quinta-feira, dezembro 1, 2022
InícioArtigos ExclusivosGuest PostO poder do amor próprio

O poder do amor próprio

Minha história se inicia no dia 30/01/1993, em uma cidade chamada Guaratinguetá.

Bianca nasce no verão , em ritmo de carnaval, em um sábado de muito calor, às 18 horas, em casa, porque vovó que fez o parto, vai sentindo a emoção!!!

Nasce na família, em um contexto nada tradicional , mas que faz parte da vida de mais de cinco milhões de brasileiros ou mais até, em sua certidão de nascimento não tem o nome do pai, mas isso nunca foi bloqueio para a família, pois sempre foi muito amada. Sua avó, mãe e tios, sempre doaram muito amor, carinho, afeto e cuidado.

Bianca foi crescendo, os anos foram se passando e por ser muito apegada a família, tinha medo de ir à escola, medo mesmo, pavor, atrasando sua entrada no ambiente escolar, ocorrendo apenas com 11 anos, pois sua mãe e avó esperaram seu tempo. Antes de entrar na escola, sua infância não foi de brincadeiras na rua, foi de assistir TV, SBT mesmo, Eu, a Patroa e as Crianças, Um maluco no Pedaço e Todo Mundo Odeia o Chris já faziam parte da rotina, ou seja, o contato com outras crianças, foi na escola, onde realmente descobriu que era diferente, que era albina.

O primeiro dia da escola chegou, nervosismo era o que mais tinha, mas sua mãe estava lá, levando e buscando, sendo seu porto seguro, as crianças chamavam ela de branquela, ela não sabia o que fazer, chorava, chorava e sua mãe estava lá e conversava com a professora e com a mãe da criança, falando a respeito de que o diferente existe, que é preciso respeitar todos. Sim isso ocorreu na primeira série e foram casos isolados, nada se compara ao que seria a adolescência…. Mas a vida acadêmica ia muito bem obrigada, desde a primeira série sendo destaque do bimestre até o ensino médio, notas altas pois ela viu na educação a forma de mudar a sua vida, mudar sua história.

Ação Jovem e Projovem eram projetos dos governos Federal e Estadual, em que novamente entra a sua mãe, pois ela que inscreveu a doce Bianca em todos, inserindo na sociedade e ao mesmo tempo na educação, pois sendo aluna desses projetos, a assistente social matriculava os adolescentes nos cursos do Senac e assim essa instituição educacional entrou em sua vida.

Bianca realizou o curso Pet Trampolim – Programa Educação Para o Trabalho: Novas Conexões, onde depois de um mês de formatura, sua professora entrou em contato, falando de uma vaga de aprendiz no Senac. Mesmo não tendo nenhuma noção de computador, a doce Bianca sai correndo em direção da sua amiga para que se realizasse o cadastro do seu currículo no portal da rede Senac São Paulo, para participação do processo seletivo.

Deu tudo certo, a instituição é maravilhosa, a chance da vida, a chance de mudar a história, Bianca com um ano de contrato e sendo ex aluna é a primeira aprendiz da unidade de Guaratinguetá a ser efetivada. Mas pera aí, tudo maravilhoso, tudo lindo e a vida pessoal? Anda bem? Infelizmente não estava bem…

Bianca tinha uma péssima auto estima, não se achava bonita e isso impactava nas suas percepções de mundo e relacionamentos. O primeiro amor não vinha, a tristeza só aumentava e Bianca tomou a decisão de procurar um psicólogo. Foram três anos e cinco meses de terapia, que foram necessários para o seu autoconhecimento e confiança. Não podemos negar também que Bianca teve anjos no seu caminho, pessoas que ajudaram na caminhada, anjos de luz na terra que chamamos de amigos.

Mas ainda faltava algo, faltava algo que só quem tem poder de ter é a própria pessoa, faltava o amor próprio…. No dia 06/11/2017, Bianca tomou a decisão que mudou a sua vida, ela finalmente se aceitou e usou seu cabelo natural. Depois de 24 anos alisando cabelo, colocando aplique, ficando quase careca, gastando aquilo que não tem para seguir o que a sociedade quer e impõe como bonito, ela cortou o cabelo e se descobriu a mulher mais linda do mundo!!!!! No emprego, na roda de amigos, na balada, enfim, Bianca descobriu que a beleza é ser ela mesma, que ela sempre foi bonita, que a sociedade te colocava limites, mas a beleza não tem limites…… Enfim depois de todo o processo de aceitação ela se empoderou e viu que ser feliz é o que importa, que não são padrões que vai dizer o que é bonito, a diversidade é bonita, o diferente é bonito, ser feliz é bonito, ser você é bonito. Bianca Cristina Paulino. Pode compartilhar minha história, quero ser inspiração e ajudar mais pessoas.

** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE. 
Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench