Saidiya Hartman é o primeiro nome confirmado da edição da Flip este ano

Enviado por / FonteDa Folha de S. Paulo

Americana é considerada referência na forma de repensar a diáspora africana e o racismo estrutural

A escritora americana Saidiya Hartman foi o primeiro nome confirmado para a 20ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip, a ser realizada entre os dias 23 e 27 de novembro. Professora da Universidade Columbia, em Nova York, e celebrada como uma das principais referências intelectuais da diáspora africana, Hartman se dedica a explorar o que chama de “sobrevida da escravidão.”

“Eu não preciso de um feriado nacional sobre a escravidão enquanto ainda estou sofrendo as suas consequências brutais. Que memória é essa que você quer celebrar?”, questionou ela em entrevista à Folha à época do lançamento de seu último romance, “Perder a Mãe”, no Brasil.

Em nota divulgada no último domingo, o diretor artístico da Flip, Mauro Munhoz, define Hartman como uma das autoras que “se recusam a usar definições fáceis de negritude”. Já uma das curadoras desta edição do evento, a professora da UFBA, a Universidade Federal da Bahia, Milena Brito, ressalta que a escrita de Hartman “costura linguagem e fatos históricos com uma criatividade impressionante, o que faz a sua obra ser um poderoso modo de ‘desabitar’ e ressignificar essas narrativas”.

Após duas edições remotas devido à pandemia da Covid-19, a Flip volta a ser presencial este ano. Ainda não foi divulgado o nome do autor homenageado desta edição. A curadoria é realizada de forma coletiva por um trio formado por Brito, a editora Fernanda Bastos, da Figura de Linguagem, casa gaúcha especializada em literatura negra, e o crítico literário e professor Pedro Meira Monteiro, da Universidade Princeton, nos Estados Unidos.

+ sobre o tema

Mulheres na ditadura: Sem adjetivos

BRASÍLIA - "Eu sabia que estava com um cheiro...

Abdelmassih é indiciado por mais 37 estupros

Ex-geneticista  de 72 anos é suspeito de ter cometido...

Conversamos com a autora independente Jarid Arraes

A cordelista estará na Feira Plana, que começa hoje,...

para lembrar

Deputada evangélica pede “providências legais” contra professor que tratou sobre homofobia em sala de aula

A deputada distrital Sandra Faraj (SD), da bancada evangélica,...

Ser menino, ser aluno: um estudo de caso de um garoto “problemático” da Austrália

A literatura nacional e internacional sobre gênero e educação,...

Tributo por Sueli Carneiro

Quase tudo já foi dito sobre a importância histórica...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=