Por que Harvard está sendo acusada de favorecer estudantes brancos

Enviado por / FonteBBC, por Sam Cabral

A antiga e polêmica prática da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, de favorecer a admissão de candidatos que tenham laços familiares com a instituição está enfrentando agora uma ação na Justiça.

As chamadas legacy admissions — algo como “admissões por legado” — facilitam o ingresso de alunos cujos pais ou parentes tenham estudado em Harvard ou tenham doado dinheiro à instituição.

Os beneficiados são na maioria americanos brancos, uma vez que a maior parte das universidades de elite dos EUA só começou a admitir estudantes de grupos minoritários há uma geração.

Por isso, as admissões por legado são há muito tempo vistas como uma vantagem para os brancos e ricos.

Uma organização da sociedade civil acionou a Justiça nesta segunda-feira (03/07) pedindo que o governo impeça a continuidade desse tipo de admissão.

A ação foi apresentada poucos dias depois que a Suprema Corte americana decidiu que Harvard e outras universidades dos EUA não podem mais considerar a raça como um fator-chave nas admissões – por exemplo, com ações afirmativas para negros e latinos.

Em uma decisão histórica na quinta-feira (29/06), a mais alta corte do país votou por 6 a 3 para revogar as ações afirmativas, uma medida que já existe há décadas no país.

Estimulada pela decisão da semana passada, a Lawyers for Civil Rights (LCR) — uma organização sem fins lucrativos com sede em Boston — apresentou uma queixa na Justiça federal contra Harvard.

A LCR argumenta que a universidade concede “preferência especial em seu processo de admissão a centenas de estudantes em sua maioria brancos — não por qualquer coisa que eles tenham realizado, mas apenas por quem são seus parentes”.

A organização defende que a política de legacy admissions viola um artigo da Lei dos Direitos Civis e aponta para dados do National Bureau of Economic Research (NBER; Instituto Nacional de Pesquisas Econômicas, em tradução livre).

Eles mostram que quase 70% dos candidatos admitidos por “legado” são brancos e que esses alunos têm seis a sete vezes mais chances de serem admitidos em Harvard do que os que não se candidatam através dessa categoria.

O estudo do NBER acrescenta que, do total que novos estudantes brancos da universidade, mais de 43% entraram por admissões de legado; por fazerem parte da lista de interesse do reitor; por serem atletas ou filhos de professores e funcionários.

Harvard não quis se posicionar sobre o caso.

Apresentada em nome de três grupos que representam comunidades negras e latinas na região de New England, a ação pede que o Departamento de Educação do país investigue as admissões por legado de Harvard, considere-as ilegais e ordene que a universidade acabe com a prática se quiser continuar recebendo verbas federais.

“Não há direito de nascença em Harvard”, disse o diretor executivo da LCR, Ivan Espinoza-Madrigal, em um comunicado.

“Como a Suprema Corte observou recentemente, ‘eliminar a discriminação racial significa eliminar tudo isso’.”

Ele acrescentou: “Por que estamos recompensando os jovens por privilégios e vantagens acumulados por gerações anteriores? O sobrenome de sua família e o tamanho de sua conta bancária não são uma medida de mérito e não devem ter influência no processo de admissão na faculdade.”

A congressista Barbara Lee concordou. A democrata da Califórnia escreveu no Twitter: “Sejamos claros: a ação afirmativa ainda existe para os brancos. Chama-se admissão por legado.”

Harvard se recusou a comentar a ação apresentada nesta segunda-feira, mas direcionou à BBC sua resposta na semana passada, relativa à decisão da Suprema Corte.

No comunicado de quinta-feira passada, a universidade disse que continuaria a receber “pessoas de muitas origens, perspectivas e experiências”.

As admissões por legado já foram proibidas em instituições como a Universidade da Califórnia e todas as universidades públicas do Colorado.

Entretanto, esse tipo de admissão ainda responde por quase um quarto dos novos alunos em algumas das melhores universidades — as quais argumentam que a iniciativa constrói uma forte comunidade de ex-alunos e uma base de doadores.

+ sobre o tema

Da proteção à criação: os pós-docs negros da USP nas fronteiras da inovação

Desenvolvimento de produtos, novas tecnologias para a geração de...

Programa Erasmus oferece bolsas integrais na Europa

O Erasmus, programa promovido pela União Europeia para fomento a...

Projeto SETA tem novo financiador e amplia trabalho aprofundando olhar interseccional

O Projeto SETA (Sistema de Educação por uma Transformação Antirracista),...

para lembrar

6 filmes nacionais para trabalhar na sala de aula

Especialista em audiovisual e educação faz a indicação de...

Enem 2013 exigiu mais conteúdo e aumentou grau de dificuldade das questões

Apesar do pré-teste, uma questão passou sem resposta, afirmam...

Universidades espanholas oferecem 540 bolsas de estudo; saiba como se inscrever

São bolsas para pós-graduação, doutorado, pós-doutorado, cursos de empreendedorismo...

Um em cada dez estudantes no Brasil é vítima frequente de bullying

São adolescentes que sofrem agressões físicas ou psicológicas, que...
spot_imgspot_img

Provas do Enem 2024 serão em 3 e 10 de novembro; confira o cronograma

O cronograma do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2024 foi divulgado nesta segunda-feira (13). As provas serão aplicadas nos dias 3 e 10...

Da proteção à criação: os pós-docs negros da USP nas fronteiras da inovação

Desenvolvimento de produtos, novas tecnologias para a geração de energia, manejo ecologicamente correto na agricultura e prevenção à violência entre jovens nativos digitais. Essas...

Inscrições para ingresso de pessoas acima de 60 anos na UnB segue até 15 de maio; saiba como participar

Estão abertas as inscrições do Processo Seletivo para Pessoas Idosas que desejam ingressar nos cursos de graduação da Universidade de Brasília (UnB) no período...
-+=