O legado das mulheres

Enviado por / FonteEstado de Minas

Livro de duas professoras de filosofia pretende dar visibilidade às ideias e ações, além de fazer justiça às grandes intelectuais que fazem parte da história

Pensadoras, pesquisadoras, estudiosas, politizadas e revolucionárias sempre existiram. Entretanto, é muito mais comum conhecer e citar homens que se destacaram na filosofia do que figuras femininas. 

De acordo com o levantamento da Rede Brasileira de Mulheres Filósofas, 19,47% do quadro de docentes de pós-graduação em filosofia eram mulheres em 2019. Mesmo em número menor, elas sempre atuaram por melhorias e transformações da sociedade. Então, por que não sabemos quem são essas mulheres?

Dar visibilidade às ideias e ações e fazer justiça às grandes intelectuais é o objetivo do livro “Filósofas: O legado das mulheres na história do pensamento mundial” (Maquinaria Editorial), escrito pelas professoras Natasha Hennemann e Fabiana Lessa, que encontraram nos questionamentos dos próprios alunos a motivação para colocar em palavras reflexões que precisavam de holofote. “Mesmo com empecilhos sociais, algumas mulheres conseguiram se sobressair no campo da reflexão filosófica e foram influentes em seus contextos”, explica Fabiana.

A professora diz que o livro tem o intuito de ampliar a ideia de que a filosofia pode ser feita por todo mundo, de todos os gêneros, de qualquer continente, de várias idades e com pontos de vista diversos. “A obra faz um resgate de figuras que foram historicamente negligenciadas ou apagadas, mas que contribuíram para a construção de noções que nos são essenciais como sociedade, como a ideia de liberdade, de direitos, alguns conceitos de amor, de ética e de ciência”, afirma.

Diotima de Mantinea, Ban Zhao, Angela Davis, bell hooks e as brasileiras Lélia González, Djamila Ribeiro, Sueli Carneiro e Marilena Chauí são algumas das 70 pensadoras mencionadas na obra, que traz nomes contemporâneos e da Antiguidade da Europa, Ásia, África e América Latina. “Apesar dos avanços atuais, muitas vezes nem em países democráticos o trabalho científico é colocado como prioridade, ou seja, pode ser visto com indiferença e como desperdício de dinheiro, o que é incoerente para uma sociedade moderna que almeja progressos”, comenta Natasha.

DIVERSIDADE Segundo as autoras, a leitura é fundamental para as mulheres atuais, porque mostra que é possível pensar de maneira rigorosa a partir do seu ponto de vista e do próprio lugar no mundo. “Mostrar essa diversidade de olhares e essas pessoas corajosas pode inspirar mais mulheres a se aventurarem tanto pela filosofia quanto por várias outras áreas do conhecimento humano.”

Ela conta que as autoras usaram alguns critérios para definir quais filósofas ganhariam espaço na obra. O primeiro foi pensando a partir da importância em reapresentar algumas das pensadoras consideradas mais relevantes: “Como o objetivo principal é ser um livro introdutório, nós não poderíamos deixar de fora alguns nomes mais conhecidos”. O segundo critério foi a descentralização geográfica ao trazer, em cada capítulo, pelo menos uma filósofa de fora da Europa. “Em terceiro lugar, nós usamos o critério da disponibilidade e do acesso às fontes e aos estudos sobre essas filósofas”, explica a professora.

Ao longo de 278 páginas, “Filósofas” ajuda a ampliar a voz dessas pensadoras que contribuíram para a história do pensamento geral, muito além das questões femininas, e garante o reconhecimento que suas ações merecem. O livro também reforça a importância de as mulheres de todas as idades, e principalmente as mais jovens, se enxergarem nos livros de filosofia e conhecer o trabalho desenvolvido por outras. “O conhecimento é essencial, valioso e deve ser incentivado”, destaca Fabiana.  

Serviço

“Filósofas: O legado das mulheres 

na história do pensamento mundial”

Editora: Maquinaria Editorial

Páginas: 278

Preço: R$ 64,90

Onde comprar: Amazon 

+ sobre o tema

Exploração sexual de crianças e adolescentes só tem 20% dos casos denunciados

Denúncias de exploração sexual de crianças e adolescentes representam...

Internet impulsionou surgimento de um novo feminismo

Redes sociais ajudaram a divulgar campanhas que chegaram às...

Participe do Seminário: “Mulheres no poder: e aí, cheguei! Como fazer a diferença?”

Quais estratégias ainda devem ser construídas para que as...

para lembrar

Mãe, a culpa é sua

Desde segunda-feira, 2, circulam pelas redes sociais alguns links,...

Grupo Mulheres do Brasil destaca importância de falar sobre racismo

O Comitê de Igualdade Racial do Grupo Mulheres do Brasil lança...

Moda escrava: mulheres são maioria em trabalho indigno na área têxtil em SP

No ano passado, 139 pessoas foram resgatadas em condições...
spot_imgspot_img

Direito ao voto feminino no Brasil completa 92 anos

As mulheres são atualmente 52% do eleitorado brasileiro, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Apesar de serem maioria, há menos de um século  elas...

De 2,1 milhões inscritos no concurso público nacional, 56% são mulheres e maioria está na faixa até três mínimos

O Concurso Público Nacional Unificado (CPNU), também chamado de “Enem dos concursos”, teve 2.144.435 inscrições confirmadas, sendo 1.543.560 pagantes e 600.875 isentos. De acordo...

Miss é eliminada por ser mãe. Em que ano estamos?

Elas precisam ser lindas, altas e magras. Além disso, é necessário que tenham entre 17 e 27 anos, não sejam casadas e não tenham...
-+=