Tag: filosofia

    blank

    “A filosofia é inimiga do autoritarismo”, diz senegalês Souleymane Bachir Diagne

    Filósofo participa de evento que promove diálogo entre África e Ocidente na Aliança Francesa, nesta sexta-feira (16) Por Marília Moreira, do Correio 24 Horas  , photo Mathieu Zazzo Durante muito tempo, o Ocidente foi visto como universal, e tudo que não se encaixava exatamente em seus códigos, modos de ser e pensar, era considerado específico. Defensor da ideia de que a humanidade precisa ideia de um universal, mas que seja criado em comum, o filosófo senegalês Souleymane Bachir Diagne chega a Salvador para discutir esse e outros assuntos no evento "Filosofia: Diálogos contemporâneos entre África e Ocidente", que acontece nesta sexta-feira (16), às 15h, no Teatro Molière, na Aliança Francesa. Os ingressos custam R$ 20 (inteira), e estão disponíveis no site da Sympla. Com o propósito de conectar, através do tempo e espaço, diferentes trajetórias e realidades, a iniciativa é um esforço de pensar a África e seu encontro com o ...

    Leia mais
    Catarina Dutilh Novaes vê na filosofia uma peça central no avanço da ciência e no desenvolvimento econômico. Foto: Divulgação

    ‘Sem questões filosóficas, não teríamos computadores’, afirma Catarina Novaes

    Para filósofa e professora da Universidade Livre de Amsterdã, governo Bolsonaro critica a disciplina por temer a autonomia intelectual Por Dimitrius Dantas, do Época Catarina Dutilh Novaes vê na filosofia uma peça central no avanço da ciência e no desenvolvimento econômico. Foto retirada do site Revista Época  1. O ministro Abraham Weintraub (Educação) e o presidente Jair Bolsonaro pretendem “descentralizar” recursos de filosofia e sociologia para áreas que deem “retorno imediato” ao contribuinte, como veterinária, engenharia e medicina. Isso faz sentido? Moro há 20 anos na Holanda, que é um dos países mais prósperos da Europa e do mundo. Aqui, todos os alunos de nível universitário seguem alguns cursos de filosofia obrigatórios. Todos. Os bacharelados em engenharia são oferecidos em universidades técnicas ( sem cursos de humanas ), como em Eindhoven, mas mesmo nelas há um departamento de filosofia. 2. A que a senhora atribui esse tipo de ...

    Leia mais
    imagem - Mundo Educacao

    Acadêmicos de universidades em todo o mundo assinam manifesto contra cortes de verbas para Ciências Humanas no Brasil

    Estudiosos de instituições como Harvard, Princeton, Sorbonne se posicionam contra eventual redução de verbas para Ciências Humanas no Brasil por Audrey Furlaneto no O Globo imagem - Mundo Educacao Mais de mil acadêmicos de universidades de todo o mundo assinaram nesta segunda-feira um manifesto contra a eventual redução de recursos para as faculdades de Filosofia e Sociologia. O texto foi uma resposta de pesquisadores e intelectuais à defesa de cortes na área das Ciências Humanas feita pelo presidente Jair Bolsonaro na última semana. Há na lista intelectuais de Harvard, Princeton, Yale, Oxford, Cambridge, Berkeley, e de instituições brasileiras como a Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade de Brasília (UnB), entre outras. O manifesto, publicado nesta segunda no francês "Le Monde", foi organizado pela Gender International, uma rede de pesquisadores de estudos de gênero e sexualidade que, como se descreve, "mobiliza-se ...

    Leia mais
    blank

    ‘Ciências humanas são tão importantes quanto exatas e biológicas’, diz professora de Harvard

    Sem os conhecimentos das ciências humanas "não é possível entender a sociedade", diz a cientista política Danielle Allen, professora da Universidade Harvard, nos Estados Unidos. Por Rafael Barifouse, Da BBC Danielle Allen: 'Você não cria leis para ter uma boa governança com os conhecimentos de Engenharia e de Física' (Foto: MELISSA BLACKHALL/HUTCHINS CENTER) Em entrevista à BBC News Brasil, Allen disse ver como "um erro" o plano do governo brasileiro de reduzir investimentos em faculdades de ciências humanas - como filosofia e ciências sociais - e se concentrar, segundo um tuíte do presidente, Jair Bolsonaro, em "áreas que gerem retorno imediato ao contribuinte, como veterinária, engenharia e medicina". O presidente escreveu que "a função do governo é respeitar o dinheiro do contribuinte, ensinando para os jovens a leitura, escrita e a fazer conta e depois um ofício que gere renda para a pessoa e bem-estar para a ...

