ONU aprova resolução condenando mutilação feminina

Brasília – A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou ontem (26) resolução que condena a mutilação genital feminina – chamada de circuncisão feminina – e pede aos países que passem a orientar de forma educativa sobre a necessidade de acabar com a prática. A circuncisão feminina ainda ocorre em regiões tribais da África que seguem o islamismo, mas adotam tradições próprias.

Por: Renata Giraldi*

Em geral, as meninas são submetidas à mutilação ainda na infância, antes da adolescência. A prática consiste na retirada do clitóris e, em alguns casos, também dos grandes lábios. No texto, a ONU apela para que os países adotem medidas como a proibição da prática, com o objetivo de proteger mulheres e crianças de “qualquer forma de violência”, e encerrem a impunidade.

No texto, as Nações Unidas pedem que as autoridades se esforcem para orientar sobre o atendimento médico às meninas e mulheres, e que os líderes religiosos e comunitários contribuam com as ações.

A resolução criou a data de 6 de fevereiro como o Dia Internacional da Tolerância Zero contra a Mutilação Genital Feminina. Durante a discussão na Assembleia Geral da ONU, vários líderes de países africanos destacaram a importância do texto para intensificar a luta internacional contra a prática.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa.

 

 

 

Fonte: EBC

+ sobre o tema

Mulheres Negras e a (Não) Efetivação dos Direitos Humanos

Os direitos humanos não têm sido efetivados em sua...

Astrofísica brasileira vence importante prêmio da ciência mundial

Marcelle Soares-Santos foi reconhecida pela Fundação Alfred P. Sloan,...

Feministas saúdam novo momento com parlamentares

No encontro anual de recepção da bancada feminina, ativistas...

para lembrar

Ministro quer estender todos os direitos trabalhistas às empregadas domésticas

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, pretende propor um...

Petrobras: O empoderamento das mulheres

Segurando a imensa tristeza da morte de Saramago, leio...

PL Luana Barbosa é aprovado e prevê enfrentamento ao lesbocídio

Aprovado em Belém (Pará) na última quinta-feira, dia 30...
spot_imgspot_img

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...

Após um ano e meio fechado, Museu da Diversidade Sexual anuncia reabertura para semana da Parada do Orgulho LGBT+ de SP

Depois de ser interditado para reformas por cerca de um ano e meio, o Museu da Diversidade Sexual, no Centro de São Paulo, vai reabrir...
-+=