Sim, você tem direito a aplicabilidade da Lei Maria da Penha!

A proteção garantida na Lei Maria da Penha 11.340/2006 salvaguarda sobretudo quem desempenha o papel social de mulher, seja transgênero, biológica, transexual ou homossexual.

Alicerçada na fundamentação do princípio da Igualdade, a proteção garantida na Lei Maria da Penha 11.340/2006 salvaguarda sobretudo quem desempenha o papel social de mulher, seja transgênero, biológica, transexual ou homossexual, acerca da violência doméstica que causa danos mentais, materiais e físicos também nos casos de homossexuais e transexuais.

Relevância nos Tribunais

Mesmo diante de tantas “decisões” equivocadas por alguns juízes e desembargadores, o posicionamento é predominante nos Tribunais Superiores, garantindo a aplicabilidade da Lei Maria da Penha e viabilizando este direito às mulheres trans e travestis, conforme considerado diversas vezes pelo Superior Tribunal de Justiça, diante da comprovação de vínculo de relação doméstica, familiar ou afetividade.

Sujeito ativo

O sujeito ativo da violência doméstica pode ser do sexo masculino ou feminino, tendo em consideração o fato de que vivemos em uma cultura machista e patriarcal, onde as convicções de poder de dominação são naturalizadas na sociedade até mesmo por mulheres, que consequentemente executam comportamentos machistas e opressivos contra esse público.

Conhece alguém que esteja precisando de esclarecimentos e ajuda sobre esse assunto?

Procure um advogado especialista no assunto.

Leia também:

Três a cada dez mulheres têm medo de sair de casa

Drink La Penha: lei que ajuda mulheres sob risco de violência em bares e restaurantes é sancionada no Ceará

Atendimentos a mulheres vítimas de violência têm alta de 75% em SP

+ sobre o tema

Dia das Mães: Eliane Dias e Domenica contam o que aprenderam uma com a outra

O Dia das Mães é celebrado neste domingo (10)...

Número de mulheres que operam máquinas agrícolas aumenta em MT

Porém, mulheres ainda representam menos de 10% do total...

16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres 2018

A campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da...

para lembrar

Homem é expulso de bloco na Zona Oeste de SP após assediar mulheres

Folia do cordão '77 – Os Originais do Punk'...

“Xica”: palimpsesto e fúria encarnada sobre a Gamboa

Em “Black Women Against the Land Grab” Keisha-Khan Perry...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

Lançamento do livro “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”

O caminho para a criação de uma lei geral que reconheça e responda a todas as formas de violência de gênero contra as mulheres...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...
-+=