Rio+20: Manifestações livres sobre qualquer assunto

Por Leno F. Silva

 

Digamos que este Junho será hiperverde no Brasil, em função da Rio + 20. O mês está apenas começando, mas promete passar muito rápido e após o encerramento do evento da ONU, muita coisa poderá mudar, ou não.

Segundo informações que ouvi no rádio, cerca de 500 atrações acontecerão na Cidade Maravilhosa. Muitas organizações vêm trabalhando há algum tempo na formatação de propostas para entregar aos Chefes de Estado, como forma de contribuir para um debate de alto nível e para que ao final desse encontro tão esperado não tenhamos apenas uma carta de boas intenções.

Depois dos vetos insuficientes efetuados pela presidente Dilma no Código Florestal, o Brasil participará acuado dos debates que pretendem construir um novo pacto para conter os riscos do aquecimento global. O cerne dessa questão está na reflexão sobre novos modelos de desenvolvimento, mais limpos e menos nocivos às questões socioambientais, bem como a uma profunda revisão nos padrões de consumo, sem esquecer que milhões de cidadãos deste mundo ainda são miseráveis e vivem em condições muito precárias, sem acesso a saúde, saneamento, renda, educação e tantos outros benefícios de qualidade.

A ex-capital desta nação continua sendo um belo cartão postal das nossas belezas naturais. Contudo, lá, sob as bênçãos do Cristo Redentor, as contradições sociais são imensas e estão muito próximas. Provavelmente no período das atividades o poder público trabalhará articuladamente para criar as condições de segurança dos milhares de visitantes oriundos de diversas partes do mundo. Investimentos pesados estão sendo realizados para garantir que tudo aconteça de acordo com os scripts .

De certa forma, a Rio + 20, guardadas as devidas proporções, será um teste para avaliar a capacidade do país em administrar enormes contingentes populacionais. Mas agora a grande prova não está na infraestrutura, que certamente atenderá grande parcela das necessidades. Está na capacidade do Brasil se perceber com  a nação mais rica em biodiversidade, e que pode exercer um importante papel de liderança nesse momento histórico para a construção de um mundo mais equilibrado, mais justo, sem degradação do meio ambiente e mais feliz.

O nosso Cristo Redentor continuará de braços abertos para receber a todos os que vierem com essa visão. E ele prometeu sorrir e bater palmas se no encerramento do evento for inaugurado um novo marco nos processos de decisões em prol da preservação da espécie humana. Por aqui, fico. Até a próxima.

[email protected]

Importante: em respeito à sua privacidade, se você não deseja receber mais esta crônica semanal, basta solicitar a retirada de seu endereço do mailing. Grato.

+ sobre o tema

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um...

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda...

para lembrar

Carta aberta à Presidenta Dilma Rousseff – Por: Cidinha da Silva

Querida Presidenta Dilma, Que Exu, dínamo do universo, lhe conceda...

Dez considerações sobre o novo Congresso, que é a cara do Brasil

De acordo com estudo do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar...

A hora do Grande Reset

Nunca imaginamos isso. Ninguém imaginou. E ainda parece um...

O alerta de Mauro Santayana ao PT e ao PSDB: A arte de cevar urubus

O panelaço em bairro de classe média de Belo...

Mulheres em cargos de liderança ganham 78% do salário dos homens na mesma função

As mulheres ainda são minoria nos cargos de liderança e ganham menos que os homens ao desempenhar a mesma função, apesar destes indicadores registrarem...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as raízes africanas do movimento que culminou na queda da ditadura em Portugal. O 25 de abril...

IBGE: número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave em SP cresce 37% em 5 anos e passa de 500 mil famílias

O número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave no estado de São Paulo aumentou 37% em cinco anos, segundo dados do Instituto...
-+=