Sexismo na moda: apenas 41% das grandes marcas são comandadas por mulheres

Pesquisa “The Glass Runway” revela a desigualdade de gêneros no mundo da moda

Do Claudia

Para muitos, a indústria fashion é focada no público feminino. No entanto, os bastidores desse universo são mais sexistas do que parecem. Um estudo do Conselho de Designers da América (CFDA) mostrou a desigualdade de gêneropresente no mercado da moda.

Na pesquisa “The Glass Runway” (a passarela de vidro) ficou clara a diferenciação dos cargos que os sexos desempenham. Enquanto as mulheres são a maioria entre costureiros, designers, alunos nas faculdades de moda e, além de tudo, entre consumidores, a maioria dos cargos de chefes no setor é dominada por homens.

O estudo mostrou que, por mais que as mulheres não encontrem barreiras para se destacar no início de sua carreira no universo da moda, elas acabam não seguindo em frente, já que o sexismo é recorrente. Um dos fatores que agrava essa desmotivação é a falta de exemplos femininos para serem seguidos por mulheres que estão apenas começando.

Além dos poucos modelos, segundo o Universa, a obrigação de cuidar dos filhos e da família e a menor confiança depositada nas mulheres – entre outros motivos – são as principais obstáculos encontradas pelas entrevistadas. Ainda segundo a pesquisa, 50% das vice-presidentes na área relatam que ter filhos é o principal fator determinante em suas carreiras.

As primeiras mulheres a serem contratadas como diretoras de estilo por grifes importantes, como Dior e Givenchy, tiveram essa chance somente em 2016 e 2017, respectivamente. Nesse contexto, apenas 41% das grandes marcas do mundo da moda são comandadas por mulheres.

+ sobre o tema

Sororidade: o valor da aliança entre as mulheres

Sororidade é um pacto social, ético e emocional construído...

As cenas de sexo que ‘ninguém quer ver’

Um casal prestes a comemorar um importante aniversário de...

Pornografia de vingança

No fim da tarde de sexta-feira , o vice-presidente...

para lembrar

Os refugiados invisíveis das favelas do Rio

Milhares de famílias que vivem em comunidades do Rio...

Eis o número de palavras atribuídas às mulheres na Bíblia

Há 93 mulheres que falam na Bíblia e 49...

Mulheres taxistas se organizam nas ruas e em aplicativo para atrair passageiras

Um adesivo rosa em formato circular na traseira do...

Feminismo pode começar na infância

Uma experiência como instrutora de guitarra no Girls Rock...
spot_imgspot_img

Documento final da CONAE segue para o Congresso; entenda seus principais pontos

Para quem não é da Educação ou não acompanha de perto esta aérea, é preciso entender alguns pontos importantes do documento final aprovado durante...

Quando universidades destroem estudantes

Ir para a universidade pode significar correr maiores riscos de ter crises de ansiedade e profundos quadros depressivos. A preocupação com dinheiro e desempenho acadêmico é somente...

“Eu condeno a violência que há contra as mulheres, sejam as africanas ou não”, diz Oumou Sangaré

Oumou Sangaré é uma das maiores vozes africanas na luta contra o sexismo e o racismo. Originária da região Wassoulou, no Mali, Oumou canta...
-+=