do ator premiado, 38 anos, destaque no teatro, cinema e televisão, inclusive com reconhecimento em vários países

A publicação, que ganhou destaque na imprensa do país, terá lançamento às 15 horas, na Livraria Saraiva do Shopping Barra, com algumas regras para a participação no evento.

Dez anos de maturação

Mas falemos da atual publicação. O autor conta que o projeto do livro surgiu em 2007, mas foram necessários dez anos para que se concretizasse.

“Quando comecei a escrever busquei dados do Ipeia (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), mas o livro se mostrava pretensioso. Demorei tempo para encontrar a minha voz, que alia falas bem humoradas a discurso mais contundente”, diz.

“O livro propõe uma conversa. Quero que as pessoas se sintam acolhidas. Não é para afastar e sim aproximar”, complementa Lázaro, que estabelece um diálogo franco com o leitor.

Várias vozes

A obra é recheada de citações. Lázaro explica no início de Na Minha Pele: “Estas páginas foram elaboradas por várias vozes. É uma narrativa capitaneada por mim, mas que conta com a contribuição de uma série de personagens – alguns famosos e muitos anônimos –, que se reúnem aqui para construir um caudaloso fluxo de informações, sentimentos e reflexões”.

Pluralidade cultural, racial, étnica e social, formação de identidades, ações afirmativas, gênero, entre outros, são alguns dos temas abordados no livro. O escritor, de maneira simples e que passa muita verdade, ao mesmo tempo que não se furta a falar de temas incômodos, conduz ao leitor a diversos fatos de sua vida.

Entre eles, a infância na Ilha do Paty, na Bahia, a dor pela morte precoce de sua mãe, Célia Maria do Sacramento, aos 44 anos, a relação com Dindinha (tia-avó de seu pai) e a adolescência no bairro do Garcia, em Salvador.

Não ficam de foram a sua trajetória no Bando de Teatro Olodum, a atuação na peça da peça A Máquina, onde alcançou de visibilidade nacional, a rica experiência com o programa Espelho, do Canal Brasil, a recusa de alguns papéis, a relação com a esposa, a atriz Taís Araújo, e com filhos, “meus pequenos gigantes, João Vicente e Maria Antônia”, a quem dedica a obra.

Novidades

Lázaro Ramos, que afirma que o momento mais difícil do livro foi falar sobre raiva, ”porque fala de momentos de dor”, anuncia outras novidades.

“Dois textos meus serão montados no teatro baiano por Débora Landim e Cassia Vale. Trata-se da junção do Livro Cadernos de Rima do João (já lançado) com Cadernos de Rima da Maria (sem previsão de lançamento)”.

Ele também anuncia novo texto, O Coelho Gusmão, para o Bando de Teatro Olodum, que será uma homenagem ao ator baiano Mário Gusmão.

Related posts