Policial mata jovem negro nos EUA; gera novos protestos

Policial branco fora do horário de serviço matou um adolescente negro em St Louis na quarta-feira, disseram autoridades

Um policial branco fora do horário de serviço matou um adolescente negro em St Louis na quarta-feira, disseram autoridades, desencadeando uma noite de protestos a poucos quilômetros do local onde outro policial matou um rapaz negro, no subúrbio de Ferguson.

A polícia disse que o jovem de 18 anos estava armado e disparou três tiros ao ser perseguido pelo policial, e que eles recuperaram uma arma no local do tiroteio. O jovem foi morto quase dois meses após uma onda de protestos, alguns violentos, terem irrompido em Ferguson, após um policial branco ter matado a tiros um jovem negro de 18 anos, chamado Michael Brown.

No tiroteio de quarta-feira o homem morto era uma das três pessoas que fugiram após a aproximação do policial, um veterano de seis anos no departamento, mas que no momento estava trabalhando para uma companhia de segurança privada, disse o chefe da polícia metropolitana de St Louis, Sam Dotson.

O policial, que estava com o uniforme de guarda municipal, disparou 17 tiros no adolescente, segundo a polícia. Uma multidão de cerca de 200 pessoas reuniu-se no local no bairro de Shaw, a 18 quilômetros de Ferguson.

Muitos dos manifestantes seguiram em passeata por uma rua movimentada, parcialmente bloqueando o trânsito e gritando palavras de ordem, enquanto um helicóptero da polícia sobrevoava a área.

Teyonna Myers, 23 anos, disse ao jornal St. Louis Post-Dispatch ser a prima do suspeito e que ele estava desarmado quando foi morto. “Ele tinha um sanduíche na mão, e eles pensaram que era uma arma. É como Michael Brown, tudo de novo”, disse ao jornal.

A polícia não divulgou o nome do adolescente. Em certo momento, cerca de uma dezenas de pessoas deram chutes e socos em dois veículos policiais, sendo uma viatura e um veículo à paisana. Manifestantes quebraram o vidro de trás de uma viatura. Nenhum dos manifestantes, alguns dos quais vieram de Ferguson, tinha sido preso até o início da quinta-feira, segundo o chefe de polícia Dotson.

“Acredito que o departamento mostrou um grande comedimento”, disse Dotson em coletiva de imprensa. O policial, que não ficou ferido, foi colocado em licença administrativa e uma investigação está em andamento, disse a polícia.

Fonte: Exame

+ sobre o tema

Leci Brandão sai em defesa da Vai-Vai: ‘Nenhuma instituição está acima da crítica’

'A crítica social é necessária na medida em que...

Nota de esclarecimento GRCSES VAI-VAI

Em 2024, a escola de samba Vai-Vai levou para...

Moção de solidariedade da UNEGRO ao Vai Vai 

A União de Negras e Negros Pela Igualdade (UNEGRO),...

para lembrar

Protesto não é crime! Anistia Internacional

A preparação para a Copa do Mundo fez com...

Apreensões sobre o racismo norte-americano

A pequena cidade de Ferguson, no Missouri (centro dos...

A banalidade do extermínio

Seis jovens. Dois com 12 anos, um com 14,...
spot_imgspot_img

Após vítima de agressão ser detida, motoboys fazem ato contra o racismo no RS

Após um homem negro ser ferido com uma faca e preso por policiais, o Sindicato dos Motoboys de Porto Alegre, no Rio Grande do...

Abordagem a homem negro no RS: o que se sabe sobre motoboy preso após ser ferido com faca, em Porto Alegre

Uma abordagem policial acabou com um homem negro detido, neste sábado, após denunciar ter sido ferido com faca por um idoso de pele branca, em...

Valores de sociedades tradicionais africanas são imprescindíveis para educar e humanizar

"Coube ao Ocidente avançar na militarização e na tecnologia, mas caberá à África humanizar o mundo." Pode-se dizer que a frase de Nelson Mandela, registrada...
-+=