Reforma da Previdência: governo quer limitar acúmulo de aposentadoria e pensão por morte

A reforma da Previdência, que mudará as regras de acesso a benefícios concedidos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), deverá restringir o acúmulo de pensão por morte e aposentadoria pagos a um mesmo segurado. A ideia, segundo uma fonte ligada ao grupo que trata do tema, é manter a concessão dos dois, limitando, porém, o valor de um dos pagamentos. A mudança seria da seguinte forma: caso tenha dois benefícios pagos pelo INSS (uma aposentadoria decorrente de seu trabalho e uma pensão pela morte do cônjuge ou do companheiro, por exemplo), uma segurada ficaria automaticamente com o de maior valor e, o segundo, seria pago com uma redução entre 30% e 60%.

Por Bruno Dutra Do Extra

A proposta inicial seria não permitir o acúmulo de forma alguma, mas isso dificultaria a aprovação do texto no Congresso Nacional. O percentual de redução do segundo pagamento, porém, ainda não é consenso e precisa ser discutido antes do fechamento das propostas. Vale destacar, porém, que o valor reduzido não poderá ser inferior ao piso pago atualmente pela Previdência Social, de R$ 880.

O projeto de reforma tenta reduzir e futuramente acabar com o déficit crescente dos cofres do INSS. Para este ano, estima-se um rombo de R$ 167 bilhões. Segundo o economista especialista em Previdência, Paulo Tafner, a medida é uma forma de cortar as “gorduras excessivas” do sistema previdenciário do país:

— Este é um dos principais problemas a serem atacados porque, com o crescimento da participação da mulher no mercado de trabalho, tem disparado o número de segurados que recebem aposentadoria e pensão por morte ao mesmo tempo. Se as regras não mudarem, o sistema não se sustentará por muito mais tempo. Nossos filhos e netos pagarão um preço alto.

+ sobre o tema

Aprovado no Senado, PL dos planos de adaptação esboça reação a boiadas do Congresso

O plenário do Senado Federal aprovou nesta terça-feira (15/05)...

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um...

para lembrar

Deuza: nova primeira-dama de SP diz ter aversão ao governo Lula

Deuza Goldman esposa do governador Alberto Goldman que...

Na ONU, Brasil será alvo de acusação de genocídio de indígenas e negros

O governo brasileiro será alvo de denúncias nesta segunda-feira,...

Obama anunciará plano de US$50 bi para ajudar emprego

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack...

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda 2024, ano-base 2023, termina em 31 de maio. Até as 17 horas do dia 30 de...

Mulheres em cargos de liderança ganham 78% do salário dos homens na mesma função

As mulheres ainda são minoria nos cargos de liderança e ganham menos que os homens ao desempenhar a mesma função, apesar destes indicadores registrarem...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as raízes africanas do movimento que culminou na queda da ditadura em Portugal. O 25 de abril...
-+=