Tag: cultura africana

    Princesas levam a ‘Afrobetização’ para escolas de São Paulo

    Idealizado por estudantes universitárias, projeto promove ensino sobre culturas e histórias africanas Por Mariana Lima, Do Observatório 3º Setor As princesas Kambo e a princesa Funji. (Foto: Luane Chinaide) Duas princesas africanas viajam no tempo para contar para as crianças histórias sobre a cultura do continente africano, usando brincos mágicos herdados de sua avó. É assim que duas jovens se apresentam quando levam o Projeto Adeola para escolas e ONGs paulistanas. A ideia é ensinar de forma lúdica um pouco da cultura e da história da África para as crianças. O Projeto Adeola (termo africano para coroa de riquezas) surgiu em 2015 após pesquisas sobre ‘Afrobetização’ realizadas pelas estudantes universitárias Denise de Oliveira e Raísa Amaral, então estudantes da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). “As nossas princesas são pouco faladas. O que a gente faz é uma luta.” A primeira apresentação foi um convite de um participante ...

    Leia mais

    Conheça a rota das tradições e cultura africana no Brasil

    Foi na Serra da Barriga, antiga capitania de Pernambuco, hoje localizada em terras alagoanas, que o Quilombo dos Palmares fez história sobre a resistência negra contra a escravidão. E a data da morte de seu último líder, Zumbi, em 20 de novembro de 1695, marca hoje o Dia da Consciência Negra. no Folha do Litoral O dia é comemorado em mais de mil municípios brasileiros e busca, sobretudo, refletir a respeito das dificuldades enfrentadas pela população negra tanto no passado quanto no presente, além de ressaltar a importância da cultura africana e o impacto positivo que ela teve na evolução da cultura brasileira. Hoje, as tradições e ideologias do povo negro estão na política, sociologia, religião, arte, folclore e gastronomia do País e são responsáveis por trazerem traços únicos a grandes destinos turísticos brasileiros. É possível encontrar exemplos da influência africana em praticamente todo o território nacional, mas os Estados ...

    Leia mais

    Líderes de religiões de matriz africana celebram o tema da redação

    De acordo com a coordenadora estadual do Centro Nacional de Africanidade e Resistência Afro-Brasileira, Ruthneia Vieira, a tolerância religiosa ainda não é pauta nas escolas brasileiras. por Nathalia Amaral no Jornal O Dia Líderes religiosos de todo o país celebraram a escolha do tema da redação do Enem 2016, entre eles, os líderes de religiões de matriz africana. Instituída em 2003, a lei 10.639, alterada pela Lei 11.645 de 2008, levanta o debate sobre respeito e a tolerância religiosa nas escolas, tornando obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana em todas as escolas, públicas e particulares, do ensino fundamental até o ensino médio. No entanto, de acordo com a coordenadora estadual do Centro Nacional de Africanidade e Resistência Afro-Brasileira, Ruthneia Vieira, a tolerância religiosa ainda não é pauta nas escolas brasileiras. “Nós ainda temos escolas públicas em que as crianças são obrigadas a aprender orações católicas, direcionando o ...

    Leia mais

    Indira Lourenço, designer angolana, expões coleção artística em Nova Iorque

    Quatro peças de mobiliário artístico, com ênfase para detalhes da cultura africana, da artista angolana de belas artes Indira Lourenço estão expostas desde terça-feira à noite e vão até 2 de Agosto, na conceituada loja de mobiliário BoConcept, em Nova Iorque, Estados Unidos da América. no Angop Esta é a primeira exposição da angolana, que se estreia com a “colecção 45 graus”, com peças únicas. Com ênfase para a arte num contexto social, moda e funcionalidade, o trabalho tenta modernizar as formas e padrões normalmente encontrados em colecções de mobiliário africanos para criar cenário simples, original e funcional. Indira Lourenço, natural de Luanda, é membro da comunidade residente em Nova Iorque, há cinco anos, onde fez a sua licenciatura em Belas Artes na “New School of Interior Design” (Nova Escola de Desenho de Interiores). Fascinada pelos desenhos e padrões africanos que considera únicos, após ter concluído os seus estudos, passou ...

    Leia mais

    Cultura Africana

    A cultura africana tem uma principal característica: a diversidade. A África é o continente habitado há mais tempo em todo o planeta, é o ponto de origem do ser humano e, durante todo o tempo de evolução agregou uma enorme quantidade de idiomas, com mais de mil línguas diferentes, assim como religiões, regimes políticos, condições de habitação, de atividades econômicas e de cultura. Do Portal Brasil 10  Atualmente, a África, que ocupa um quinto das terras emersas na Terra, possui mais de 50 nações, com mais de 1 bilhão de habitantes. Cultura africana: o etnocentrismo e o eurocentrismo Como a maior parte da cultura africana foi transmitida oralmente, a história de seus povos foi contada pelos colonizadores europeus, através de missionários, viajantes e colonizadores que trouxeram os primeiros relatos sobre a vida e os costumes dos povos ali residentes. Desta forma, os colonizadores também se aproveitaram dos africanos para alimentar ...

