sexta-feira, março 5, 2021

Tag: cotas raciais nas universidades

Estudante negra é convocada após denunciar e provar fraudes em sistema de cotas sociorraciais da Ufba: 'Serei a 1ª médica da família' (Foto: Reprodução/TV Bahia)

Estudante negra é convocada após denunciar e provar fraudes em sistema de cotas sociorraciais da Ufba: ‘Serei a 1ª médica da família’

Uma estudante negra de Salvador foi convocada para o curso de medicina da Universidade Federal da Bahia (Ufba) após denunciar e provar fraudes em sistema de cotas sociorraciais da instituição. Pessoas brancas ocupavam as vagas destinadas a alunos negros e que estudaram em escola pública. Lindinês Jesus de Souza começou a saga para conseguir a vaga a que tinha direito há cerca de um ano, quando concluiu o bacharelado interdisciplinar (BI) em Saúde na Ufba. A notícia da lista de convocação, no entanto, só chegou na última sexta-feira (28), com o nome dela em 1º lugar. Das 32 vagas para medicina disponíveis em 2019, duas eram específicas para alunos negros e estavam sendo fraudadas por pessoas que não tinham as características exigidas pela Lei de Cotas Sociorraciais. A estudante conta então que, ao descobrir que os ocupantes não tinham fenótipo negro – ou seja, características físicas de pessoas negras, como ...

Leia mais
Larissa Busch - Reprodução Instagram

Após exposição na web, influenciadora branca admite ter fraudado cota na UFRJ

A influenciadora digital Larissa Busch, de 24 anos, admitiu ter fraudado o sistema de cota racial na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em uma longa postagem em seu perfil no Instagram, nesta terça-feira (2). A jovem, que é branca, ingressou na instituição de ensino no curso Comunicação Social, no segundo semestre de 2014, na modalidade que contemplava "candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas independentemente da renda" Publicação de Larissa Busch sobre a fraude na cota - Reprodução Instagram "Em 2014, seis anos atrás, fiz a pior escolha da minha vida e estou aqui para falar sobre ela com toda culpa que carrego. Entrei na universidade me autodeclarando 'parda'. Sim, isso é horrível e não tem um dia que não pense nisso. Há muito tempo guardo essa vergonha dentro de mim e por mais que me sinta triste que o episódio mais sujo da minha ...

Leia mais
Igor do Vale:Folhapress

Após Unesp exigir prova para cotas raciais, 56 estudantes abandonam cursos

Mais de 50 alunos da Unesp (Universidade Estadual Paulista) decidiram abandonar seus cursos de graduação nesta semana, depois de saber que precisariam passar por uma entrevista presencial para comprovar que são pretos, pardos ou indígenas. Eles haviam entrado na Unesp por meio do sistema de cotas raciais. por Daniel Leite no Educação UOL Igor do Vale:Folhapress Para a universidade, as desistências se devem ao fato de a fiscalização contra fraudes nas cotas estar mais rigorosa este ano. Na Unesp, metade das vagas é destinada a egressos de escolas públicas. Desse total, 35% são para quem se autodeclara preto, pardo ou indígena. A primeira fase da análise sobre o fenótipo dos estudantes começou em janeiro, com a apresentação de documentos e o exame de fotos e vídeos dos matriculados na Unesp. As filmagens foram feitas durante a realização do vestibular, nas filas e nos corredores dos locais ...

Leia mais
Foto do professor sentado em um sofá e justificando porque ele acha que negros não são capazes de serem médicos. imagem tirada de video

Professor da Ufes acusado de racismo durante aula é demitido

Dias depois da denúncia, em entrevista, Malaguti reforçou que "se tivesse que escolher entre dois médicos, um branco e um negro, escolheria um branco". por Lais Magesky no Gazeta Online Professor teria feito declarações de caráter racista - Imagem Gazeta Online O reitor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) assinou nesta sexta-feira (15) a demissão do professor Manoel Luiz Malaguti Barcellos Pancinha, denunciado por alunos do curso de Ciências Sociais por ter dito frases de caráter racista e preconceituoso durante aula no dia 3 de novembro de 2014. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União pelo Ministério da Educação. A reportagem do Gazeta Online entrou em contato com o professor, que se recusou a conceder entrevista. De acordo com a Lei 8.112/90 citada na decisão, Malaguti foi demitido por "incontinência pública e conduta escandalosa na repartição". De acordo com relato de estudantes na época, ...

Leia mais
Remadores passam pelo rio Charles ao lado do campus da Universidade Harvard, em Cambridge, Massachusetts - Charles Krupa /Associated Press

Harvard discriminou intencionalmente estudantes asiático-americanos

Departamento de Justiça se posiciona ao lado de alunos em ação contra a universidade por Danielle Brant no Folha de São Paulo Remadores passam pelo rio Charles ao lado do campus da Universidade Harvard, em Cambridge, Massachusetts - Charles Krupa /Associated Press A Universidade Harvard intencionalmente discriminou estudantes asiático-americanos que se candidatavam a uma vaga na faculdade, uma das mais disputadas dos EUA, afirmou nesta quinta-feira (30) o Departamento de Justiça americano. No posicionamento formal publicado na manhã desta quinta, o departamento se posiciona ao lado de grupos de estudantes e pais de alunos em uma ação na qual a universidade é acusada de discriminar asiático-americanos em seu processo seletivo. No processo, que corre num tribunal federal de Boston, os candidatos dizem que a universidade atribuía notas mais baixas aos asiático-americanos do que aos de outras raças em critérios como “personalidade positiva”, simpatia, coragem, gentileza e ser “amplamente respeitados”. Esses ...

Leia mais
Representantes dos movimentos negros foram os primeiros a se manifestar - Foto: Eduardo-Sander

Em audiência na JFRS, movimentos negros e UFRGS entram em acordo para desocupação da reitoria

Após mais de quatro horas de conversa, representantes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e dos movimentos que ocuparam a reitoria da universidade chegaram a um acordo em relação aos critérios de análise racial adotados pela instituição no sistema de cotas. Com isso, os estudantes se comprometeram a deixar o prédio até às 18h desta sexta-feira (16/3). A audiência de conciliação aconteceu ao longo do dia na sede da Justiça Federal de Porto Alegre. no JFRS Juíza Ana Inès abriu audiência às 10h13min desta sexta-feira - Foto: Eduardo-Sander Com a condução da juíza federal substituta Ana Inès Algorta Latorre, que atua na 26ª Vara Federal de Porto Alegre, foi disponibilizada a palavra a ambas as partes, que puderam colocar seus pontos de vista e apresentar propostas para um entendimento mútuo. Já no início da tarde, a universidade se comprometeu a rever alguns pontos ...

Leia mais
Manaus 22/10/2017- a uea realiza mais um vestibular na unidade de saúde fotos Valdo leão/secom

‘Vagas eram ocupadas, mas não se viam negros’

As primeiras denúncias envolvendo cotas vieram de movimentos sociais na Universidade Federal do Rio Grande do Sul por Luiz Fernando Toledo,no  O Estado de S.Paulo PORTO ALEGRE/RS 07/12/2017 METROPOLE / EXCLUSIVO EMBARGADO / ESPECIAL DOMINICAL Falsos Cotistas da Universidade Federal do RGS - UFRGS. Na foto (E-D) Carla Zanella Souza, que é estudante de direito e integrantes do coletivo juntos, Cilas Machado, que é estudante de administração pública e social coletivo juntos negros e negras e Gleidson Renato Martins Dias, Especialista em Direito Público e Membro da Coordenação Nacional do MNU - Movimento Negro Unificado. FOTO: MARCOS NAGELSTEIN / ESTADÃO   PORTO ALEGRE E PELOTAS - As primeiras possíveis irregularidades no uso das cotas começaram a aparecer por causa de denúncias de militantes do movimento negro. Na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), 440 alunos foram denunciados em um documento elaborado ao longo de ...

Leia mais
blank

Brancos usam cota para negros e entram no curso de medicina da UFMG

Dezenas de brancos estão ingressando no curso de medicina da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), um dos melhores do país, fazendo uso fraudulento do sistema de cotas da instituição, criado em 2009. A queixa parte de alunos e é endossada pelo movimento negro e pelas entidades estudantis. no Folha de São Paulo, imagens Folha de São Paulo A universidade diz estar ciente de possíveis desvios em seu programa de ações afirmativas e, após ser procurada pela Folha, informou que vai aperfeiçoar o sistema de cotas e investiga denúncias que foram oficializadas. O caso mais inquietante entre a comunidade acadêmica é do calouro Vinicius Loures, 23. Embora ele tenha se autodeclarado negro na inscrição, chamam a atenção seus cabelos loiros e a pele e olhos muito claros. O calouro Vinicius Loures, 23, que se autodeclarou negro para entrar no curso de medicina da UFMG Além disso, ...

Leia mais
blank

Unicamp pune estudante negro por ativismo a favor de cotas raciais

Unicamp persegue e impõe suspensão de dois semestres a estudante negro, ativista do movimento de luta por cotas raciais na universidade. Por Douglas Belchior Do Negro Belchior Em nota, o Diretório Central dos Estudantes da Unicamp detalha a perseguição racista que o estudante Guilherme Montenegro tem sofrido por parte da reitoria desta universidade. Montenegro tem sido alvo de insultos e até ameaças sem que, no entanto, a reitoria se manifeste sobre isso. Ou seja, a universidade pune um estudante negro por seu ativismo por cotas raciais e democratização da instituição e por outro, é conivente com práticas racistas em seu ambiente. Segue abaixo o relato de Guilherme Por Guilherme Montenegro Ao entrar na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) qualquer aluno se depara com a caracterização de uma universidade de ponta, grande polo científico e tecnológico brasileiro, mas ainda assim é impossível não notar a expressão da desigualdade. Ser um estudante negro em uma universidade majoritariamente branca me ...

Leia mais
blank

Faculdade de Direito da USP aprova adoção do sistema de cotas raciais pelo Sisu

Agora, 20% das vagas serão destinadas para pretos, pardos e indígenas; 10% são para alunos de escolas públicas Por José Eduardo Bernardes Do Brasil de Fato A Congregação da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) aprovou, nesta quinta-feira (30), a inclusão de cotas sociais e raciais em seu Plano Político Pedagógico (PPP). Com a decisão, 20% das vagas da instituição oriundas do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) serão destinadas para pretos, pardos, e indígenas. Outros 10% são para alunos de escola pública. O restante, 70%, para alunos advindos do vestibular da Fuvest. Na última votação do órgão deliberativo, constituído por professores, estudantes e funcionários da faculdade, ocorrida no dia 20 de março, a Comissão de Graduação chegou a excluir a política de cotas do projeto. Os pontos que discutem as cotas foram considerados polêmicos, e o argumento era de que o PPP deveria se limitar às questões relativas à grade curricular. ...

Leia mais
blank

Conheça 7 mitos sobre as cotas raciais

As políticas afirmativas têm muitos opositores, mas será que eles têm razão em suas críticas? Do Brasil As cotas sociorraciais nas universidades públicas já são uma realidade há pelo menos uma década e ganharam, em 2012, o impulso da Lei de Cotas, que em 2016 reservará 50% das vagas para estudantes negros e oriundos da escola pública.  No entanto, muitos ainda insistem em criticar esse instrumento de inclusão social e reparação de dívidas históricas do país. E nem sempre usando argumentos muito confiáveis. Veja alguns dos mitos sobre as cotas sociais e raciais: 1. Cotas são inconstitucionais e ferem o princípio da igualdade Não foi assim que entendeu o STF (Supremo Tribunal Federal). Em 2012, a corte rejeitou por votação unânime uma ação contra o programa de cotas raciais da UnB. Os ministros entenderam que ações afirmativas, longe de criarem qualquer discriminação, são fatores de correção de desigualdades históricas. Isso porque ...

Leia mais
blank

Mais de 40 candidatos não negros tentaram ser diplomata pelas cotas raciais

Quarenta e sete candidatos que se declararam negros foram desclassificados do concurso para diplomata do Itamaraty, para concorrer as seis vagas reservadas ao sistema de cotas raciais do concurso. De acordo com o resultado da verificação da autodeclaração, divulgado pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), o fenótipo dos inscritos não foram confirmados de acordo com a Lei 12.990, de 2014, que regra a reserva de vagas para a minoria racial. Desde 2 de agosto deste ano, O Ministério do Planejamento divulgou nova orientação normativa para assegurar a veracidade da autodeclaração de candidatos que concorrem às vagas reservadas a negros ou pardos. Agora, os candidatos deverão comparecer pessoalmente frente à comissão avaliadora para terem seu fenótipo analisado. Os editais dos concursos públicos ainda deverão prever e detalhar os métodos de verificação a serem adotados por uma comissão deliberativa. Deverá, por exemplo, ser ...

Leia mais

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist