Guest Post »

Robson Conceição ganha medalha de ouro inédita no boxe para o Brasil

Jornal da Globo fez entrevista exclusiva no estúdio olímpico com o boxeador com encantou o país com sua história de luta e de vitória.

Por José Roberto Burnier Do G1

Robson Conceição não conquistou apenas a medalha de ouro. Com seu carisma e simplicidade, conquistou a admiração de todo o país. O caminho que levou o boxeador baiano a esse feito inédito do esporte brasileiro está na reportagem de José Roberto Burnier.

Foi só Robson Conceição ser anunciado e o Riocentro virou um caldeirão. A confiança de que o brasileiro faria história era enorme porque na semifinal, no domingo (14), ele havia vencido o cubano Lázaro Alvarez, número 1 do ranking mundial.

No caminho do ouro estava o francês Sofiane Oumiha, 5º no ranking, contra quem Robson nunca havia lutado e, desde o começo, o brasileiro fez o que prometeu: foi para cima do francês.

Robson ganhou os dois primeiros rounds e só perderia se fosse nocauteado no terceiro. Ele só adiministrou a vantagem. A torcida já comemorava quando veio o resultado oficial: Robson Conceição se tornou o primeiro boxeador brasileiro a ganhar uma medalha de ouro olímpica.

O baiano de Salvador desceu do ringue e foi direto para onde estava a sua família e seus amigos. Aí veio o momento mais aguardado: o sargento da Marinha brasileira recebeu a medalha de ouro.

Logo depois de receber a medalha de ouro, Robson Conceição agradeceu o apoio que recebeu da torcida e elogiou o francês Sofiane Oumiha. Agora o campeão só quer saber de descansar e curtir a família para só então decidir o seu futuro no boxe.

Ele deu entrevista exclusiva ao Jornal da Globo. “O boxe é uma caixinha de surpresa, onde você bate e apanha. Fora que você tem que estar bem treinado fisicamente e mentalmente para ver o quanto você aguenta apanhar e bater também, mas o importante é você bater mais que o seu adversário”, disse ele.

Ao ser perguntado se o mais importante na medalha de ouro foi a técnica de luta ele disse que geralmente não estuda o adversário. “Nem lutas minhas mesmo eu não assisto depois do jogo. Basicamente eu busco treinar bastante para eu poder me sentir bem. Eu me sentir bem é o que importa”, afirma.

Related posts