Saber ousar, à moda antiga ou moderna, exige arte e manha

Foi com arte e manha que a negra feminista Áurea Carolina, 32, cientista política e especialista em gênero e igualdade, em Belo Horizonte, pelo PSOL, e o negro Domingos Dutra, 60, advogado, nascido no Quilombo Saco das Almas (Brejo-MA), em Paço do Lumiar (MA), pelo PCdoB, foram vitoriosos nas eleições de 2016 e entraram de cabeça erguida para a história de suas cidades.

Por Fátima Oliveira enviado para o Portal Geledes

Ela, a vereadora mais votada da história de BH; e ele, o primeiro prefeito de esquerda de Paço do Lumiar, na ilha de São Luís, a quarta cidade mais antiga do Maranhão (22.5.1625) – pertenceu a São Luís e a São José de Ribamar. Virou município em 1959. Desde 1965 era dominada por apadrinhados do Futi (como ele chama Sarney): dois condenados por corrupção quando prefeitos, Bia Venâncio (2012) e Gilberto Arôso (2016), um dos adversários que Dutra derrotou!

O Tribunal de Justiça do Maranhão legalizou um ficha-suja candidato, que levou taca, taca, taca… O jogo foi bruto. Pense num Velho Oeste… É aqui!

São duas vitórias brilhantemente expressivas, considerando-se o que disse Mauro Lopes em “A Vitória dos Ricos”: “O resultado das eleições é desastroso para os pobres… Os ricos venceram…” (Outras Palavras, 4.10.2016).

No último dia 3, cedo, em meu e-mail, a filha Débora, de Porto Alegre: “Mãe, a minha amiga linda” e a matéria: “Pela primeira vez na história de Belo Horizonte, uma candidata a vereadora conquistou o apoio de mais de 17 mil pessoas nas urnas”. Era uma cara conhecida, mas eu não sabia de onde. Débora relembrou: “Ela foi lá em casa em BH quando levei Inácio bebezinho com 4 meses. Você a conheceu. Ela ficou horas na rede com ele lá fora”.

Fucei o Google. Em seu Facebook: “Sou da selva e não tenho nada a temer. Há um par de anos, venho amadurecendo a ideia de me candidatar a um cargo eletivo, incentivada por companheiras com as quais construo importantes lutas e em resposta à necessidade de que mulheres como eu ocupem os espaços de poder”. No início de 2015, com várias pessoas, desenhou a iniciativa que originou as Muitas pela Cidade que Queremos BH, tentando ocupar as eleições com cidadania e ousadia, transbordar partidos e produzir ruídos nas instituições para que BH seja mais democrática e acolhedora”. Filiou-se ao PSOL em outubro de 2015 e estabeleceu uma plataforma colaborativa na web (www.muitas.org).

Domingos Dutra, no PCdoB desde setembro de 2015, petista histórico (1980-2013), presidiu o PT de São Luís e o do Maranhão, exerceu vários mandatos de deputado estadual e federal e foi vice-prefeito de Jackson Lago (1996).

Dutra fez os “Diálogos por Paço” (caminho vitorioso percorrido pelo governador Flávio Dino nos “Diálogos pelo Maranhão”) e uma campanha franciscana, de rua em rua, a pé, de microfone em punho, sob o mote “Vamos juntos tirar Paço do Lumiar da escuridão”, e, durante a noite, a militância que o acompanhava portava tochas de fogo… Era difícil acompanhar aquela energia toda do Dutra.

Na primeira e única caminhada a que fui, passei dois dias deitada, sem poder andar! Decidi fazer o que fiz para Flávio Dino e Dilma (2014): visitar as mesmas 500 casas das imediações de onde moro e pedir o voto em Dutra, que andou mais de 200 km a pé, de microfone em punho; e não fez site nem perfil no Facebook, apenas um Twitter, que usou pouquíssimo!

Áurea e Dutra responderam com sucesso, à maneira de cada um, à pergunta de um militante ao governador maranhense: “Como vamos fazer campanha sem dinheiro?” Flávio Dino respondeu algo assim: “Ah, pois são dois que não sabem! Vai ter de ser assim. Vamos ter de aprender e vencer!”

+ sobre o tema

para lembrar

O sul não é meu país

O respeito à democracia é fundamental, principalmente no momento...

Homenagem ao Dia da Consciência Negra

Veja também Consciência Negra Consciência Negra,...

Por quê, irmãos? por quê?

por que os negros são identificados como descendentes de...

Consciência universal

Fonte: Juiz de Fora Online - Por Aldine Mara,...
spot_imgspot_img

João Cândido e o silêncio da escola

João Cândido, o Almirante Negro, é um herói brasileiro. Nasceu no dia 24 de junho de 1880, Encruzilhada do Sul, Rio Grande do Sul....

Levantamento mostra que menos de 10% dos monumentos no Rio retratam pessoas negras

A escravidão foi abolida há 135 anos, mas seus efeitos ainda podem ser notados em um simples passeio pela cidade. Ajudam a explicar, por...

Racismo ainda marca vida de brasileiros

Uma mãe é questionada por uma criança por ser branca e ter um filho negro. Por conta da cor da pele, um homem foi...
-+=