Olívia Santana é condecorada com a Medalha Zumbi dos Palmares

Ativista do movimento negro e idealizadora da primeira honraria destinada a personalidades que se destacam na luta contra o Racismo – a Medalha Zumbi dos Palmares -, Olívia Santana provou da emoção de ser condecorada. Ela foi homenageada em sessão solene nesta terça-feira (16/09), como forma de reconhecimento por sua atuação em defesa da igualdade racial e contra o racismo.

Militante histórica do movimento negro e uma das fundadoras da União de Negros pela Igualdade (Unegro), ela, que ocupa a Secretaria Nacional de Combate ao Racismo do PCdoB.

Emocionada, Olívia falou do orgulho de ter sua trajetória política reconhecida, e ser agraciada justamente com a comenda que criou, entregue desde 1999 a diversas personalidades. “Nunca esquecerei cada momento desta homenagem tão especial. Aqui nesta Casa iniciei minha vida política institucional e a Medalha Zumbi é uma honraria carregada de simbolismo, porque refere-se à maior expressão da luta contra a discriminação racial no Brasil”.

Ela classificou o racismo como uma construção perversa, que destrói a autoestima das pessoas. E disparou: “Não podemos contemporizar com o racismo e precisamos enxergar as múltiplas formas de discriminação, de exploração”. Lembrou que a mãe teve oito filhos e enterrou quatro. Exatamente como muitas mulheres que continuam vivendo nas periferias das grandes cidades: “Eu poderia ter reproduzido essa realidade, mas não reproduzi graças a ela”. Olívia deixouclaro que “existe sim racismo no Brasil, apesar dos avanços”, e defendeu políticas públicas de combate às desigualdades raciais e de gênero e contra a homofobia.

Para o deputado federal Daniel Almeida, presidente estadual do PCdoB Bahia, este foi um momento muito especial para as mulheres, o Partido e o movimento negro. Ele parabenizou Olívia pela bela trajetória de luta por uma sociedade sem opressão e sem discriminação racial e afirmou que a Negona tem pleno merecimento.

O autor da iniciativa, vereador Moisés Rocha, disse que reconhecer seu trabalho político na luta de combate ao racismo, promoção da igualdade racial e na batalha para garantir aos negros, aos índios, às mulheres, aos homossexuais e todos os cidadãos discriminados é a melhor forma de homenageá-la. Para a entrega da comenda foram convidadas à mesa a mãe de Olívia, Maria José, e a filha Nanny.

Trajetória

Na Câmara Olívia Santana presidiu as comissões de Direitos do Cidadão, da Reparação e de Educação, além de ter assumido a Ouvidoria-geral. Entre os principais projetos de sua iniciativa aprovados pela Câmara, destacou os que geraram as leis de Incentivo à Leitura, do Dia Municipal da África e a de Combate à Intolerância Religiosa.

Em 2005, na condição de secretária municipal de Educação, fez de Salvador a primeira capital a implantar a Lei 10.639, tornando obrigatório nas escolas da rede o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana.

Fonte: Vermelho 

+ sobre o tema

Preto e dinheiro são palavras rivais???

Por Bruno Rico Do Afro21 Precisamos aprender a reconhecer algo histórico,...

“Para branco sempre tem espaço”, diz Vovô do Ilê sobre dívida do bloco afro

Bloco passa por momento complicado, com dívidas que chegam...

para lembrar

spot_imgspot_img

Um Silva do Brasil e das Áfricas: Alberto da Costa e Silva

Durante muito tempo o continente africano foi visto como um vasto território sem história, aquela com H maiúsculo. Ninguém menos do que Hegel afirmou, ainda no...

Artista afro-cubana recria arte Renascentista com negros como figuras principais

Consideremos as famosas pinturas “A Criação de Adão” de Michelangelo, “O Nascimento de Vênus” de Sandro Botticelli ou “A Última Ceia” de Leonardo da Vinci. Quando...

João Cândido e o silêncio da escola

João Cândido, o Almirante Negro, é um herói brasileiro. Nasceu no dia 24 de junho de 1880, Encruzilhada do Sul, Rio Grande do Sul....
-+=