Projeto do YouTube mostrou que é importante valorizar a produção de youtubers negros

Neste mês da Consciência Negra, o Youtube organizou uma semana de encontro entre youtubers negros para debater a produção de conteúdo desses criadores.

Por Natália Sena para o Portal Geledés 

O projeto YouTube Negro foi uma iniciativa do Youtube Space SP, justamente para valorizar a produção de youtubers negros  como Ana Paula Xongani, Xan Ravelli, Gabi Oliveira,  Joyce Gervaes ,Tati Sacramento, Muro Pequeno, Magá Moura, Tássia Reis, Egnalda Côrtes , PH Côrtes e a diva  Elza Soares.

nataly-neri

A youtuber Nataly Neri, deu uma palavrinha para o Portal Geledés e falou como foi a experiência de  ter seu canal como emissor desse projeto. Confira:

PG: Como surgiu a ideia de divulgação de YouTubers negros no mês da consciência negra?

Nesse ano tivemos vários projetos de afirmação. O primeiro deles foi um projeto de mulheres criadoras do qual eu participei  e que buscou mulheres que falavam de diversas coisas no YouTube, para discutir a importância de mulheres criando conteúdo. Depois tivemos a campanha ‘Orgulho de Ser’, que buscou discutir a questão LGBT na plataforma com apoio do YouTube.

E agora criamos o YouTube Negro, que surgiu em grande medida, por conta desses projetos anteriores. Afinal, se falamos da mulher e da comunidade LGBT, também devemos falar da  situação do negro, do criador negro, da pessoa negra na plataforma. E não falamos unicamente de discutir negritude, estamos falando de discutir negritude com pessoas que estão aqui no YouTube produzindo conteúdo, conteúdo de muita qualidade, engajado e interessante. Esse projeto surgiu também para tirar os YouTubers negros desse limbo, afinal, existem muitos canais que estão produzindo muito conteúdo mas não tem a visibilidade e o alcance que merecem e, como reflexo da sociedade em que vivemos,  quem domina o YouTube brasileiro são as pessoas brancas.

Existem pessoas, tanto branca quanto negras, que nem sequer sabem que o nosso conteúdo existe, que não conhecem a quantidade de coisas maravilhosas que estamos produzindo. O primeiro passo é  mostrar para essas pessoas que falamos sobre negritude, feminismo, maternidade, racismo e sobre todas essas e outras questões na plataforma. E que ela também é um espaço de informação. Foi inspirado por todos esses questionamentos e incômodos que projeto nasceu, inspirado nesses dois outros dois projetos anteriores.

Esse é o movimento global do YouTube, o de mostrar que ele é uma plataforma que vai sim competir com os outros espaços porque justamente pode abraçar várias narrativas.

nataly

 Tati Sacramento, Nataly Neri  e Joyce Gervaes

PG: É importante que o homem negro e a mulher negra falem sobre beleza dentro do Youtube?

Eu acho que homens e mulheres negras podem falar sobre beleza no YouTube,  mas também  devem falar de muito mais.  Temos que falar sobre tudo, não podemos  achar que ao ir para YouTube vamos falar apenas sobre racismo e  luta anti-racista,  isso é uma consequência da nossa realidade, uma consequência do que vivemos, É de extrema importância que se tenha mulheres negras na plataforma falando de tecnologia, beleza,  mercado de trabalho, construção civil,  arte, cultura Geek, temos que falar sobre tudo, porque vivemos tudo.  Claro,  que  falar sobre beleza é uma porta de entrada muito grande,  e é inclusive o que eu uso no meu canal,  falo de beleza porque já se tem uma adesão das mulheres negras e das pessoas de um modo geral sobre este assunto, este é um primeiro passo muito grande, é uma forma de conseguir público mais rápido, devemos discutir sobre a nossa estética não só para atrair pessoas, mas também  porque é fundamental que como pessoas negras possamos discutir a valorização do nosso cabelo, dos nossos traços, das nossas características físicas. O empoderamento estético não pode ser um fim único, ele tem que ser uma das ferramentas para uma emancipação muito maior que é intelectual, econômica, psicológica, entre outras.

Não podemos negligenciar e desvalorizar tudo que o empoderamento estético traz, mesmo sabendo que ele não é o único fim. É importante saber que nós enquanto população negra, estamos armados para outras coisas além da auto-estima para enfrentar a sociedade racista.

PG: Porque o YouTube como plataforma consegue focar na representatividade e a TV ainda não?

