Rainha Quelé

Essa mulher jamais deve ser esquecida! Clementina de Jesus, uma mulher negra que muito nos orgulha, nos representa. Um exemplo de resistência. Nascida no estado do Rio de Janeiro, cantora popular, de terreiro e ex-doméstica, cantava por descontração e só fez um show após ter 60 anos de idade. Como não se identificar com ela? Presto minha homenagem a ela, salve mulher negra de luta.

 Por Aline Alves Joaquim, do Imprensa Feminina

Reverenciava os laços entre Brasil e a “África” com cânticos religiosos em Iorubá, relembrando sua ancestralidade e também canções de romaria. Com sua voz potente e inconfundível, ela incansavelmente resgatou essa ligação que nos difere de qualquer outro povo. Marcante também foi seu partido alto, mas todos esses elementos fizeram com que ela fosse essa figura icônica.

De 1901 até 1987. Esse foi o tempo que essa sensacional mulher viveu. Ela foi o reflexo de muitas mulheres negras, inserida em um espaço que lhe foi atribuído com o trabalho doméstico e a negação de outros espaços, mas que arduamente conquistou com seu inegável talento.

images (2)

Viveu por 86 anos, mas teve apenas 24 de carreira artística. Foi grande a espera para que essa voz nos fosse alcançada e disseminada. É um dos nossos símbolos de resistência com sua música em forma de reconhecimento e resgate do povo negro.

Que todos nossos representantes nos cheguem há tempo, que nenhuma invisibilidade nos persiga , salve ancestralidade, salve resistência negra, salve Clementina!

+ sobre o tema

Grupo New Hit – Mexeu com uma, mexeu com todas!

Hoje, na manhã de 16 de outubro de 2012,...

Violência doméstica: 5 obstáculos que mulheres enfrentam para denunciar

Apesar de avanços da Lei Maria da Penha, mulheres...

Abdias Nascimento, por Sueli Carneiro

"Sempre que penso em Abdias Nascimento o sentimento que me...

Fábulas, por Sueli Carneiro

Fonte: Jornal Correio Braziliense - Coluna Opinião Era uma vez...

para lembrar

Aplicativo ajuda a combater violência contra a mulher no Rio Grande do Sul

Com apenas quatro toques, a polícia, a Justiça e...

Seminário reúne mulheres para discutir economia e política no Rio de Janeiro

Quando o sol nasce, a mulher negra desce morro...

Comitê feminista afasta advogada de Neymar: “cortamos na própria carne”

Ao assumir nesta quinta-feira (6) a defesa do jogador...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=