Professora negra de Minas Gerais é ofendida por mãe de alunas

Áudio com as declarações racistas absurdas da mãe foi divulgado na internet.

por Aurora Rosa Silvestre no 1 News

Infelizmente, o racismo no Brasil ainda é uma questão que causa revolta e envergonha uma das nações formadas pelas mais diversas formas de miscigenação. Um áudio que ganhou a internet devido ao conteúdo absurdo causou revolta nas últimas horas, nas mais diversas redes sociais.

Nele, Luciana Faria Diniz, moradora de Araporã, cidade interiorana de Minas Gerais, dispara diversas ofensas racistas contra professoras da escola onde a filha estuda.

Tudo começou quando Luciana conversa em um aplicativo com outra professora da instituição, se mostrando indignada pelo fato de ter ficado sabendo que a professora de uma de suas filhas é negra.

A professora com quem ela conversou resolveu divulgar o áudio com as ofensas. Nele, Luciana ataca as professoras Roberta Renout e Vanilda Batista de Oliveira, por serem negras.

Veja alguns trechos:

“Tá desgraçado, É preto de lá, preto de cá (…) Que desgrama tinha que pegar tanto preto do meio do ano pra frente. A (professora) da Lauriele agora é um tal de Roberta Renout, uma negra feia do beiço revirado(…) pra passar batom naquele beição, gasta uns quatro”.

Além de ofender as professoras, Luciana ainda ser refere a outros negros. Em tom de deboche ela diz: “Com preto mesmo, eu não dou certo. Quando chego perto de um, está com subaqueira, chego perto de outro, os dentes tá fedido, tá com a boca podre.”

Após o escândalo, Luciana tentou se defender no Facebook, dizendo que as declarações foram dadas em um momento de raiva, assumiu o erro e disse não ser uma má pessoa. Ainda acusou a professora Sônia Lima, que divulgou os áudios racistas, de traição.

Como não poderia ser diferente, Luciana foi muito criticada na postagem que fez e, logo em seguida, a apagou.

Roberta Renout registrou um Boletim de Ocorrência, pois, no Brasil, racismo é crime. Em uma entrevista, a jovem professora disse que se sentiu muito mal com os insultos que Luciana direcionou a ela e a outra colega de profissão.

A prefeitura de Araporã emitiu uma nota repudiando os atos de racismo contra as docentes que trabalham na rede municipal de ensino do município. Alguns moradores se disseram envergonhados com a atitude infeliz de uma moradora da cidade.

+ sobre o tema

Foi a mobilização intensa da sociedade que manteve Brazão na prisão

Poucos episódios escancararam tanto a política fluminense quanto a...

Selo Sesc lança Relicário: Dona Ivone Lara (ao vivo no Sesc 1999)

No quinto lançamento de Relicário, projeto que resgata áudios...

Em autobiografia, Martinho da Vila relata histórias de vida e de música

"Martinho da Vila" é o título do livro autobiográfico...

para lembrar

Carta de repúdio ao racismo praticado na formatura de História e Geografia da PUC

Durante a tradicional cerimônia de formatura da PUC, onde...

Sociologia e o mundo das leis: racismo, desigualdades e violência

Foi com muita satisfação que recebi o convite do Justificando para...

PARANÁ: Caso de racismo leva treinador a pedir demissão no estadual

  O treinador Agenor Picinin pediu demissão do...

Ele perguntou se eu preferia maçã, conta vítima de racismo em Confins

Preso em flagrante por injúria racial, advogado terá que...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

‘Escravo’, ‘urubu’: crianças são vítimas de racismo; denúncias passam de 3 mil em escolas estaduais em SP em 2023

Mais de 3 mil denúncias de discriminação em escolas estaduais de São Paulo foram registradas somente em 2023. Os casos aumentaram 500% nos últimos 5...

No Mês da Primeira Infância, é preciso reafirmar o enfrentamento ao racismo desde o começo da vida

Em julho deste ano, a Presidência da República proclamou agosto como o Mês da Primeira Infância para promover ações de conscientização sobre a importância...
-+=