Oxford admite mais mulheres que homens pela 1ª vez na história

LONDRES, 26 JAN (ANSA) – Pela primeira vez em seus mais de 900 anos de história, a Universidade de Oxford, no Reino Unido, admitiu mais mulheres do que homens.

Da Istoé 

Divulgação

De acordo com dados publicados pela UCAS, organização que se ocupa dos procedimentos de acesso às universidade do Reino Unido, em 2017, a instituição aceitou a inscrição de 1,275 mil mulheres. Já aquelas feitas pelos homens contabilizam 1,165 mil.

Com relação as admissões, há 1,070 mil de mulheres e 1,025 mil de homens. Apesar de ter sido inaugurada em 1096, a universidade só passou a aceitar mulheres a partir de 1920, quando elas receberam o mesmo estatuto de estudantes que os homens. Mas, em 1927 foi criada uma “cota”, que limitava o número de alunas, para ¼ do número total de homens. O limite foi abolido em 1957. Somente em 1974, algumas faculdades – até então somente masculinas – passaram a aceitar mulheres, como a Brasenose, Jesus, Wadham, Hertford e St Catherine. Em 2017, a Universidade de Oxford entrou em uma polêmica envolvendo o gênero feminino, quando anunciou que o Departamento de História permitiria que as mulheres fizessem seus exames em casa para acabar com as diferenças entre os sexos, já que elas estavam em menor número na graduação. (ANSA)

+ sobre o tema

para lembrar

Cineastas chamam a atenção para seleção de filmes e planejamento das aulas

Nova lei pretende levar o cinema brasileiro para todas...

Como gênero e raça influenciam a vida acadêmica de alunos e professores?

Neste episódio de Vozes Urbanas, Márcia Lima, professora do...

14 cursos gratuitos de universidades para você fazer sem sair de casa

Várias universidades no Brasil e no mundo oferecem cursos...

Por: Fernanda Pompeu O professor

1964 + 50 Histórias de pessoas de carne e osso...
spot_imgspot_img

Geledés publica boletins sobre a Primeira Infância nos estados brasileiros

Geledés Instituto da Mulher Negra está realizando as ações da segunda etapa do projeto “Primeira Infância no Centro: garantindo o pleno desenvolvimento infantil, uma...

PL do novo PNE apresenta avanços em equidade e dá primeiro passo em financiamento, mas precisa de melhorias estruturais e traz também retrocessos

O Projeto de Lei (PL) nº 2.614/2024, que prevê um Plano Nacional de Educação (PNE) para o período de 2024-2034, apresenta avanços relacionados à...

Jovens cientistas receberão apoio de mais de R$ 21 milhões para pesquisas   

O Instituto Serrapilheira anunciou, nesta quarta-feira (26), os 33 pesquisadores selecionados em dois editais que vão injetar mais de R$ 21 milhões em ciência no Brasil. Uma...
-+=