SUS terá atendimento para mulheres e vítimas de violência doméstica e sexual

O atendimento especializado para mulheres e vítimas de violência doméstica e sexual no Sistema Único de Saúde (SUS) agora será garantido por lei. Foi sancionada na quinta-feira (30) e publicada nesta sexta-feira (30) no Diário Oficial da União a Lei 13.427/2017, que garante, entre outros direitos, o acompanhamento psicológico e cirurgias plásticas reparadoras, se for o caso. As novas regras valem já a partir desta sexta-feira.

No Agencia patrícia Galvão

A lei tem origem no Projeto de Lei do Senado (PLS) 295/2013, apresentado pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da Violência Contra a Mulher ao final dos seus trabalhos, em 2013. O PLS foi aprovado primeiramente pelo Senado naquele ano, sofreu uma mudança feita na Câmara dos Deputados e então foi aprovado pelo Senado no último dia 7. O projeto original previa atendimento especial a vítimas de violência doméstica, mas a emenda aprovada pelos deputados e confirmada pelos senadores estendeu a proteção às vítimas de violência sexual.

Entre os atendimentos que devem ser assegurados, conforme a nova lei, estão tratamento médico, atendimento psicológico e, quando for necessário, cirurgias plásticas reparadoras.

Além de ampliar a abrangência da proposta, a Câmara também aprovou mudança de redação e substituiu a expressão “organização de serviços públicos” por “organização de atendimento público”.

+ sobre o tema

A inovação política que emerge nas periferias

Resultados do 1º turno reforçam nova configuração no Folha de...

OEA debaterá tratamento dado por Brasil a haitianos

As condições precárias dos imigrantes haitianos no abrigo...

para lembrar

Mal humorada? Eu? O desabafo de uma distímica

Novembro de 2014: foi o mês em que eu...

Zika na saliva é insuficiente para dizer que pode haver contágio, diz ministério

O Ministério da Saúde informou no final da tarde...

Mães e gestantes negras na pandemia de covid-19: O desafio está ainda maior

As últimas semanas têm sido especialmente difíceis para conseguir...

‘A dor é algo natural para os alunos’, diz professor da Maré

Na sexta-feira (16), dois dias após a morte da...
spot_imgspot_img

Raça e gênero são abordados em documentos da Conferência de Bonn

A participação de Geledés - Instituto da Mulher Negra na Conferência de Bonn de 2024 (SB 60), que se encerrou na última quinta-feira 13,...

NOTA PÚBLICA | Em repúdio ao PL 1904/24, ao equiparar aborto a homicídio

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns vem a público manifestar a sua profunda indignação com a...

Nota pública do CONANDA contrária ao Projeto de Lei 1904/2024

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – CONANDA, instância máxima de formulação, deliberação e controle das polícas públicas para a...
-+=