    Leia mais
    blank

    Filosofia: para que serve?

    No dia 26/04, Bolsonaro tornou pública, por mensagem no Twitter, a opinião de que não considera a Filosofia útil para a sociedade. Mas para que serve a Filosofia? Por Marcos Martins via Facebook   Marcos Martins (Reprodução/Facebook) Discutir a utilidade da filosofia é recorrente a quem é da área, pois se depara a todo momento com esse tipo de indagação. E as respostas, normalmente, começam com uma nova pergunta: o que se entende por utilidade? A considerar como útil o que serve para alguma coisa, algumas coisas mais importantes da vida são inúteis. Pense na amizade: a riqueza desse tipo de relação reside no fato de que ela não serve para nada, porque se servir para alguma coisa, deixou de ser amizade porquanto se tornou algo útil. E aquele que me é útil pode ser qualquer coisa, menos meu amigo de verdade. Então, só é amizade verdadeira ...

    Leia mais
    blank

    NOTA: EM DEFESA DA AUTONOMIA UNIVERSITÁRIA E CONTRA OS ATAQUES DE BOLSONARO ÀS ÁREAS DE FILOSOFIA E SOCIOLOGIA

    Do Observatório do Conhecimento (Foto: Pexels.com) A Frente Parlamentar pela Valorização das Universidades Federais e o Observatório do Conhecimento, iniciativa de associações e sindicatos docentes de todo o Brasil, vem a público contestar as declarações divulgadas pelo presidente do Brasil,Jair Bolsonaro, por meio de seu Twitter, no dia 26 de abril de 2019, atacando os cursos de ciências humanas em especial os de Filosofia e Sociologia. Não há nação desenvolvida no mundo que não possua forte investimento em campos de estudo como os da Filosofia e Sociologia. São estes que permitem estruturar o desenvolvimento de um país, formulando as estratégias para o crescimento econômico e atenção à população. Ao atacar as humanidades, o pensamento estratégico, Bolsonaro acaba por nos condenar à miséria, econômica e intelectual, nos relegar à escuridão da ignorância. Além disso, é um grande equívoco de Jair Bolsonaro responsabilizar a juventude brasileira pela recessão ...

    Leia mais
    Ilustração: Romulo Arruda

    A crítica de Marcien Towa às doutrinas de identidade africana

    O presente trabalho propõe tematizar a crítica que o filósofo Marcien Towa realizou sobre a questão da identidade africana. Sobre tal questão, o autor parte de duas concepções que consistiram primordiais no desenvolvimento da filosofia africana contemporânea: a alma negra de Blyden e a negritude de Senghor. A crítica a tais concepções tem como objetivo evidenciar que a tentativa de encontrar uma essência para a população africana invariavelmente não atenta para a diversidade de identidades no continente africano. Com isso, uma das implicações é a exigência para refletir sobre a fronteira entre natureza e cultura que propicia a construção da filosofia africana enquanto capaz de realizar um diálogo com outras formas de pensamento. Palavras-chave: Alma negra, identidade africana, Marcien Towa, negritude. Marcien Towa (Ilustração: Romulo Arruda) no Textos Diaspóricos Este trabalho pretende tematizar a crítica realizada pelo filósofo Marcien Towa sobre a questão da identidade africana. ...

    Leia mais
    blank

    Discussões Sobre a Origem da Filosofia e o Racismo Epistêmico

    Reprodução/ Youtube Por Rodrigo Castilho Do Educa Help Amigas e amigos filósofas(os), nesta semana daremos continuidade em nossas discussões sobre a origem da filosofia. Para tal, usaremos o livro História da Filosofia vol.I, dos filósofos italianos Dario Antiseri e Giovanni Reale. Mostraremos um lado oposto da discussão com Renato Noguera, tendo como base a obra Ensino de Filosofia e a Lei 10.639. Os italianos afirmam no início da obra que a filosofia é uma invenção grega, apesar de o tema ser ainda debatido. “Naturalmente, sobretudo entre os orientalistas, não faltaram tentativas de situar no Oriente a origem da filosofia, especialmente com base na observação de analogias genéricas constatáveis entre as concepções dos primeiros filósofos gregos e certas ideias próprias da sabedoria oriental. Todavia nenhuma dessas tentativas teve êxito. Já a partir de fins do século dezenove, a crítica rigorosa produziu uma série de provas verdadeiramente esmagadoras contra ...

    Leia mais
    blank

    A filosofia pode ensinar o que o Google não pode

    Livre tradução e adaptação do texto publicado no jornal britânico The Guardian. No Filosofia na Escola Seja com a invenção de carros sem motorista, ou nos telefones quando ligamos para o banco ou para uma loja: todos sabemos que os robôs estão chegando, e em muitos casos já estão aqui. Em 2013, economistas da Oxford University’s Martin School estimaram que, nos próximos 20 anos, mais de metade de todos os empregos serão substituídos por tecnologias inteligentes. Como essa perspectiva de uma vida auxiliada por robôs, é tolo negar que as crianças que estão na escola hoje entrarão num local de trabalho muito diferente amanhã - e isso se tiverem sorte. Os futurólogos preveem que os trabalhos administrativos e burocráticos serão cada vez mais terceirizados para "máquinas", bem como os trabalhos manuais. Diante disso, como os educadores devem preparar os jovens para a vida cívica e profissional numa era digital? ...

    Leia mais
    blank

    “Por que julgamos que a diferença seja um problema?” Achille Mbembe

    Em entrevista, o filósofo camaronês fala sobre xenofobia, nacionalismo, o lugar do estrangeiro, os perigos de “culturas únicas” e espaços de articulação para a diferença. Fonte: Goethe Institut por: Katharina von Ruckteschell-Katte Minha primeira observação tem a ver com a questão da diferença. A questão é: O que queremos dizer com a palavra diferença? Por que ela está tão naturalizada? E o que devemos fazer com a diferença? A premissa aqui é de que a diferença tem que ser reconhecida, aceita e ao mesmo tempo transcendida. Pois a suposição – não apenas no mundo em que vivemos hoje, mas também em períodos anteriores da história humana – é de que a diferença é um problema com o qual se precisa lidar. Então o primeiro movimento que poderíamos desejar fazer é questionar tal suposição. Por que é que achamos que a diferença é um problema? Por que ela não é simplesmente ...

    Leia mais
    blank

    “Não é o voto que vai evitar uma catástrofe maior, a catástrofe já está posta”, a professora Camila Jourdan fala ao DCM. Por Leo Mendes

    Abstenções, votos brancos e nulos, somados, superaram o 1º colocado nas eleições para prefeitura em dez capitais. Em São Paulo, quase 40% das pessoas que poderiam votar não escolheram nenhum candidato. Ao todo, 3.096.304, enquanto João Dória foi eleito com 3.085.187 votos. Já no segundo turno no Rio de Janeiro, entre Marcelo Freixo (PSOL) e Marcelo Crivella (PRB), as últimas pesquisas apontam que mais de 20% pretende anular ou votar em branco. Por  Leonardo Mendes, do DCM Camila Jourdan, doutora em Filosofia e professora na UERJ, é uma delas, e explica nessa entrevista sua opção. Camila Jourdan estava entre os 23 ativistas presos às vésperas da final da Copa do Mundo de 2014, no escopo das tentativas de criminalização das Jornadas de Junho. Acusada por possíveis futuros atentados que nunca aconteceram, com base em um inquérito que também incriminava o filósofo russo Mikhail Bakunin (1814-1876), Camila considera o processo literatura fantástica ...

    Leia mais
    blank

    Marcia Tiburi: uma filósofa engajada

    Uma rara pensadora sem fronteiras, capaz de se fazer entender pelo mais variado público, do erudito ao popular, dos teóricos contemplativos aos aguerridos militantes políticos por um outro mundo possível. Contestadora e coerente, de um pensamento denso sem ser prepotente, Marcia Tiburi é o exemplo vivo de uma intelectual capaz de praticar o próprio pensamento e, ainda, deliciar seus leitores com belos e significativos textos. Por Rubens Casara Do Caliban Marcia Tiburi nasceu no sul do Brasil em 1970 e começou a estudar filosofia no final dos anos 80, enquanto também cursava a faculdade de artes. Doutorou-se em filosofia no final dos anos 90 na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) com uma tese sobre a obra do pensador alemão Theodor Adorno. Em seguida, fez estudos de pós-doutoramento sobre história da arte e feminismo na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Marcia Tiburi, filósofa, professora universitária e romancista tornou-se conhecida ...

    Leia mais
    blank

    Cinco pensadores modernos africanos que tratam de identidade, língua e regionalismo

    Esta matéria contém links que levam a outras páginas, inclusive em outros idiomas, caso você queira se aprofundar no assunto. Do Global Voices A filosofia africana é geralmente negligenciada no estudo de Filosofia, sem que se saibam claramente as razões para isso. Alguns argumentam que o fato de ela estar estreitamente vinculada às suas tradições orais tornaria difícil compartilhar a sua extensa história com uma audiência mais ampla. Outros argumentam que a sua natureza afrocêntrica a faria menos atraente para o resto do mundo. O filósofo nigeriano K.C. Anyanwu define a filosofia africana como “aquela que se interessa na maneira que o povo africano, do passado e do presente, entende o seu destino e o mundo no qual vive”. Apesar de em grande parte permanecer um mistério para os outros países, a filosofia africana é uma disciplina sólida, enriquecida por séculos de pesquisa, que datam desde a filosofia do Egito antigo, até o pensamento pós-colonial moderno. ...

    Leia mais
    blank

    Curso “Feminismo e Filosofia” da UnB resgata pensadoras esquecidas pela academia

    Atualmente, a disciplina, optativa para alunos de licenciatura em Filosofia, é aberta para estudantes de outras modalidades Por PAULO LANNES, do Metrópoles    Christine de Pizan, Angela Yvonne Davis e Lélia Gonzalez. Essas são algumas das filósofas que, apesar de desconhecidas por grande parte dos estudiosos da área, ganham protagonismo no curso “Filosofia e Feminismo”, disciplina ministrada pela Universidade de Brasília (UnB) durante o curso de verão. Mais do que parte de um movimento de valorização das mulheres, que vêm ganhando força em todo o mundo, a disciplina questiona o tipo de conhecimento teórico que é construído nos dias de hoje. “Trazer o conhecimento dessas autoras, que produziram excelentes textos desde a antiguidade, é um acerto de contas não só para as mulheres, mas também uma maneira de repensar a filosofia como a conhecemos”, explica a professora da disciplina Ana Míriam Wuensch (foto). A UnB se tornou pioneira no país ao buscar ...

    Leia mais
    blank

    Afroperspectividade: por uma filosofia que descoloniza

    Entrevista com o doutor em filosofia e professor da UFRRJ, Renato Noguera Por Tomaz Amorim Do Negro Belchior Hoje iniciamos uma série de entrevistas com intelectuais e militantes da luta negra no Brasil. Nosso primeiro entrevistado é Renato Noguera, filósofo e professor da UFRRJ, que fala sobre o surgimento de uma tendência na filosofia brasileira chamada Afroperspectividade. Renato e outros pesquisadores tentam formular conceitos recorrendo às tradições indígena, africana e afro-brasileira. Se Nietzsche buscou inspiração nas figuras europeias clássicas de Apolo e Dionísio para suas formulações sobre a arte moderna, Renato Noguera e outros pesquisadores recorrem a figuras como a Mãe-de-santo e a conceitos como o de drible. O tripé referencial desta empreitada vem de Abdias do Nascimento, Viveiros de Castro e Molefi Asante. A proliferação conceitual de Deleuze dá o exemplo, segundo Renato, a ser superado. Nesta entrevista, falamos também sobre o conceito de epistemicídio (de Suely Carneiro), sobre ...

    Leia mais
    blank

    A tarefa monumental de Sociologia e Filosofia

    Há sete anos, disciplinas se tornaram disciplinas obrigatórias no Ensino Médio após intervalo de quase quatro décadas Por Cinthia Rodrigues, do Carta na Escola  ALFREDO RIZZUTI/ESTADÃO CONTEÚDO Os mais de 10 milhões de brasileiros que se formaram no Ensino Médio nos últimos sete anos levaram da escola algo que não foi oferecido a quem se formou nas quatro décadas anteriores: aulas de Filosofia e Sociologia. Com a missão generalizada de “ensinar a pensar”, as disciplinas ainda esbarram em dificuldades para efetiva implantação em sala de aula, mas especialistas, professores e alunos já visualizam frutos. “Ganha-se sempre, mesmo que ainda haja necessidade de ajustar conteúdos e profissionais a formar”, diz a professora de Filosofia da Universidade de São Paulo, especializada na história da disciplina, Olgaria Chain Féres Matos. “Não há dúvida de que houve avanço”, afirma, na mesma linha, Juvenal Savian Filho, professor da Universidade Federal de ...

    Leia mais
    blank

    “Crítica da razão negra” Achille Mbembe

    Achille Mbembe é uma referência académica no estudo do pós-colonialismo, um teórico erudito e pensador das grandes questões da história e da política africana – apesar de, ele próprio, não se definir como “teórico do pós-colonialismo”. Nascido nos Camarões em 1957, Mbembe é professor de História e Ciência Política na Universidade Duke (Virgínia, Estados Unidos) e na Universidade Witswatervand(Joanesburgo, África do Sul), além de investigador no Wits Institute for Social and Economic Research(WISER) desta mesma Universidade. Por  David Avila no Deus me Livro Antes desta nova edição da Antígona, o leitor pode já ter lido Mbembe nas páginas da edição portuguesa do Le Monde Diplomatique, ou quiçá tenha tido oportunidade de o ver no Instituto Goethe, em Lisboa, em Fevereiro de 2013, quando participou na conferência “Rethinking Cosmopolitanism and the Entanglement of Africa and Europe”. Para quem procure aprofundar a leitura de Mbembe, existem outros livros editados em Portugal, como “Sair ...

    Leia mais
    blank

    “Nenhum africano é estrangeiro em África!”

    Achille Mbembe escreveu sobre a violência contra os estrangeiros na África do Sul. Do REDE ANGOLA O filósofo, cientista político e intelectual camaronês Achille Mbembe, autor do livro Crítica da Razão Negra, escreveu ontem sobre a violência xenófoba na África do Sul, esse “cancro que metastizou”, nas suas palavras, chegando à conclusão que “a actual caça aos ‘estrangeiros’ é produto de uma complexa cadeia de cumplicidades – algumas vocais e explícitas e outras tácticas”. Na base de tudo, as acções do próprio governo que, “através das suas novas medidas anti-imigração”, tenta até ilegalizar imigrantes que estavam legais. Num artigo publicado no site Africa is a Country, Mbembe afirma que, à diferença da última vaga de violência xenófoba no país, em 2008, quando morreram 72 estrangeiros, esta tem uns “rudimentos” de ideologia subjacente, uma “aparência de discurso destinada a justificar as atrocidades”, que são mais negros, que são usados pelos brancos que preferem explorá-los a contratar sul-africanos, ...

    Leia mais
    blank

    Os gregos roubaram a filosofia dos africanos, por Yeye Akilimali

    Sugestão de jns Por Yeye Akilimali Funua Olade  no GGN "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" é um antigo provérbio egípcio, erroneamente creditado na conta de Jesus Cristo na bíblia cristã. Os africanos, são humilhados e ridicularizados, porque a sua história foi roubada e sua herança cultural foi erroneamente atribuída a outros povos O livro 'Stolen Legacy', de George Granville Monah James, revisto  por Femi Akomolafe A filosofia, as artes e as ciências foram legados à civilização pelos povos do Norte da África e não pelo povo da Grécia. Foi dado para Pitágoras o crédito que o mundo está dando para um teorema que os egípcios certamente usavam na construção de suas pirâmides! Os "filósofos" Aristóteles, Platão e Sócrates foram perseguidos pela mesma razão que eles são endeusados: "introduzir divindades estranhas". Esta é uma deturpação que se tornou a base do preconceito racial e afetou todas as pessoas ...

    Leia mais
    Ana Branco/Ag. O Globo

    Colocando conceitos em jogo

    Intelectual público, o filósofo e professor da UFRRJ, Renato Noguera, batalha pela inclusão de maneira adequada do pensamento afro-brasileiro e indígena no ensino da filosofia POR MARCOS CARVALHO LOPES, do Revista Filosofia Ana Branco/Ag. O Globo Comumente os filósofos procuram cultivar universais e não se comprometem com gostos idiossincráticos. Renato Noguera dá um drible e denúncia os pressupostos deste padrão "eurocêntrico" cotidianamente, em gestos simples como, quando aparece na UFRRJ onde é professor usando uma camisa do Botafogo. Provavelmente se lhe perguntarem porque é botafoguense saberá dar uma resposta bem deleuziana, como torcedor de conceitos que sabe rir de si mesmo e articula sua imanência em um plano filosófico. Em verdade, o cultivo da diferença talvez seja o traço mais importante da contribuição de Noguera para o pensamento brasileiro ao questionar a geleia geral brasileira e sua cordialidade de alquimia sofística. Em sua agenda estão investigações sobre ...

    Leia mais
    Página 1 de 2 1 2

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist