Pretos e pardos na Câmara dos Deputados: negros ocuparão apenas 26% das cadeiras

Direita e centro dominam a lista e elegem mais parlamentares pretos e pardos, em comparação com a esquerda

Apesar de representarem 47% das 10.629 candidaturas a deputado federal, negros serão apenas 135 dos eleitos - Douglas Magno / AFP

Apesar de representarem 47% das 10.629 candidaturas a deputado federal, negros – a junção de pretos e pardos, foram eleitos para ocuparem apenas 135 cadeiras da Câmara dos Deputados, 26% do total, a partir de janeiro de 2023.

O número representa um aumento de 9%, em relação a eleição de 2018, quando 124 candidatos negros foram eleitos. Na legislatura eleita em 2014, esse número era ainda menor, apenas 102, dos 513 deputados federais, eram pretos ou pardos.

No Brasil, 56% da população se autodeclara negra, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistícas (IBGE). Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 52% dos eleitores são pretos ou pardos.  

Os candidatos brancos garantiram 370 cadeiras na Câmara dos Deputados, 72% das 513 vagas. Em 2018, eram 387, 75% do total. Quatro anos antes, em 2014, esse grupo representava 80% da ocupação da Casa.

Partidos

As siglas de direita ou extrema-direita elegeram mais candidatos negros, em comparação com os partidos de esquerda, que pregam a inclusão de pretos e pardos no Congresso Nacional. Serão 60 pretos ou pardos conservadores em PL, Republicanos e PP.

O PL, sigla de Jair Bolsonaro, de extrema-direita, será o partido com mais deputados federais que se autodeclaram negros, 25, o que representa 25% dos 99 eleitos pela legenda.

Ainda no espectro de direita, está o Republicanos, que elegeu 20 negros, 49% do total de eleitos do partido. Em seguida, o PP, que levou 15 pretos ou pardos para o Congresso Nacional, 32% de suas candidaturas vitoriosas.

Entre os partidos de esquerda, 34 candidatos negros foram eleitos. O PT puxa a fila, com 16 candidaturas pretas ou pardas consagradas nas urnas, 23% dos 68 eleitos pelo partido.

Seis candidaturas de negros, entre as 14 eleitas pelo PDT, saíram vitoriosas da corrida eleitoral e chegaram à Câmara dos Deputados. Em seguida, aparecem PCdoB (4), PSOL (3), PSB (2), PV (2) e Rede (1).

Os partidos de centro também elegeram mais deputados federais negros, em comparação com a esquerda. Entre os vitoriosos do União Brasil, 17 são pretos e pardos, 29% do total. Em seguida, aparecem MDB (8), PSD (6), Podemos (5), Avante (2), Pros (2) e Solidariedade (1).

-+=