Existe essa consciência plena de que a televisão é obsoleta, e de que nós como os criadores seremos as próximas pessoas a falar, formar caráter, passar informações, esses criadores devem ser valorizados porque estão no YouTube, a televisão é dominada por grandes famílias que determinam como o brasileiro vai pensar e sobre o que o brasileiro vai falar.  Nunca tivemos abertura enquanto população negra nesse espaço porque o acesso sempre foi restrito e os limites determinados pelas classes dominantes do Brasil.

PG: O YouTube está promovendo YouTubers negros para o público negro, quando  vi as redes sociais do YouTube não consegui encontrar essa diversidade ou representatividade. Na fanpage do Facebook só tem YouTubers brancos por exemplo, como você enxerga essa contradição?

É de fato uma grande contradição, este movimento do YouTube Negro é com certeza um movimento de luta pessoal de muitas pessoas negras que estão dentro deste espaço. Quando estamos falando de YouTube estamos falando de Google, que é uma empresa multinacional e que domina praticamente tudo. Estamos falando de um conglomerado gigante que determinou que as pessoas que tem mais visualizações serão mais valorizadas.  Essas pessoas que todos falam e que hoje são a cara do YouTube, são os top creators, com milhões de seguidores, visualizações e consequentemente, dinheiro para a plataforma.

Nós, criadores negros no geral ainda não temos a mesma relevância econômica para o YouTube, por questões quantitativas, de alcance. Entretanto, estamos trabalhando para mudar essa realidade porque precisamos sim de mais criadores negros com um milhão, dois milhões e três milhões de acessos, para que assim possamos ser a cara do YouTube também.  De fato há uma grande contradição, por outro lado há um esforço e uma dedicação muito grande de pessoas que estão dentro da empresa para transformar essa realidade e isso deve ser valorizado.

15095441_1219599888085997_5501361509608249445_n

PG: Quais são as expectativas após essa sequência de vídeos? Não só para o seu canal mas também para os outros canais de YouTubers negros?

Espero que todos os canais participantes e os não participantes deste projeto,  possam ter toda a visibilidade que merecem . E principalmente espero que possamos ter reconhecimento,  que sejamos conhecidos como criadores de conteúdo relevante, interessante e engajado,  que as pessoas possam consumir o conteúdo  dos YouTubers negros tal qual consomem outros conteúdos.

É fundamental que este projeto seja um projeto de sucesso e alcance muitas pessoas.  Se 50% dessas pessoas, em algum momento, escutassem o que falamos em cada vídeo,  elas entenderiam as coisas de uma forma diferente, se abririam às discussões fundamentais para a luta anti-racista no Brasil.

Confira alguns videos:

+ sobre o tema

Ilda Lando angolana vai representar MS em concurso Miss Brasil World 2013

A estudante Ilda Lando, de 20 anos, vai representar...

Cantora Aretha Franklin cancela mais três shows

A cantora de soul Aretha Franklin adiou mais três...

Após acidente, filho de Usher apresenta melhora mas segue internado

De acordo com informações divulfadas pelo site TMZ, Usher...

Estilista exalta mulher negra na Semana de Moda de Paris e vira hit no mundo da moda

Estilista exalta mulher negra na Semana de Moda de...

para lembrar

Filme sobre Obama chega no dia 16 à Netflix

A juventude do presidente Barack Obama está sendo retratada no...

20 filmes, documentários e séries para assistir no Black History Month

Nos Estados Unidos, o mês de fevereiro também é...

Para Robin Wright, Michelle Obama seria ‘uma presidente formidável’

Em participação no Festival de Cannes, atriz falou sobre...
spot_imgspot_img

Clipe de Michael Jackson gravado no Brasil supera 1 bilhão de plays no YouTube

"They don't care about us", clipe gravado por Michael Jackson no Brasil, superou 1 bilhão de visualizações no YouTube. O vídeo foi feito em 1995, no...

YouTube Music celebra artistas negros em quatro coleções exclusivas

 Como forma de exaltar a cultura afro-brasileira, o YouTube Music lança  quatro novas coleções exclusivas, formadas por playlists, álbuns e videoclipes, que colocam como...

YouTube anuncia fundo de US$ 100 milhões para influenciadores negros

O YouTube abre no próximo dia 21 de junho as inscrições para a sua segunda seleção de influenciadores negros interessados em participar do projeto Vozes Negras. O processo...
-+=