Tag: Djamila Ribeiro

    Djamila Ribeiro participa da 19ª Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto (SP) — Foto: João Thiago/Divulgação

    Djamila Ribeiro critica combate seletivo ao preconceito

    Na Feira do Livro de Ribeirão Preto, escritora defendeu a luta contra a opressão, seja ela qual for. 'Não dá para ser feminista e não entender que existe LGBTfobia no Brasil', afirma. Por Pedro Martins*, G1  Djamila Ribeiro participa da 19ª Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto (SP) — Foto: João Thiago/Divulgação Considerada uma das principais vozes do feminismo negro no Brasil, a filósofa e escritora Djamila Ribeiro nega que o movimento seja uma "vertente" ou "escalonamento" do racismo, destacando que a luta contra a opressão não pode ser seletiva. Polêmica e de opinião conceitual, embasada na literatura, em estudos acadêmicos e na própria experiência, Djamila diz que é preciso combater o preconceito não só de gênero, mas de classe social, raça e orientação sexual. “Não dá para lutar contra uma opressão e reforçar outra. Lutar contra o machismo e reforçar o racismo é alimentar ...

    Leia mais
    Foto: Gabo Morales/TRËMA

    O pacto branco e a maldição da mediocridade por Djamila Ribeiro

    Não é real que só um grupo produza mentes e talentos por Dijamila Ribeiro na Folha de São Paulo Foto: Gabo Morales/TRËMA Cada pessoa negra consciente deste país consegue listar inúmeros exemplos de como o Brasil está sequestrado por um grupo de pessoas brancas que se protegem em nome das estratificações postas desde Álvares Cabral. A reforma da Previdência é mais uma medida que precariza e realimenta a estrutura casa grande-senzala, uma vez que atinge justamente a camada que mais sofre com trabalho extenuante, com a carga tributária sobre consumo que onera desproporcionalmente pessoas pobres e negras, como afirma Silvio Almeida, forçando-as que trabalhem até que morram para que a elite e a pretensa elite possam desfrutar do servilismo “ad eternum”. Uma espécie piorada da Lei do Sexagenários, dos tempos da escravidão, em vias de ser aprovada a toque de caixa para benefício de um grupo ...

    Leia mais
    Sueli Carneiro (Foto- Caroline Lima)

    Evento gratuito voltado à literatura afro-brasileira é realizado em Porto Alegre

    12ª Festipoa Literária começa nesta segunda-feira (29) e segue até o dia 6 de maio. Programação está espalhada por diversos espaços da Capital. Do G1  Começa nesta segunda-feira (29) a 12ª Festipoa Literária em Porto Alegre. O evento, voltado à literatura afro-brasileira, é gratuito e ocorre até o dia 6 de maio em diversos espaços da Capital. A abertura oficial está marcada para as 19h, no Salão de Atos da UFRGS​. Sueli Carneiro, homenageada desta edição, participa de uma conversa com a filósofa e ativista Djamila Ribeiro e a jornalista, poeta e editora Fernanda Bastos. Outros nomes integram a programação (veja abaixo). Sueli Carneiro (Foto- Caroline Lima) Filósofa, ensaísta e fundadora do Geledés – Instituto da Mulher Negra, Sueli é um dos nomes mais destacados do feminismo negro no Brasil. "Com todo mundo que a gente conversa, a Sueli é referência para todas elas. A raiz ...

    Leia mais

    Cartas pro Lula- Djamila Ribeiro

    Estimado Presidente Lula, Por Djamila Ribeiro, do Cartas pro Lula Imagem: Lucas Lima Expresso nesta carta minha profunda solidariedade frente às injustas condenações e perseguições judiciais sofridas por você e sua família. Acompanho desde o início a farsa jurídica posta em curso para legitimar o antipetismo, a deterioração de empresas nacionais e a alteração no curso eleitoral brasileiro, farsa cada vez mais escancarada agora com o juiz como ministro da justiça do candidato favorecido pelo seu afastamento na disputa. Não o conheço para além de um cumprimento uma única vez na quadra do Sindicato dos Bancários em São Paulo, em 2016, bem como, embora tenha sido Secretária Adjunta de Direitos Humanos na gestão de Fernando Haddad, não faço parte de partido político. Nem por isso, deixo de admirar as conquistas de seus mandatos para o país; pelo contrário, sou de família de trabalhadores que o apoiaram ...

