Recordista de jogos pela seleção, Formiga é primeira mulher a receber a Bola de Prata

Ela é um símbolo para o futebol feminino brasileiro, recordista pela seleção canarinho, presente em todos os campeonatos disputados pela equipe nacional e única jogadora no mundo a estar presente em todas as edições olímpicas do futebol feminino. Formiga, 38, pode até não ser craque como Marta, mas a volante tem justificativas de sobra para receber o Prêmio ESPN Bola de Prata SPORTINGBET, tornando-se a primeira mulher laureada na história do troféu.

Por Francisco de Laurentiis, Igor Resende e Rafael Valente Do ESPN

A escolha de Formiga foi pelo que ela representa para o futebol feminino e faz parte das inovações da tradicional premiação do futebol brasileiro. O troféu foi dado para a jogadora nascida em Salvador nesta segunda-feira, no Teatro Santander, em São Paulo.

Formiga é uma bandeira da seleção feminina de futebol. Acumula marcas únicas. Participou das seis edições do torneio feminino de futebol na Olímpiada (recorde), jogou seis Copas do Mundo (recorde ao lado da japonesa Homare Sawa), é a jogadora mais velha a marcar em Copas (fez isso com 37 anos em 2015) e soma 151 partidas pela seleção.

Nascida em Salvador, Formiga é também a jogadora a mais tempo a serviço da seleção brasileira. A trajetória começou em 1995 e já são 21 anos. Trajetória que foi encerrada neste ano. Após os Jogos Olímpicos, a volante anunciou a aposentadoria da seleção.

Entre as glórias alcançadas por ela, destacam-se três títulos dos Jogos Pan-Americano (2003, 2007 e 2015), duas medalhas de prata olímpicas (2004 e 2008), um vice (2007) e um terceiro lugar (1999) na Copa do Mundo.

Com a premiação dada a Formiga neste ano, a ideia é que no próximo ano ocorra uma premiação feminina nos mesmos moldes do que há para o Brasileiro masculino.

Assim, as jogadoras passarão a ser avaliadas a cada partida do Campeonato Brasileiro feminino, que a partir de 2017 será organizado pela CBF.

+ sobre o tema

Por um movimento LGBT mais transversal

Lutas pela livre expressão da sexualidade serão muito mais...

Epistemicídio

Muitas são as razões que advêm de uma realidade...

Pesquisa confirma discriminação contra homossexuais nas escolas

Estudo realizado pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar),...

para lembrar

Você não é mãe dele

Dedico este texto à minha amiga Gabriela Fernandez Por Brena O'Dwyer /Ilustração:...

Socióloga Vilma Reis é eleita nova ouvidora-geral da Defensoria da BA

Eleita disputou vaga com o historiador Marcos Rezende e...

No Dia Internacional da Mulher, minha homenagem é admitir meu machismo

Hoje muitos de nós homens prestaremos homenagens pelo Dia...

Pesquisa traz retrato do machismo no jornalismo brasileiro

O Sindicato dos Jornalistas de São Paulo divulga pesquisa...
spot_imgspot_img

Documentário sobre Lélia Gonzales reverencia legado da ativista

Uma das vozes mais importantes do movimento negro e feminista no país, Lélia Gonzales é tema do Projeto Memória Lélia Gonzalez: Caminhos e Reflexões Antirracistas e Antissexistas,...

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

Lançamento do livro “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”

O caminho para a criação de uma lei geral que reconheça e responda a todas as formas de violência de gênero contra as mulheres...
-+=