    Leia mais

    Racismo e falta de formação dificultam educação de temas étnicos raciais nas escolas

    Mesmo previsto em lei há mais de uma década, o ensino das culturas afro-brasileira e indígena não é realidade em muitas redes de ensino Por DIMALICE NUNES, do Carta Educação  A inserção de temas sobre história e cultura afro-brasileiras voltou à pauta com o debate sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que entre as propostas elimina tópicos como História Antiga, Medieval e Moderna para priorizar a História do Brasil, das Américas e da África. No entanto, a discussão das relações étnico-raciais na escola e a inclusão desses temas vêm muito antes da BNCC. Em 2003, entrava em vigor a Lei 10.639, que obriga a inserção, nos currículos de escolas públicas e particulares, da história e cultura africana e indígena. Passada mais de uma década, a realidade está longe do que prevê a lei. Amilcar Araujo Pereira, doutor em História e professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio ...

    Leia mais
    Fotografia: Jaimagens

    Africanos devem escrever História dos países

    Iva Cabral, filha de Amílcar Cabral, disse, na sexta-feira, em Luanda, que a publicação de livros sobre a História de África deve ser uma preocupação dos académicos africanos com o intuito de melhor relatarem a cultura dos seus respectivos países. Por Manuel Albano, Jornal de Alagoas Historiadora de formação, Iva Cabral fez estas declarações durante a cerimónia de lançamento do livro “Cartas de Amílcar Cabral a Maria Helena-A outra face do homem”, que decorreu no Memorial António Agostinho Neto. Iva Cabral incentivou os historiadores a publicarem mais livros sobre a cultura dos seus povos, no sentido de deixar um legado às novas gerações. Na sua óptica, o facto de o ensino estar muito especializado “permite-nos deixar aos mais novos mais conhecimento”, ao contrário de se preparar uma geração com muito pouco conhecimento sobre o seu passado. Iva Cabral disse que os jovens devem ser incentivados a pesquisar, de maneira a terem ...

    Leia mais
    Pixabay

    Ensino de cultura africana é lei mas ainda precisa melhorar

    A Lei Federal 10639/03 determina que os conteúdos sobre história e cultura africana e afro-brasileira devem ser abordados em todos os níveis de ensino das redes privada e pública de todo o País. Contudo, a abordagem em sala de aula ainda depende mais da iniciativa pessoal do professor, incluindo a busca por material didático. Há também outros problemas que vão desde o preconceito de professores, pais e alunos, passando pelo desconhecimento da Lei e a deficiência na formação docente, até falhas no poder público. Por Agência USP “Apesar de a Lei ter sido promulgada em 2003, ainda hoje encontramos universidades que não trabalham esse conteúdo na formação docente”, aponta o professor de Língua Portuguesa e Literatura, André de Godoy Bueno, autor da dissertação de mestrado Literaturas africanas e afro-brasileira no ensino fundamental II. A pesquisa foi apresentada em agosto de 2015 na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da ...

    Leia mais

    Irmãs sergipanas fazem sucesso com grife inspirada na cultura africana

    Confira a primeira reportagem da série Made in Sergipe Por Fernanda Araujo, do F5News  Elas são irmãs e, além disso, sócias em um empreendimento de moda afrobrasileira em Sergipe - a grife Maria Marrenta. Apaixonadas pelo estilo da moda étnica, Amanda Rodrigues e Fernanda Teles sempre procuraram por roupas diferenciadas, mas a falta desse tipo de peça no mercado local inspirou as meninas. Elas começaram a confeccionar as próprias roupas com produtos da terra, tanto para usá-las, quanto para comercializá-las. “Nessa trajetória de não encontrar roupas diferentes, às vezes tínhamos que viajar para Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo. Então, criamos o ateliê”, diz Amanda. Sem se contentar com o padrão da moda, o espaço das irmãs surgiu com a proposta de atender a todos os tamanhos e idades, diversificando a gama de produtos desde roupas a acessórios e objetos de decoração, sempre mantendo o estilo afro. “A gente tenta ...

    Leia mais
    Imagem: Alamy

    Os docentes não contribuem para o conhecimento da cultura africana

    Resumo  O desconhecimento sobre África vem também pelo desinteresse dos docentes, que atingem fatores extremos e recuso a sua própria identidade, um dos motivos do desinteresse em abordar assuntos reais sobre a história da África é o preconceito e a religião de cada docente e a gestão escolar, gestão essa em que na maioria dos casos, não encaram o estudo da história de seus descendentes como disciplina obrigatória, mesmo ela estando sendo reconhecida pela Lei 10.639/03, prejudicando assim o conhecimento e a construção de uma cultura colonizada. por Fabiano Correia de Araujo via Guest Post para o Portal Geledés Imagem: Alamy RESUME  Lack of knowledge about Africa is also the disinterest of the teachers who reach extreme factors and refuse its own identity, one of the reasons for disinterest in addressing real issues on the history of Africa is the prejudice and religion of each teacher and ...

    Leia mais

    DF ganhará museu em homenagem à influência da cultura africana no país

    Obras ficarão ao lado da Ponte JK; recursos virão do governo federal. Projeto de construções será escolhido por meio de concurso internacional. No G1 Brasília vai ganhar um museu e um parque temático em homenagem à influência da cultura africana no país. O terreno na capital para as construções foi doado nesta terça-feira (10) pelo governador Rodrigo Rollemberg para o ministro da Cultura, Juca Ferreira. Pelo projeto sob responsabilidade da Fundação Cultural Palmares, haverá um museu sobre a cultura aficana e um parque temático em homenagem a Nelson Mandela – ex-presidente sul-africano e representante do movimento contra o apartheid. O espaço, da Terracap, fica ao lado da Ponte JK, próximo da QL 24, no Lago Sul. O governo federal vai arcar com os custos das obras, que deve ficar entre R$ 150 milhões e R$ 200 milhões. O edital para a arquitetura das construções deve ser lançado em 21 de ...

    Leia mais

    Livro aborda influência da cultura africana no vestuário do brasileiro

    Obra tem coedição da Fundação Biblioteca Nacional (FBN), em parceria com a Seppir, da Presidência da República por Portal Brasil no Brasil.Gov Resultado de uma herança que remonta à época colonial, a influência da cultura africana está presente nas cores e nos desenhos estampados no vestuário dos brasileiros. O tema é abordado, de forma inédita, no livro "O africano que existe em nós, brasileiros", de autoria da designer de moda Julia Vidal, lançado nesta semana, no Rio de Janeiro. A obra tem coedição da Fundação Biblioteca Nacional (FBN), em parceria com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) da Presidência da República. Descendente de africanos, indígenas e europeus, Julia Vidal, graduada em comunicação visual pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), buscou no livro documentar a origem estética da identidade brasileira e mostrar como ela se materializou na moda. “Busquei identificar formas ...

    Leia mais
    iStockphoto

    Livro aborda influência da cultura africana no vestuário do brasileiro

    Resultado de uma herança que remonta à época colonial, a influência da cultura africana está presente nas cores e nos desenhos estampados no vestuário dos brasileiros. O tema é abordado, de forma inédita, no livro O africano que existe em nós, brasileiros, de autoria da designer de moda Julia Vidal, lançado nesta semana, no Rio de Janeiro. A obra tem coedição da Fundação Biblioteca Nacional (FBN), em parceria com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) da Presidência da República. Por Paulo Virgílio no EBC  iStockphoto Descendente de africanos, indígenas e europeus, Julia Vidal, graduada em comunicação visual pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), buscou no livro documentar a origem estética da identidade brasileira e mostrar como ela se materializou na moda.  “Busquei identificar formas e ritos que fazem parte do nosso cotidiano, a fim de ...

    Leia mais

    Influência de Angola é vista em vários traços culturais do brasileiro

    A influência africana no Brasil aparece em uma série de traços culturais e pode ser vista no idioma, na comida, na música, nas manifestações religiosas e no próprio jeito de se comportar do brasileiro. De tradição bantu, Angola foi um dos países que mais contribuíram para essas influências; reportagem especial de Marcelo Brandão, da Agência Brasil Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil no Brasil 247 A influência africana no Brasil aparece em uma série de traços culturais e pode ser vista no idioma, na comida, na música, nas manifestações religiosas e no próprio jeito de se comportar do brasileiro. De tradição bantu, Angola foi um dos países que mais contribuíram para essas influências. O povo bantu é originário de várias regiões do Continente Africano, como o Sul da África e a África Central, na qual se encontra Angola. As várias etnias desse povo se misturaram nos navios negreiros a ...

    Leia mais

    Peça sobre cultura africana direcionada para crianças no Centro

    Beleza, magia, mitos e curiosidades do continente africano contados por Priscila Camargo No O Dia  Rio - Uma viagem pela cultura africana é a proposta do espetáculo ‘Histórias da Mãe África’, concebido e protagonizado por Priscila Camargo. A peça, em cartaz no Teatro Dulcina, leva ao palco a beleza, a magia e os mitos de países daquele continente, como Senegal e Marrocos, passando também por curiosidades afro-brasileiras e de outros povos da região. Com números musicais e de dança, o espetáculo é resultado de um trabalho de pesquisa que passeia pela geografia, contradições e religiosidade do povo africano. Priscila Camargo divide a cena com bonecos e músicos que se apresentam ao vivo. TEATRO DULCINA . Rua Alcindo Guanabara 17, Centro (2240-4879). Sáb e dom, às 16h. R$ 20. Até dia 21de dezembro.

    Leia mais
    Shutterstock

    Professores evangélicos impedem ensino da história e cultura africana nas escolas, diz especialista

    Uma lei que torna obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira nas escolas estaria sendo descumprida devido à atuação de professores evangélicos, que estariam sendo um “entrave” no assunto. A afirmação é da professora Ana Célia da Silva, da Universidade Federal da Bahia (UFBA). do GNotícias Shutterstock A lei 10.639, publicada em janeiro de 2003, prevê que os alunos aprendam sobre os ancestrais africanos e sua cultura e história. Numa entrevista ao portal EBC, Ana Célia diz que a religião e a falta de formação dos professores são os principais pontos que dificultam a colocação da lei em prática. “O desafio maior hoje é a atuação das igrejas evangélicas através dos professores evangélicos que, em sua grande maioria, demonizam tudo em relação à história e cultura afro-brasileira. Porque a história e cultura afro-brasileira parte da religiosidade, da cultura, e eles acham que tudo é demônio”, ...

    Leia mais

    Sesc Vila Mariana propõe resgate da herança africana

    O projeto Sankofa - Memórias de Mão Dupla enfoca diversas linguagens, com destaque para a música de matriz africana Durante todo o mês de Novembro, o Sesc Vila Mariana apresenta o projeto Sankofa - Memórias de Mão Dupla, que busca a ressignificação das tradições e heranças africana mundo afora. O projeto conta com doze apresentações musicais, propondo uma amostra das releituras possíveis da rica tradição musical africana. Já na primeira semana do mês, os trabalhos iniciam-se com as apresentações de Lei Di Dai, que, em formato DJ e MC, apresenta a sonoridade Dancehall Reggae, e de Fernanda de Paula, enfocando cânticos de candomblé e também composições de nomes consagrados como Baden Powell, Vinícius de Moraes e Pixinguinha. As apresentações, gratuitas, acontecem na Praça de Eventos, às 13h30, nos dias 1, sábado (Lei Di Dai - também no dia 9, domingo) e no dia 2, domingo (Fernanda de Paula - também ...

    Leia mais

    Primeiro curso de formação em Comunicação Alternativa e Produção de Conteúdo de África Contemporânea

    Jornalistas, escritores e aspirantes apaixonados por África: O Afreaka abre vagas para o Primeiro curso de formação em Comunicação Alternativa  e Produção de Conteúdo de África Contemporânea. Serão quatro encontros, sempre às segundas, realizados entre o dia 17 de Novembro e 08 de Dezembro. *Afreakas via Guest Post para o Portal Geledés O curso é gratuito e serão selecionados 20 participantes. O objetivo é, ao trazer exemplos de uma África pouco conhecida no Brasil, fora dos clichês da mídia, discutir não apenas o continente africano, mas, sobretudo, a sua produção cultural e intelectual, o enxergando como um espaço ativo, protagonista. Ao desconstruir a imagem estereótipo do continente, rompe-se um fluxo de informação negativa que permeia o conteúdo hoje disposto em parte das redes de ensino e das grandes mídias brasileiras. Além disso, o curso também terá foco na produção de conteúdo para comunicação alternativa, construindo novas formas de abordagens de pautas, temas e ...

    Leia mais

    História e cultura africana e afro-brasileira na educação infantil – livro do professor

    “A educação é a arma mais forte que você pode usar para mudar o mundo.” Nelson Mandela Fonte: Unesco Reprodução/http://unesdoc.unesco.org O Ministério da Educação (MEC), a Representação da UNESCO no Brasil e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), têm a satisfação de apresentar o livro “História e cultura africana e afro-brasileira na educação infantil”. A publicação objetiva contribuir com os sistemas de ensino para a inserção de conteúdos que relacionem a história e a cultura da África e dos afro-brasileiros no currículo da educação básica, para reforçar o compromisso com o fortalecimento dos laços existentes entre o Brasil e a África. O livro faz parte das ações realizadas no escopo do Programa Brasil- África: Histórias Cruzadas, desenvolvido por meio da parceria entre a Representação da UNESCO no Brasil e o Ministério da Educação, por intermédio da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI) ...

    Leia mais
    Página 1 de 2 1 2

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist