ONU recorda Mandela como “defensor global da dignidade e igualdade”

Enviado por / FonteDa Agência Brasil 

“Um extraordinário defensor global da dignidade e igualdade e um dos líderes mais emblemáticos e inspiradores do nosso tempo”. Com estas palavras, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, celebrou hoje a passagem do Dia Internacional de Nelson Mandela, neste 18 de julho.

Se estivesse vivo, o ex-presidente da África do Sul e ícone da luta contra o apartheid completaria 101 anos nesta quinta-feira. Primeiro presidente da África do Sul livre e democrática, Nelson Rolihlahla Mandela morreu em 2001, 20 anos após receber o Prêmio Nobel da Paz.

A comemoração do Dia Internacional de Nelson Mandela foi proclamada há uma década pela Assembleia Geral da ONU. O objetivo é celebrar a proteção dos direitos humanos, a igualdade entre raças e etnias, a resolução dos conflitos entre povos e a integridade da humanidade.

“Coragem e compaixão”

Segundo a mensagem divulgada pelo chefe da ONU, Nelson Mandela “exemplificou coragem, compaixão e compromisso com a liberdade, paz e justiça social”. Guterres realçou ainda que o líder “viveu por esses princípios e estava preparado para sacrificar sua liberdade e até mesmo sua vida por eles.”

O secretário-geral afirmou que os apelos de Nelson Mandela pela coesão social e pelo fim do racismo são particularmente relevantes hoje, quando “o discurso do ódio lança uma sombra crescente em todo o mundo”. Para Guterres, aqueles que trabalham coletivamente pela paz, estabilidade, desenvolvimento sustentável e direitos humanos para todos, devem sempre recordar o exemplo de Mandela.

A mensagem ressalta que o melhor tributo ao ex-líder deve ser demonstrado por ações. O chefe da ONU destaca que o recado de Mandela para o mundo é claro: “cada um de nós pode agir para promover mudanças duradouras. Todos nós temos o dever de fazê-lo”. No dia de reflexão sobre a vida e obra de Mandela, o apelo de Guterres é que o mundo abrace o legado do ex-presidente, bem como a aspiração de seguir o seu exemplo.

Brasília comemora

Na capital brasileira, foi feito um plantio de árvores nativas em um parque ecológico como parte das comemorações do Dia Internacional Nelson Mandela. A atividade foi realizada com a participação de diplomatas da Embaixada da África do Sul e representantes do Instituto Brasília Ambiental e da Secretaria do Meio Ambiente do Distrito Federal.

“Agradecemos a oportunidade de celebrar Nelson Mandela, que dedicou a sua vida ao serviço da humanidade e por uma África do Sul livre. Somos, também, gratos em poder promover essa ação como forma de homenageá-lo”, disse o secretário-geral do Brasília Ambiental, Thiago Mendes.

* Com informações da ONU News

+ sobre o tema

VÍDEO: África do Sul tem a primeira constituição pós-apartheid

O presidente Nelson Mandela declarou que o documento representa...

Para não esquecer

A polêmica sobre a intenção de se criar um...

17 pessoas negras da História que você não viu na escola

Na escola, provavelmente, você não ouviu falar sobre os...

Show com “zoo humano” banido em Londres, vem para São Paulo

Uma performance artística polêmica com atores negros em um...

para lembrar

Uma lista de autores / livros africanos

Se querem diversificar as vossas leituras e não sabem...

Quilombo dos milagres

Qualquer vacilo deixaria o maestro em maus lençóis....

Migrações negras no pós-abolição do sudeste cafeeiro (1888-1940)

O presente artigo tem por objetivo analisar o processo...
spot_imgspot_img

Mães e Pais de Santo criam rede de solidariedade para apoiar comunidades de matriz africana afetadas no Sul

Quando a situação das enchentes se agravou no Rio Grande do Sul, Ialorixás e Babalorixás da cidade de Alvorada, região metropolitana de Porto Alegre,...

6 brasileiros que lutaram pelo fim da escravidão no Brasil

O fim da escravidão no Brasil completa 136 anos em 13 de maio deste ano. Em 1888, a princesa Isabel, filha do imperador do Brasil Pedro 2º,...

14 de maio e a Revolta dos Malês

Quem passa pelo Campo da Pólvora, em Salvador, nem imagina que aquela praça, onde ironicamente hoje se encontra o Fórum Ruy Barbosa, foi palco...
-+=