Rio: ONU lamenta morte de estudante no Complexo da Maré

A Organização das Nações Unidas (ONU) no Brasil lamentou hoje (26), em comunicado, a morte do estudante Marcus Vinícius da Silva, de 14 anos, durante uma operação da Polícia Civil, no Complexo da Maré, zona norte do Rio, na última quarta-feira (20). De acordo com a ONU, a morte do adolescente “é um exemplo do trágico número de 31 homicídios de crianças e adolescentes que acontecem por dia no Brasil”.

Da IstoÉ

Foto: Arquivo Pessoal

De acordo com o organismo internacional, somente em 2015, 11.403 adolescentes de 10 a 19 anos foram vítimas de homicídio no país, considerado o maior número absoluto de mortes de pessoas nesta faixa etária no mundo. “Os adolescentes negros estão três vezes mais vulneráveis a mortes violentas em comparação com os brancos na mesma faixa etária”.

A ONU também lançou a campanha “Vidas Negras”, pelo fim do racismo e da violência letal contra a população negra. No documento, as Nações Unidas fazem um apelo público “pela garantia do direito à vida de cada criança, adolescente, jovem, mulher e homem negro”.

“É inadmissível que a trajetória de vida de adolescentes, como Marcus Vinícius da Silva e tantos outros, seja interrompida de forma violenta, gerando consequências tão graves quanto permanentes para outras crianças e adolescentes, suas famílias, suas comunidades e a sociedade brasileira”, disse a ONU.

Abraço à escola de Marcus Vinícius

Amanhã (27), quando completa uma semana da morte do estudante Marcus Vinícius, moradores do Complexo da Maré se reúnem às 9h para um abraço à Escola Municipal Vicente Mariano, onde o adolescente estudava. A Secretaria Municipal de Educação participa do ato.

Alunos e professores de várias unidades educacionais da Maré saem caminhando de suas escolas em direção à Escola Vicente Mariano, que fica na Baixa do Sapateiro, uma das comunidades que integram o Complexo de Favelas da Maré.

 

+ sobre o tema

Danny Glover se diz preocupado por efeito Bolsonaro na comunidade negra

O ator americano e embaixador da ONU para os...

Por quê, irmãos? por quê?

por que os negros são identificados como descendentes de...

Por que as mulheres são estupradas, segundo a polícia – Por: Nádia Lapa

Policial catarinense dá dicas para as mulheres evitarem estupro....

para lembrar

Lançamento Por uma infância sem racismo

Por: Madeleyne Machado Parceria entre Criança, Igualdade Racial e...

“Violência racial cresceu em Dresden”, diz assistente de vítimas

Relatos de discriminação e racismo aumentaram, afirma chefe do...

CPI que investiga violência contra jovens negros e pobres ouve agentes de segurança pública

Audiência Pública será realizada nesta terça-feira (09), às 14h30,...

Teatro Experimental do Negro – TEN

1944/1961 - Rio de Janeiro RJ Histórico Idealizado, fundado e dirigido...
spot_imgspot_img

Fifa apresenta pacote de medidas contra o racismo no esporte

A Federação Internacional de Futebol apresentou um pacote de medidas contra o racismo no esporte. O mundo do futebol está reunido em Bangkok, na Tailândia, onde...

Tragédia no Sul é ambiental, mas sobretudo política

Até onde a vista alcança, o Rio Grande do Sul é dor, destruição. E vontade de recomeçar. A tragédia socioclimática que engolfou o estado, além da...

Para os filhos que ficam

Os seus pais vão morrer. É ainda mais difícil se dar conta disso depois de um Dia das Mães, como foi o último domingo....
-+=