Roberto Osuna é suspenso por 75 jogos por violar política de violência doméstica

O comissário Rob Manfred anunciou, nesta sexta-feira, que o arremessador Roberto Osuna aceitou suspensão sem pagamento até 4 de agosto de 2018 por violar a Política de Violência Doméstica, Agressão Sexual e Abuso de Criança da liga. A decisão é retroativa ao dia 8 de maio, quando o reliever começou a cumprir gancho preventivo, e cobre um total de 75 jogos.

Por André Garda, do Quinto Quarto 

Foto: RICHARD LAUTENS / TORONTO STAR FILE PHOTO

O jogador do Toronto Blue Jays concordou em não apelar da decisão. Seguindo as premissas da política, Osuna irá participar de forma confidencial e compreensiva de avaliação e tratamento supervisionado por uma junta da MLB.

O arremessador de bullpen foi acusado de agredir uma mulher no dia 8 de maio e, logo em seguida, foi colocado em licença administrativa, o que gerou uma investigação da liga.

“Meu escritório completou a investigação em relação a alegação que Roberto Osuna violou a Política de Violência Doméstica, Agressão Sexual e Abuso de Criança da MLB no dia 8 de maio de 2018. Tendo revisto toda a evidência disponível, conclui que o Senhor Osuna violou a política e deveria estar sujeito a disciplina em forma de suspensão sem pagamento que irá expirar no dia 4 de agosto”, declarou Manfred em comunicado.

Em comunicado, a franquia canadense disse apoiar a decisão de suspender Osuna e que não fará comentários adicionais, alegando o lago legal envolvido no assunto. “Os Blue Jays apoiam a decisão do escritório do comissário de suspender Roberto Osuna. Enquanto isso segue como um caso legal, a equipe não irá fazer comentários adicionais neste momento”.

O jogador de 23 anos irá comparecer ao tribunal no dia 9 de julho e irá se declarar não culpado das acusações, segundo seu advogado.

Roberto Osuna estava com ERA de 2,93, nove saves e 13 strikeouts em 15 partidas e 15,1 entradas nesta temporada. Em sua carreira, o jogador mexicano tem ERA de 2,87 e 104 saves.

+ sobre o tema

Eu, mulher negra racista. Uma conversa que também é sobre você

"É vocês negras que têm a auto-estima baixa e...

Conto de fadas quebra tradição e retrata romance entre dois príncipes

Livro foi escrito por um professor americano. Na história,...

para lembrar

Primeira vereadora travesti se afasta de cargo após ataques em Piracicaba

Madalena (PSDB) pediu licença da cadeira no Legislativo por...

SOS Corpo lança livro sobre teorias materialistas do patriarcado

O SOS Corpo – Instituto Feminista para a Democracia,...

Brasil é quarto país no ranking global de casamento infantil

O casamento infantil responde por 30% da evasão escolar...
spot_imgspot_img

Exposição e livro lembram os 30 anos da morte de Lélia Gonzalez

Os 30 anos de morte da pesquisadora e militante Lélia Gonzalez, um dos nomes mais importantes do pensamento antirracista brasileiro, serão lembrados na mostra Lélia...

Elogio ao estupro e ódio às mulheres

Nem sempre é fácil dizer o óbvio. Mesmo porque, quando essa necessidade se impõe é fundamental entender as razões que estão por trás dela. Mas...

Angela Davis: “O desafio é manter a esperança quando não vemos sinais”

Angela Davis, filósofa professora americana, é como uma estrela de rock do ativismo pelos direitos humanos e do movimento negro. Sua popularidade atravessa gerações...
-+=