Palestra aborda a literatura e imprensa negra no Brasil do século XIX

A jornalista Ana Flávia Magalhães Pinto ministra palestra no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, no dia 17 de fevereiro, na qual aborda pesquisa realizada por ela na qual aborda a literatura e imprensa negra no Brasil do século XIX.

Por Rita Solimeo Marin , do Cultura Alternativa 

Redes de liberdade: literatos negros e abolicionismos no Brasil elege como fios condutores as trajetórias de um conjunto de homens negros, livres e letrados atuantes na imprensa e no cenário político-cultural das cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro na segunda metade do século XIX.

 

Apostando na viabilidade de seus projetos individuais, Ferreira de Menezes, Luiz Gama, Machado de Assis, José do Patrocínio, Ignácio de Araújo Lima, Arthur Carlos e Theophilo Dias de Castro estiveram envolvidos em ações coletivas, com destaque para as lutas abolicionistas; e não raras vezes desenvolveram críticas a práticas cotidianas de preconceito e outros desdobramentos do escravismo. A pesquisa aponta as semelhanças e diferenças existentes entre eles, a fim de perceber os significados de suas articulações diretas e indiretas, bem como compreender as articulações entre a produção literária e a atuação política destes agentes sociais.

 

Ana Flávia Magalhães Pinto é jornalista, doutora e pós-doutoranda em História pela Unicamp. É autora de Imprensa negra no Brasil do século XIX (Selo Negro) e organizadora, em parceria com Sidney Chalhoub, de Pensadores Negros – Pensadoras Negras: Brasil, séculos XIX e XX (Fino Traço). Menção Honrosa, no âmbito do Prêmio Capes de Tese Edição 2015, na Área de História / Programa de História.

 

Sobre o CPF Sesc

Inaugurado em agosto de 2012, o Centro de Pesquisa e  Formação do Sesc é uma unidade do Sesc São Paulo voltada para a produção de conhecimento, formação e difusão e tem o objetivo de estimular ações  e desenvolver estudos nos campos cultural e socioeducativo.

Além do Curso Sesc de Gestão Cultural – que visa a qualificação para a gestão cultural de profissionais atuantes no campo das Artes, tanto de instituições públicas como privadas – a unidade proporciona o acesso à cultura de forma ampla, tematicamente, por meio de cursos, palestras, oficinas, bate-papos, debates e encontros nas diversas áreas que compreendem a ação da entidade, como artes plásticas e visuais, ciências sociais, comportamento contemporâneo e cotidiano, filosofia, história, literatura e artes cênicas, voltadas para o público em geral.

 

Redes de liberdade: literatos negros e abolicionismos no Brasil

Dia 17 de fevereiro de 2017, sexta, das 19h às 21h.

Recomendação etária: 16 anos. Número de vagas: 30.

 

R$ 15,00 (inteira); R$ 7,50 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública);  R$ 4,50 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes).

 

Tradução em Libras disponível. Faça sua solicitação com no mínimo dois dias de antecedência da atividade através do e-mail [email protected].

Informações e inscrições pelo site (sescsp.org.br/cpf) ou nas unidades do Sesc no Estado de São Paulo.

 

 

Centro de Pesquisa e Formação do Sesc

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar.

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 10h às 22h. Sábados, das 9h30 18h30.

Tel: 3254-5600

+ sobre o tema

Profissionais negros reinventam suas carreiras na TV e avaliam a importância da discussão racial

No Dia da Consciência Negra, o gshow conversou com artistas que compartilham...

Artistas negros dominam o line-up do Festival de Jazz de Ouro Preto – Tudo é Jazz

A 21ª edição do Festival de Jazz de Ouro Preto...

O rastafari

Introdução A expansão do Cristianismo Ortodoxo nas Américas ocorreu, principalmente...

13 de maio é dia de reafirmação da luta identitária

Liberdade é força-motriz que nos possibilita a autonomia de...

para lembrar

Exposição – A mulher na arte moçambicana é tema de exposição no Rio de Janeiro

Mostra reúne obras que valorizam o cotidiano feminino africano....

Livro reúne ideias dos principais pensadores africanos do século 20

Para o professor José Rivar Macedo, organizador da obra,...
spot_imgspot_img

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...
-+=