Projeto incentiva resgate da cidadania

Por trás dos projetos e ações da rede Índios Online está o argentino Sebastian Gerlic, presidente da ONG Thidewas. Apesar da formação em história, quando ainda vivia em Buenos Aires, ele se dedica à área audiovisual desde 1990

Em 2002, após uma década durante a qual produziu vários documentários, ele decidiu aposentar a filmadora para dedicar-se exclusivamente ao trabalho nas aldeias indígenas.

Fonte: Folha Online 

Leia, abaixo, trechos da entrevista que Gerlic concedeu à Folha. (CM)

FOLHA – Como foi seu encontro com os indígenas e como nasceu o trabalho com eles?

SEBASTIAN GERLIC – Em abril de 2000, enquanto colhia depoimentos de lideranças indígenas para um documentário independente durante uma grande marcha de indígenas que seguia de Coroa Vermelha, onde Cabral rezou a primeira missa, a Porto Seguro, fui vitima, junto com os índios, de um ataque da Polícia Militar.

Imagina um bando de índios com cocar sendo atacados por uma tropa com 300 cavalos, helicópteros, gás lacrimogêneo e balas de borracha.
As bombas passaram tão perto que prometi a mim mesmo que, saindo com vida, me dedicaria a trabalhar com os indígenas em algum projeto envolvendo tecnologia e sustentabilidade.

Penso que o sentido da palavra civilização está em xeque. Afinal, para onde progredimos?

Para a morte? Por isso escolhi trabalhar com os índios, eles são exemplos de que podemos viver socialmente de outra forma, orquestrados com a natureza, sendo parte dela.

FOLHA – Qual é a sua avaliação do conteúdo produzido pelo projeto até agora?
GERLIC
– Quando começamos o projeto Índios Online, pensamos que o foco seria o resgate cultural e a projeção do modo de vida do índio. Isso de fato foi feito, mas, ao se apropriarem da tecnologia, nos surpreenderam ao usá-la para a cidadania, com informações que vão desde orientações simples, de como tirar documentos diversos e abrir contas em bancos, até usos mais complexos, como acompanhar a destinação de recursos do governo.

Agora, com o projeto Celulares Indígenas, pensei que a utilização seria mais para denúncias e reivindicações. Mais uma vez, me enganei: a escolha foi pela ficção.

 

+ sobre o tema

Com malária, Camila Pitanga defende o SUS. E isso nunca foi tão necessário

No começo da pandemia do Coronavírus, foi noticiado que...

Quem ganha com a desconcentração da publicidade oficial é a sociedade.

Alguma coisa é melhor que nada. por : Paulo Nogueira...

7 clichês contra Direitos Humanos desconstruídos por colunistas do Justificando

Essa semana foi divulgada pelo Datafolha uma pesquisa indicando...

para lembrar

Oxfam Brasil contrata Coordenador(a) de Engajamento Público

IPO Instituto apoia a Oxfam nesta contratação  Sobre a Oxfam...

Afronta, mídia negra e livre

A jornalista Etiene Martins, de 31 anos, é a...

Pesquisa mostra jovens divididos em relação ao aborto

RIO - Jovens progressistas, mas divididos em relação ao...

Racismo faz mal à saúde

O artista Arthur Bispo do Rosário, "o Bispo", e...
spot_imgspot_img

Curso introdutório de roteiro para documentário abre inscrição

Geledés Instituto da Mulher Negra está promovendo formações totalmente online para jovens negres em todo o Brasil. Com um total de 6 formações independentes...

Desenrola para MEI e micro e pequenas empresas começa nesta segunda

Os bancos começam a oferecer, a partir desta segunda-feira (13), uma alternativa para renegociação de dívidas bancárias de Microempreendedores Individuais (MEI) e micro e...

“Geledés é uma entidade comprometida com a transformação social”, diz embaixador do Brasil no Quênia

Em parceria com a Embaixada do Brasil no Quênia, Geledés - Instituto da Mulher Negra promoveu nesta sexta-feira 10, o evento “Emancipação Econômica da...
-+=