Número de mulheres pré-candidatas a governos estaduais cai para 14% em 2022

Enviado por / FonteMarie Claire

De acordo com um levantamento realizado pela Folha de São Paulo, as mulheres são apenas 1 em cada 7 pré-candidatos a governos estaduais e número é menor do que o apresentado em 2018, quando atingiu 15% com 30 candidaturas

Em 2021, o Observatório Nacional da Mulher na Política, da Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados, já havia colocado em pauta a baixa representatividade da mulher na política, que ainda apresenta um percentual pequeno – cerca de 15% – no Parlamento brasileiro. E esse número não tende a crescer.

De acordo com um levantamento da Folha de São Paulo, as mulheres são apenas 1 em cada 7 pré-candidatos a governos estaduais, número menor do que o registrado nas eleições de 2018. Até o momento, 22 mulheres se lançaram pré-candidatas a governos estaduais entre 161 nomes, o que equivale a 14%.

Já em 2018, esse número era de 15%, com 30 candidaturas femininas. No mesmo ano, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) definiu que 30% do fundo público deveria ser destinado para candidaturas femininas, incluindo também chapas encabeçadas por homens, mas que possuem mulheres como vice.

Ainda segundo a pesquisa da Folha, “apenas 14 das 27 unidades da federação terão mulheres como candidatas a governadoras”, mas poucas serão prioridade dos respectivos partidos. Entre os partidos que devem lançar candidatas mulheres a governadoras, estão: PSOL, PDT, PT, MDB, PSDB, PSB, União Brasil, Solidariedade, PMB e PCB, sendo o PSOL o recordista em pré-candidaturas femininas.

No Brasil, só seis estados elegeram mulheres governadoras: Rio de Janeiro, Pará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Roraima.

Em 2021, uma pesquisa feita pelo Instituto Justiça de Saia sobre o tema determinou que as mulheres brasileiras gostam e estão dispostas a participar de forma mais ativa na política, mas a falta de apoio partidário e de informações foram apontadas como empecilhos a este movimento.

O estudo mostra que 89% das mulheres não se sentem representadas por homens na política e, para 95,4%, a participação feminina na tomada de decisões públicas não é suficiente.

+ sobre o tema

STF começa a julgar nesta terça (18) supostos mandantes da morte de Marielle

O Supremo Tribunal Federal (STF) inicia, na tarde desta...

PL antiaborto viola padrões internacionais e ameaça vida, diz perita da ONU

O PL antiaborto viola padrões internacionais de direitos humanos...

Prefeitura de São José dos Campos retira obra sobre mulheres cientistas das escolas

A prefeitura de São José dos Campos (SP) recolheu...

A direita parlamentar parece ter perdido sua bússola moral

Com o objetivo de adular a extrema direita e...

para lembrar

Dilma recebe título de doutora na Índia e reforça laços com o país

Presidente, que viajou para reunião com os emergentes, recebeu...

A pastora Ana Paula Valadão, muito louca, profetiza a chegada da hora da igreja na política

Pastora Ana Paula Valadão "Nós estamos indo para a...

Londres: A fogueira onde ardem todas as verdades

por Fernando Sobral Num dos seus mais empolgantes livros, "Millennium People",...

“Ninguém pode ficar nas mãos de um chantagista”, diz Cláudio Couto

Para cientista político, apesar do cenário de crise, momento...

Janja defende direito ao aborto legal, diz que projeto é ‘absurdo’ e afirma que Congresso deve garantir acesso ao SUS

A primeira-dama Rosângela da Silva, a Janja, afirmou que do projeto de lei (PL) 1904, que quer colocar um teto de 22 semanas no acesso ao...

Saiba quem são os deputados que propuseram o PL da Gravidez Infantil  

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (12), a tramitação em regime de urgência do projeto de lei que equipara aborto acima de 22 semanas...

Com PL do aborto, instituições temem mais casos de gravidez em meninas

Entre 1º de janeiro e 13 de maio deste ano, foram feitas 7.887 denúncias de estupro de vulnerável ao serviço Disque Direitos Humanos (Disque...
-+=