Professor é preso em Teresina por crime de racismo nas redes sociais

Foi preso na manhã desta sexta-feira (10) o ex-professor e estudante de História da Universidade Federal do Piauí, Fabrizio Cunha, investigado por mensagens racistas contra negros e índios nas redes sociais. Sua prisão foi pedida em fevereiro deste ano, pelo delegado Emir Maia, então titular da Delegacia de Direitos Humanos e Repressão às Condutas Discriminatórias. O professor havia fugido para a Holanda e estava em Teresina desde o último sábado (4). Ele foi preso pelo delegado João Paulo de Lima, agora à frente da especializada.

Por Maria Romero e Yala Sena, do Cidade Verde

De acordo com o delegado Emir Maia, o ex-professor – que chegou a ministrar aulas de História no colégio Dom Barreto – foi preso em sua casa, no bairro Planalto Ininga, zona Leste de Teresina, por volta das 9h de hoje. O delegado João Paulo deu cumprimento ao mandado de prisão preventiva.

“Ele pregava mensagens de ódio e de preconceito, incitando extermínio dos negros, prática essa odiosa e que não só a sociedade como a polícia civil não tolera e estará sempre atenta. O indiciado achava que fugindo para a Holanda iria ficar imune de seus delitos cometidos no Brasil. Nós continuamos monitorando seus passos e quando ele entrou sábado no Brasil eu, pessoalmente, comuniquei ao meu chefe superior para que ele determinasse a prisão desse rapaz”, relatou.

Após a prisão, o jovem foi levado à delegacia geral, onde prestará depoimento. O delegado geral, Riedel Batista, destacou que a prisão serve como exemplo para casos de crimes nas redes sociais, em que muitas vezes os autores acreditam que ficarão impunes.

“E internet não é mais um território sem lei. As pessoas acham que não estão comentendo crimes, que não serão responsabilizados por seus atos, mas há os crimes de racismo, injúria e difamação, que são bastante comuns. Hoje Dercat, que funciona no Greco, que com alta tecnologia consegue indentificar e punir esses criminosos”, declarou.

Racismo

As mensagens de Fabrizio foram publicadas e começaram a ser denunciadas no início de fevereiro deste ano. Ao todo, pelo menos 120 vítimas procuraram a polícia para denunciar suas publicações. Nas postagens, ele afirmava que negros pertencem a uma “raça inferior”. Além disso, dizia que índios são “animais que vivem na natureza como os irracionais”.

5b0cc58efd8ef1aa953f9e16b9c942c7

c63031db5a12d29a33bfebb029e1632a

1a4abff84a4cdbfbd95946b2a09acda8

“Esse psicopata prega o extermínio dos negros no Brasil e de todo o continente americano. Ele é um psicopata que merece estar encarcerado,  e por isso hoje a policia civil e a sociedade, que nos ajudou, fizeram a captura dele. Ele agora está no IML, fazendo exame de corpo de delito”, comentou o delegado Emir Maia.

A legislação brasileira separa racismo de injúria racial. Enquanto a injúria racial consiste em ofender a honra de alguém valendo-se de elementos referentes à raça, cor, etnia, religião ou origem, o crime de racismo atinge uma coletividade indeterminada de indivíduos, discriminando toda a integralidade de uma raça. Ao contrário da injúria racial, o crime de racismo é inafiançável e imprescritível.

 

+ sobre o tema

Ações afirmativas deixarão Defensoria Pública mais democrática

Por Rafael Custódio, Sheila de Carvalho, Silvio Luiz de Almeida e Daniel Teixeira Nesta quinta-feira (23/10),...

Reação à pobreza tem de ir além da política

Num intervalo de quatro décadas e quase uma dúzia...

Imagem acolhedora do Brasil não se aplica a imigrantes negros, diz sociólogo

A imagem do Brasil como uma terra acolhedora não...

O racismo na “terra da liberdade”

Os protestos na cidade de Ferguson, em agosto, ressuscitam...

para lembrar

Maioria do STF vota pela imposição de mais mudanças na segurança pública do Rio

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF)...

Tais Araújo fala sobre o preconceito na adolescência

Taís Araújo conversou com Regina Casé, sobre preconceito...

Cariocas convocam boicote a restaurante onde gerente ofereceu banana a entregadores negros

Cariocas criaram dois eventos no Facebook, convocando para boicotes...

Conferência nacional discute igualdade dos povos

- Fonte: Gazeta Web- Thinkstock/Getty Images Evento foi construído com...
spot_imgspot_img

Presos por racismo

A dúvida emergiu da condenação, pela Justiça espanhola, de três torcedores do Valencia por insultos racistas contra Vini Jr., craque do Real Madrid e da seleção brasileira. O trio...

Formação territorial do Brasil continua sendo configurada por desigualdades, diz geógrafo

Ao olhar uma cidade brasileira é possível ver a divisão provocada pela segregação espacial no território, seja urbano, seja rural. A avaliação é fruto...

Família de João Pedro protesta contra decisão que absolveu policiais

Os parentes do adolescente João Pedro, morto por policiais civis durante uma operação na comunidade do Salgueiro, em São Gonçalo, no Grande Rio, em...
-+=