Revista Cotidiana

Oi, tudo bem? Deixa eu me apresentar
Sou Carolina e minha mãe foi trabalhar
Só eu e ela, tive que faltar
Todo esse tempo, com irmão doente e outro a nanar
Não fiz a lição de casa, sem tempo pra estudar
E o meu pai eu nunca nem ouvi falar
Um dia ouvi que sou sem futuro e na matéria vou bombar
Preta, pobre e sem espaço, tudo bem, já entendi o meu lugar

Eu sou a escola!

E aí? Eu sou Dandara, tá ligado?
E o papo já foi passado
Se eu não tirar a queixa, será encontrado
Dentro de casa o meu corpo estirado
Falei com os de farda e foi debochado
Será que não fiz nada pra tá com o rosto marcado?
Tenho dezesseis e moro com o meu namorado
Estou com vergonha do que está sendo falado
Não acreditam que ele é culpado
Deveria agradecer que o branquinho de São Conrado
Tá com com a preta da favela do Bernardo

Eu sou a escola!

Não fiz nada, estou na minha
Sou Tereza, sabe como aquela? Nome de rainha
Tento dar exemplo pra minha filha
O pai está preso e quem cuida é minha tia
Pra eu vir pra escola e ajeitar minha vida
Ninguém ama uma mina de pele retinta
É isso, vou ficar sozinha
Mas, debochar que meu cabelo não é liso igual o da Valentina?
Nem pensei, empurrei o João e fui pra cima
Por me defender, o professor me mandou pra Diretoria

Eu sou a escola!

Prazer, Angela, mas, sem desculpas pra essa situação
Advertência por rebolar ao som do batidão?
Sim, mexo a raba e vou até o chão
Mas, as notas estão perfeitas e os textos tipo a Conceição
Por que para o funk pediram a criminalização?
Mas, letras piores são tocadas em Premiação
Som de preto, de favelado, não pode, não
Isso é parte da nossa cultura, o inspetor está perdendo a mão

Eu sou a escola!

Saíram daqui quatro meninas e em suas histórias eu me vi
Diretora Firmino, mas, não entendem o que passo aqui
Histórias que cruzam com os caminhos que vivi
Ver se repetindo, me deixa infeliz
Carolina, Dandara, Tereza e Angela presentes aqui
E quantas outras em nosso país?
Todas elas se encontram na escola, mesmo que não tão expostas assim
Professores e inspetores as mandam pra mim
Mas eles não vêem que há um motim
E o que fazer pro racismo ter fim?

Eu também sou a escola!

 

** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE. 

+ sobre o tema

Tom & Jerry com aviso de racismo

por RSF Os desenhos animados clássicos Tom & Jerry estão...

Cristiano Ronaldo diz ‘não ao racismo’ depois de Koulibaly sofrer insultos em campo

Jogador português apresentou a sua solidariedade para com Koulibaly,...

ESPN e Alê Oliveira rescidem contrato após acusação de racismo

Segundo o Uol Esporte, o comentarista Alê Oliveira, que...

para lembrar

Violência em SP: mortes pela PM aumentam 111,3% em 2014

Informaçòes publicadas no diário Estado de S. Paulo, neste sábado...

Vídeo Premiado – Caminhos da Reportagem: Negros no Brasil – 2012

Por Oluandeji Este mês tive alguns debates acalorados com...

Spike Lee critica falta de diversidade da Academia ao receber Oscar honorário

“É mais fácil ser presidente dos Estados Unidos como...

Dilma encaminha ao Congresso projeto que cria cotas no serviço público

A presidente Dilma Rousseff assinou nesta terça-feira (5)...
spot_imgspot_img

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...
-+=