Tag: Africanos

    blank

    Sul-africanos recordam Samora Machel aos 30 anos de sua trágica morte

    Do Prensa Latina Pretória, 17 out (Prensa Latina) Os sul-africanos prestarão tributo de recordação hoje ao falecido presidente de Moçambique, Samora Machel, ao se completar 30 anos de sua trágica morte em um acidente de avião ocorrido aqui em 19 de outubro de 1986. Prevista no local onde aconteceu o fato, em Mbuzini, província de Mpumalanga (a 460 quilômetros ao leste de Pretória), a cerimônia contará com a presença do primeiro-ministro de Moçambique, Carlos Agostinho do Rosário, e do vice-presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa. Também participarão familiares dos que morreram junto a Machel no fatal incidente, não esclarecido ainda após três décadas. A comemoração destacará a vida do dignatário moçambicano, que manteve-se no poder desde o dia 25 de junho de 1975 (pouco depois da independência) até o momento de seu falecimento. Segundo sublinhou um comunicado oficial, a homenagem colocará em destaque o papel desempenhado por Moçambique na ...

    Leia mais
    blank

    Viúva de Samora Machel diz que cabe a Moçambique e África do Sul apurar a verdade

    A viúva de Samuel Machel, primeiro Presidente moçambicano, Graça Machel, disse esta segunda-feira ser responsabilidade dos governos de Moçambique e da África do Sul descobrir as causas do desastre aéreo que vitimou o estadista há trinta anos. Do Sic Noticias "É responsabilidade dos dois governos, de Moçambique em primeira mão, porque ele era Presidente de Moçambique, e da África do Sul, porque o avião caiu neste país, demonstrarem que de facto estão a trabalhar incansavelmente para trazer a verdade ao de cima", afirmou Graça Machel, em declarações aos jornalistas, à margem de uma cerimónia alusiva aos trinta anos da morte de Samora Machel em Mbuzini, África do Sul, local da tragédia. Graça Machel lembrou que todas as investigações ao desastre, ocorrido a 19 de outubro de 1986, foram inconclusivas e que a família continua à espera. Na cerimónia, que juntou centenas de convidados no memorial erguido em memória de Machel em ...

    Leia mais
    Colagem com as fotos de James C. Lewis

    16 fotos incríveis de Reis Africanos por James C. Lewis

    Veja estas supreendentes recriações de 16 famosos reis africanos famosos trazidos à vida pelo fotógrafo James C. Lewis. Uma viagem para a memória onde a fotografia atende educação. Brilhantemente feito com a finalidade de esclarecer-nos sobre a grande história e reinos na África. E eu amei-lo completamente. (Foto: James C. Lewis) Hannibal Barca (247 aC - 183 aC) foi um comandante militar cartaginês Africano, geralmente considerado um dos maiores comandantes militares da história. Também creditado por ter grandes vitórias contra o Império Romano com seus valentes guerreiros que marcharam para a batalha sobre as costas dos grandes elefantes!   Mais tarde, ele foi derrotado pelo Império Romano e voltou a Cartago, Norte de África, onde ele foi eleito para o "Office of Suffete", que foi o mais alto funcionário nomeado em Carthage naquela época. NOTA: Ao contrário das descrições incorretas passadas através da história, Hannibal não era ...

    Leia mais
    Getty Images

    Negro Belchior: Hoje é dia de Nelson Mandela

    Dia 18 de Julho é aniversário de Nelson Mandela. O grande ícone da luta antirracista na África do Sul faria hoje 98 anos. Sua morte em 5 de dezembro de 2013 comoveu e mundo e seu exemplo em vida é uma verdadeira lição de resistência e humanidade. Como reconhecimento de sua luta, a ONU instituiu ainda em 2009, a data de 18 de Julho como o Dia Internacional Nelson Mandela – Pela liberdade, justiça e democracia, uma homenagem à sua dedicação e seus serviços à humanidade, pela mediação de conflitos, pelo combate ao racismo e pela promoção de direitos humanos. No Brasil, Mandela foi abraçado pelo povo negro brasileiro, recebido por chefes de Estado e acolhido em especial pela então prefeita de São Paulo, Luiza Erundina (foto) e pelo inesquicivel governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, que levou Madiba a ser recebido por mais de 40 mil pessoas em ...

    Leia mais
    by Camille Silvy, albumen print, 15 September 1862 (Crédito: Wikimedia Commons)

    Sara Bonetta Forbes, a princesa africana dada “de presente” para a Rainha Vitória

    Nascida por volta de 1843, a futura Lady Sara Forbes Bonetta, chamada primeiramente de Aina, nasceu em Oke-Odan, uma aldeia de Egbado, do oeste africano. Em 1848, quando Aina tinha cinco anos, sua vila foi invadida por um exército de Dahomean – um reino africano que durou de 1660 até 1894. Acredita-se que ela fosse uma espécie de princesa da sua vila, mas durante o ataque, Aina perdeu seus pais e acabou na corte do rei Ghezo como uma cativa. Também há rumores de que Aina foi capturada para servir de sacrifício humano, mas foi resgatada pelo capitão Frederick E. Forbes, que chegou na corte do rei africano em 1850. Forbes conseguiu convencer o rei a dar a jovem criança de presente para a Rainha Vitória, embora a escravatura já houvesse sido abolida na Inglaterra. “Ela seria um presente do Rei dos negros à Rainha dos brancos”, Forbes escreveria depois. ...

    Leia mais
    Getty Images

    A Poética da Esperança, um relato sobre trajetórias e memórias de Nelson Mandela

    Em continuidade à série Pesquisa em Destaque, conversamos com a Cristiane Mare, sobre dois trabalhos seus – Trajetórias e memórias de Madiba: Somente homens livres podem negociar e O lugar da tradição nos discursos políticos de Nelson Mandela – submetidos ao II Congresso das/os Pesquisadoras/es Negras/os da Região Sul (II COPENE Sul). A entrevista focou-se no histórico do líder sul-africano Nelson Mandela que foi um dos mais importantes sujeitos políticos contra o regime do Apartheid, na África do Sul, e que se tornou um ícone internacional na defesa da justiça social. Confira agora, esta entrevista! Galoá - Para começar a entrevista, gostaria de pedir que resumisse um pouco de sua pesquisa. O nome e o papel de Nelson Mandela no fim do Apartheid são conhecidos de todo o mundo, mas pelo que li nos dois artigos que você publicou com o Galoá, você critica o recorte que é feito da vida ...

    Leia mais
    blank

    Mezzo africano e mezzo afro-brasileiro

    Como boa parte das pessoas, em algum momento da minha infância me deparei com a vontade de descobrir de onde vim. Das minhas origens. No meu caso despertou com uma atividade em sala de aula: traçar minha árvore genealógica. Lembro de chegar em casa e descobrir que meus pais não sabiam muita coisa sobre seus avós – meus bisavós no caso. E para eles isso era “normal”, porém, no dia da apresentação em aula me deparei que a normalidade dos meus pais não servia à maioria branca naquela escola particular cristã. Lembro que nesse dia presenciei, pela primeira vez, brancos trocando informações sobre de quais países, regiões e até mesmo cidades vinham seus antepassados. Observei vários coleguinhas narrando anedotas de imigração, descobrindo raízes em comum e contando como mantinham contato com as tradições de seus tataravós… Por LEOPOLDO DUARTE, do Os Entendidos  Quase duas décadas depois ainda desconheço o privilégio de ter essa noção ...

    Leia mais
    (Foto: AFP/Gett Images)

    Cartas de Cabral a Helena: um líder cria-se amando

    Ele de pasta de couro na mão, fato e gravata, uma gabardine branca debaixo do braço. Ela de saia comprida preta, um casaco da mesma cor e um ramo de flores. Os dois sorriem, como em algumas das (poucas) fotografias do casal que aparecem em Cartas de Amílcar Cabral a Maria Helena / A Outra Face do Homem – organizado pela filha e historiadora Iva Cabral, e pelos também editores da Rosa de Porcelana, Márcia Souto e Filinto Elísio. Porque este livro de capa dura e maior do que o habitual tem mais reprodução de cartas do que imagens do homem que marcou a História de libertação nacional da Guiné-Bissau e de Cabo Verde, do homem que foi e continua a ser um dos grandes ícones da luta contra o colonialismo português. São cartas de amor que não entram na intimidade do casal, mas entram no coração do homem. A ...

    Leia mais
    (Foto: Imagem retirada do site Galileu)

    Cheikh Anta Diop derrubou o racismo cientifico, ao provar que o Egito antigo era uma civilização negra.

    Cheikh Anta Diop (1923-1986) foi um polímata senegalês formado em Física, Filosofia, Química,Lingüística, Economia, Sociologia, História, Egiptologia, Antropologia, versado em diversas disciplinas como o racionalismo, a dialética, técnicas científicas modernas, arqueologia pré-histórica...Enfim, um homem que estudou as origens da raça humana, e a cultura africana pré-colonial. Ainda hoje ele é considerado como um dos maiores historiadores africanos do século XX. E foram estes conhecimentos que Diop utilizou para dar base à tese que iria defender mais tarde, que fala do Egito antigo, como uma civilização composta por pessoas negras. Nascido no Senegal, Diop era proveniente de uma família aristocrática muçulmana Wolof (sendo educado em uma escola islâmica tradicional). Tais dados seriam úteis ao desenvolvimento de sua tese, e o jovem rapaz obteve o grau de bacharel, no Senegal, mudando-se depois para Paris, com intuito de realizar pós-graduação. Na França o jovem senegalês irá defender uma tese revolucionária, que será rejeitada, ...

    Leia mais
    (Foto: Getty Images/AFP/ J. D. Kannah)

    Patrice Lumumba foi assassinado há 55 anos

    Ali está ele. De mão erguida, saudando os transeuntes, de fato e com os seus óculos típicos. Uns mais tarde, outros mais cedo, toda a gente passa pela estátua de Patrice Lumumba em Kinshasa, na avenida que conduz ao aeroporto. Lumumba chefiou o primeiro Governo eleito livremente na República Democrática do Congo, após a independência da Bélgica. Mas esteve apenas quatro meses no poder. Aos 34 anos, foi afastado do cargo e assassinado. O inconformado O que aconteceu no dia da proclamação da independência, 30 de junho de 1960, prenunciava já talvez o desfecho do jovem primeiro-ministro. Durante as celebrações oficiais, Lumumba denunciou publicamente as práticas racistas dos colonizadores. Os congoleses rejubilaram, não só os que participavam na cerimónia mas também aqueles que ouviam o discurso em casa, através do rádio. Mas o rei belga e os diplomatas estrangeiros ficaram chocados. Os objetivos políticos de Lumumba não condiziam com os ...

    Leia mais
    Media24/Gallo Images/Getty Images

    Nelson Mandela recebe homenagem na Caixa Cultural Salvador

    O ex-líder sul-africano, Nelson Mandela (1918 - 2013), recebe homenagem na mostra “Mandela em Cartaz”, que fica exposta na Caixa Cultural Salvador até o dia 29 de novembro. A exposição tem entrada Catraca Livre e fica em cartaz de terça a domingo, das 9h às 18h. Em “Mandela em Cartaz”, 95 cartazes produzidos por designers do mundo todo junto outros materiais sobre a vida e obra de Nelson Mandela, incluindo um documentário exaltam a vida política do ex-presidente da África do Sul. Foto: Félix Beltrán Foto: Jasveer Sidhu Foto: Jimmy Ball Foto: Marcelo Aflalo Foto: Najeeb Mahmood Foto: Marian Bantjes Feitos por designers de 37 países, os cartazes pertencem ao “Mandela Poster Project”, e têm como objetivo destacar o legado humanitário do líder mundialmente conhecido, ganhador do ...

    Leia mais
    Media24/Gallo Images/Getty Images

    Os caminhos inesperados de Nelson Mandela

    Só quando Nelson Mandela morrer, teremos o direito de declarar o fim do século XX. O homem que hoje encontra-se no crepúsculo de sua vida terá sido uma figura emblemática. Com exceção de Fidel Castro, é provavelmente o último de uma linha de grandes líderes em extinção, já que vivemos numa época apressada em terminar, de uma vez por todas, com os mitos. Mais do que o santo – algo que ele próprio afirma jamais ter pretendido ser –, Mandela terá sido um mito vivo antes, durante e depois de sua longa prisão. Nele, a África do Sul, este acidente geográfico que é difícil conceituar, encontrou sua Ideia. E se não houve pressa em se separarem, é porque, em sua nova vida pós-apartheid, a sociedade sul-africana não pode conviver, sem riscos, com o mito de uma sociedade sem mitos. Mas se é preciso aceitar em Mandela a recusa da santidade, ...

    Leia mais
    Criança refugiada nigeriana desenha cena de ataque do Boko Haram em campo de refugiados em 6 de abril (Foto: Philippe Desmazes/AFP)

    Terror do Boko Haram é descrito pelas crianças em desenhos

    Quando as crianças que sobreviveram ao Boko Haram desenham no campo de refugiados de Dar-es-Salam, na Tanzânia, as atrocidades que sofreram na Nigéria, o resultado é chocante: rostos ensanguentados, corpos sem cabeça, casas incendiadas. Diante da grande tenda de campanha branca da Unicef, dezenas de crianças em trapos empoeirados se empurram, riem, antes de serem convocadas a manter a ordem. Todas querem participar da oficina de desenho organizada no espaço "Amigos das crianças", no Chade, onde este campo de refugiados se localiza. O silêncio se instala rapidamente entre as crianças assim que elas recebem uma folha em branco e canetas. O tema do dia é doloroso e cada uma se concentra para reconstituir os acontecimentos dos quais foram testemunhas quando os islamitas atacaram seus povoados. Sumaila Ahmid diz ter 15 anos, mas aparenta apenas 12. "No dia do ataque estávamos diante de nossa porta quando vimos os Boko Haram. Foram ...

    Leia mais
    (Foto: @Getty Images/AFP/A. Joe)

    Thomas Sankara, o Che Africano

    Quando eu tinha 14 anos, o professor de Geografia (que muito apropriadamente se chamava Mr. Mount) decidiu que tínhamos que saber de cor todos os países africanos e suas capitais. Desde então mais de dez anos se passaram e apesar de ter feito viagens ao norte de África, ter feito amigos de vários países Africanos nunca mais me esqueci que a capital de Burkina Faso é Ouagadougou. Na altura lembro de ter achado a sonoridade da capital algo muito memorável. Este ano (que passa) fui convidada a assistir um filme da mostra de filmes Africanos que estavam sendo exibidos no Instituto Moreira Salles, e qual não foi a minha surpresa quando já atrasada chego na sala e descubro que o filme é sobre Burkina Faso, mais especificamente sobre Thomas Sankara. Talvez uma das pessoas mais interessantes do continente Africano, que eu nunca tinha ouvido falar. Burkina Faso é um país ...

    Leia mais
    blank

    Top 20 dos jovens líderes económicos africanos do amanhã: O nascer da nova elite africana

    África é hoje um continente emergente, que se renova e reinventa a cada instante e que apresenta hoje potencialidades muito para além dos seus recursos naturais. Empresas inovadoras e com jovens líderes ao comando são hoje uma realidade inquestionável. No Portal da Liderança  Mas quem são os jovens líderes do mundo económico africano de hoje e que estão a construir a potência do amanhã? O Institut Choiseul promoveu um estudo profundo no continente que abrangeu homens e mulheres que estão efetivamente comprometidos com o erguer de África ao seu mais alto potencial económico, social e cultural. Os critérios usados foram: Nacionalidade de um dos 54 países africanos; 40 anos ou menos até 1 de janeiro de 2014; Contributo efetivo para o desenvolvimento económico de África; Imagem e reputação; Percurso profissional e competências; Motivação e funções desempenhadas; Influência e rede de contactos; Potencial e liderança. No Top 20 encontramos:   1. ...

    Leia mais
    Getty Images

    Hoje na História, 5 de Dezembro de 2013, morria Nelson Mandela

    Um ano depois da morte de Nelson Mandela, nesta sexta-feira (5), o mito permanece vivo. O líder da luta antiapartheid continua sendo cultuado na África do Sul. Símbolo mundial da paz, ele chegou à presidência em 1994, se tornando o primeiro chefe de estado negro do país. Arquiteto da reconciliação interna e externa de um país dividido pelas questões raciais, Nelson Mandela ficou 27 anos preso e chegou ao poder pouco tempo depois de deixar o cárcere. Algumas pessoas tiveram o privilégio de estar a seu lado neste período. Uma delas é o jornalista português do canal RTP Antonio Mateus, que acompanhou Nelson Mandela durante 14 anos. Ele se tornou correspondente em Johasnneburgo, na África do Sul, quando o líder sul-africano deixou a cadeia, em 1990. Da sua experiência nasceram dois livros: a biografia “Mandela: a construção de um homem” e “Mandela, o rebelde exemplar”. As obras, dedicadas ao público ...

    Leia mais
    Pretória (África do Sul - 11/12/2013) - Sul-africanos foram prestar as últimas homenagens ao ex-presidente Nelson Mandela, no Union Buildings, Palácio do Governo (Marcello Casal Jr/Arquivo Agência Brasil)

    África do sul lembra um ano da morte de Mandela

    O aniversário de um ano da morte de Nelson Mandela, considerado o maior líder do Continente Africano e um dos principais símbolos mundiais de luta contra a desigualdade racial, será lembrado nesta sexta-feira na África do Sul; Na noite de 5 de dezembro de 2013, o atual presidente da África do Sul, Jacob Zuma, anunciou, em rede nacional de televisão, que o primeiro presidente negro do país tinha morrido; "Ele está descansando. Ele está em paz. Nossa nação perdeu seu maior filho. Nosso povo perdeu um pai", disse Zuma em seu pronunciamento. Para marcar a data, que também está sendo lembrada em várias partes do mundo, o governo da África do Sul, juntamente com a Fundação Nelson Mandela, realizou nesta manhã - às 8h em Pretória (4h em Brasília) - uma cerimônia nos jardins do Palácio Union Buildings, a sede do governo, aos pés da estátua do ex-presidente, de 9 ...

    Leia mais
    (Foto: Imagem retirada do site Revista Raça)

    Amílcar Cabral o poeta africano

    Por que alguém se preocuparia em calar a voz de um poeta? Que horrores, que perigos poderiam conter suas rimas a ponto de levar alguém a um ato tão extremo? Por que será que as palavras, em sotaque lusitano, do cabo-verdiano Amílcar Cabral despertaram tão profundo e intenso ódio em seus algozes? Será que a palavra é uma das armas mais temidas por aqueles só são capazes de se valer da violência? A quem vive em tempos de paz é quase impossível se conceber o veneno que impregna das entranhas e as mentes, em períodos de guerras, quando os que realmente ganham, e muito, são apenas os fabricantes de material bélico. Nos anos 70, grande parte do que foi produzido pela indústria das armas e munições foi despejado no continente africano. Amilcar era guineense de Bafatá. Tinha oito anos quando a família se mudou para a ilha de Cabo Verde e ...

    Leia mais
    Imagem: John F Burns / New York Times

    Steve Biko e o Movimento de Consciência Negra na África do Sul

    Biko, 22h de tortura Stephen Bantu Biko, ou Steve Biko, nasceu em 18 de dezembro de 1946 e morreu em 12 de setembro de 1977, aos 30 anos, após ser preso e torturado. Ativista anti-apartheid da África do Sul na década de 1960 e 1970, Biko não faz somente parte da memória política da África do Sul, mas também da memória da cultura ocidental. O Movimento da Consciência Negra de Biko agregou para si o slogan Black is Beautiful, que nos Estados Unidos destinava-se a dissipar a noção de que as características físicas dos negros — como cor da pele, detalhes do rosto e cabelos — seriam feias. O movimento também incentivava homens e mulheres a pararem de esconder seus traços afros alisando o cabelo, clareando a pele, etc. Porém, na África do Sul, a luta análoga era outra, muito mais básica, e o Black is Beautiful de Biko significava algo como “você tem ...

    Leia mais
    Página 3 de 4 1 2 3 4

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist