Polícia abre inquérito para investigar ofensa racista a professor de colégio da Unicamp

Ataques foram deixados no escaninho do docente na quarta-feira (19). Vítima vai prestar depoimento em delegacia de Campinas.

Do G1 

Estudantes do Cotuca fazem ato contra bilhete preconceituoso deixado para professor — Foto: Ana Carolina de Moraes

A Polícia Civil de Campinas (SP) vai instaurar, nesta terça-feira (25), o inquérito para apurar ofensas racistas e homofóbicas contra um professor do Colégio Técnico de Campinas (Cotuca), vinculado à Unicamp. A informação foi confirmada pelo delegado do 4º Distrito Policial, responsável pela investigação, André Moreira. Os ataques foram deixados em um bilhete dentro do escaninho do docente de português.

De acordo com o delegado, a natureza da investigação será o artigo 20 da Lei de Crime Racial 7716/89, que trata de praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião e procedência nacional”. O professor vai prestar depoimento na delegacia nesta quarta-feira (26) e levará o bilhete para passar por perícia.

De acordo com a instituição, o bilhete foi deixado no armário do docente que é acessado pelos estudantes para deixar trabalhos escolares, o escaninho, na quarta-feira (19). O professor é substituto. Alunos informaram ao G1 e à EPTV, afiliada da TV Globo, que as ofensas contra ele vinham acontecendo há dias.

Em nota, o Cotuca informou que presta “solidariedade ao professor e exige respeito por todos os membros da comunidade”.

“O Cotuca preza pela convivência plural e diversa e não tolera nenhum tipo de discriminação. O Colégio repudia a ação e irá apurar o caso, buscando identificar as pessoas responsáveis e aplicar as medidas cabíveis”, diz o texto.

Leia Também:

Professor recebe bilhete com ataques racista homofóbico

+ sobre o tema

Pai pede desculpas após fantasiar filho negro de macaco e imagem viralizar nas redes

A foto foi registrada durante um bloco de carnaval em...

O caso Michael Brown e a hipocrisia no Brasil

Há dias quero escrever sobre a resposta da população...

Adolescente chamada de “macaca” ganha bolsa em escola particular

Diretora de colégio no Boqueirão procurou a mãe e...

Homicídios são a principal causa de morte de crianças e adolescentes, diz estudo

Por dia, 29 crianças e adolescentes são assassinadas no...

para lembrar

O que é racismo ambiental

Mais um fim de semana se passou no Brasil....

Caso “Kuku” reacende debate sobre o racismo em Portugal

No dia 5 de Dezembro de 2012, o Tribunal...
spot_imgspot_img

Da neutralidade à IA decolonial

A ciência nunca esteve isenta das influências e construções históricas e sociais do colonialismo. Enquanto a Revolução Industrial é frequentemente retratada como o catalisador...

O papel de uma líder branca na luta antirracista nas organizações 

Há algum tempo, tenho trazido o termo “antirracista” para o meu vocabulário e também para o meu dia a dia: fora e dentro do...

Mortes pela polícia têm pouca transparência, diz representante da ONU

A falta de transparência e investigação nas mortes causadas pela polícia no Brasil foi criticada pelo representante regional para o Escritório do Alto Comissariado...
-+=