Guest Post »

Reunião define que Maceió terá plano de erradicação de preconceitos

Ações de combate à violência contra a população negra ganharão mais força na capital alagoana

Do Tribuna Hoje

As ações de combate à violência contra a população negra ganharão mais força na capital alagoana. Já nos próximos meses, a Prefeitura de Maceió, por meio da Secretaria Executiva do Gabinete do Prefeito (SEGP), vai iniciar o 1º Ciclo de Formação Técnica em Legislação Antirracismo, Garantia de Direitos e Liberdade Religiosa. A ação, que será voltada para agentes públicos e sociedade civil, faz parte das articulações do Comitê Municipal Juventude Viva. O projeto foi apresentado nesta quinta-feira (5), em Brasília, durante audiência com a ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Nilma Lino Gomes.

De acordo com o prefeito Rui Palmeira, o Ciclo prevê, entre outras ações, a constituição de uma Rede Municipal de enfrentamento da violência, assim como a contínua formação de representantes e gestores públicos.

“O objetivo do trabalho é erradicar todas as formas de preconceito nas estruturas públicas do Município. O Ciclo propõe um divisor de águas no enfrentamento político contra as desigualdades sociais e raciais em Maceió. Com mais essa ação, nós iremos planejar e executar políticas de promoção da igualdade racial, além de proteger os direitos de indivíduos e grupos étnicos atingidos pela discriminação”, disse Rui.DSC_0125-1024x633(Foto: Ascom / Seppir)

Resultado do Ciclo, a Rede de Enfrentamento à Violência deve ter como metas articular e desenvolver ações conjuntas entre gestores e órgãos públicos, envolvendo as diferentes áreas que compõem a administração pública municipal, além dos entes federados apoiados por universidades e instituições da sociedade civil no combate ao racismo e com a participação cidadã.

A coordenadora do Comitê Municipal Juventude Viva e também secretária executiva do Gabinete do Prefeito, Adriana Toledo, destacou ainda que o trabalho é uma iniciativa da Prefeitura a frente do Comitê Municipal Juventude Viva. “Seremos a segunda capital do Brasil a desenvolver um trabalho de combate ao racismo institucional. Mais uma vez, Maceió sai na frente no Juventude Viva, o que reforça o compromisso da gestão liderada pelo prefeito Rui Palmeira, que, inclusive, entregou o projeto à ministra da Igualdade Racial, Nilma Lino Gomes”, explicou a secretária.

DSC_0136-1024x660(Foto: Ascom / Seppir)

“O Ciclo terá participação de toda a administração municipal e instituições parceiras da sociedade civil, além de órgãos de outras esferas de poder. O projeto deve ser desenvolvido de maneira intersetorial com o apoio do setor público, além das fundamentais representações de juventude e negras”, reforçou a secretária.

Cerca de 600 servidores devem participar das oficinas, entre eles guardas municipais, funcionários dos Centros de Referência e Especializados de Assistência Social (Creas e Cras), unidades de saúde e escolas.

“Será uma oportunidade para que os servidores reconheçam os preconceitos arraigados pela sociedade e possam trabalhá-los. O que não se pode permitir é que instituições e servidores públicos sejam reprodutores de preconceito, seja ele qual for”, complementou Rui Palmeira.

Acompanharam Rui Palmeira na audiência as secretárias municipais do Gabinete do Prefeito, Adriana Toledo, e da Educação, Ana Dayse Dorea.

Related posts