    Leia mais

    Djamilas, Silmaras, Marielles: mulheres pretas que movimentam as estruturas do mundo

    Sistemas de opressão são alicerçados pelas intersecções de: raça, classe e gênero, capacidades físicas e mentais na sociedade por Márcio Anastácio no Jornalistas Livres imagem-Jornalistas Livres Se tem um movimento no Brasil que hoje tem inspirado mulheres ativistas no mundo inteiro , lançando curiosidade na imprensa internacional e organizações ativistas, ele denomina-se feminismo negro. Historicamente construído pelo movimento das Panteras Negras na década de 70 nos Estados Unidos, é também disseminado no meio acadêmico brasileiro como feminismo interseccional. O conceito de intersecção, cunhado pela professora norte americana Kimberlé Crenshaw em 1989 respalda-se na visão de que as mulheres experimentam a opressão em configurações variadas e em diferentes graus de intensidade. Deste modo,os sistemas de opressão são alicerçados pelas intersecções de: raça, classe e gênero, capacidades físicas e mentais na sociedade . Por isso, a mulher negra em atual contexto de avanço conservador nos últimos 3 anos ...

    Leia mais
    Djamila Ribeiro e Dilma Rousseff. Foto: Reprodução/Instagram

    “O que mais eles querem?”: Djamila Ribeiro conta como protegeu Dilma de agressão em aeroporto

    Publicado originalmente no Instagram da filósofa Djamila Ribeiro No DCM Hoje aconteceu uma situação absurda. Estávamos eu e Ísis realizando o nosso check in quando vimos a presidenta Dilma. Ao sair do guichê, uma senhora nos pergunta: “vocês são brasileiras? Venham xingar Dilma”. Ignoramos e seguimos. Assim que chegamos mais perto, vimos um grupo de brasileiros hostilizando e dizendo coisas horríveis a Dilma. Um deles chegou a dizer que ela teria o mesmo fim que Marielle. Eu e Ísis prontamente nos solidarizamos e começamos a defendê-la. O grupo foi se calando e policiais se aproximaram para fazer a segurança de Dilma. Ficamos conversando alguns minutos com ela. Fomos caminhando com ela em direção a sala de embarque. Assim que nos despedimos, o grupo voltou a gritar e a ofender Dilma. Aí eu me irritei e fui em direção ao grupo. Disse que eles deveriam respeitá-la independente de posição política. Que eles ...

    Leia mais
    A filósofa e ativista brasileira Djamila Ribeiro participou do programa da chancelaria francesa Personalidades do Amanhã.

    “Feminismo negro não exclui, amplia”: Djamila Ribeiro debate ativismos a convite da França

    Em entrevista exclusiva à RFI, em Paris, Djamila Ribeiro recupera momentos dessa trajetória que a transformaram em um dos principais nomes do feminismo e do ativismo brasileiro e comenta as descobertas feitas na França, país que ela ainda não conhecia. Por Márcia Bechara no RFI A filósofa e ativista brasileira Djamila Ribeiro participou do programa da chancelaria francesa Personalidades do Amanhã. RFI:Márcia Bechara   A última vez que a escritora, pesquisadora e ativista Djamila Ribeiro conversou com a RFI Brasil foi no Dia Internacional dos Direitos da Mulher do ano passado, 8 de março de 2018. Menos de uma semana depois, a vereadora carioca Marielle Franco seria assassinada a tiros junto com seu motorista no Rio de Janeiro. O baque marcou a trajetória de Djamila Ribeiro, que foi recebida esta semana em Paris pela diplomacia francesa, um convite que partiu do governo de Emmanuel Macron para que ela ...

    Leia mais
    Felipe Larozza/VICE

    Djamila Ribeiro será homenageada como “personalidade do amanhã” pelo governo da França

    A filósofa Djamila Ribeiro, Mestre em Filosofia Política pela Universidade Federal de São Paulo, autora de livros e colunas, será uma das homenageadas pelo governo francês pelo programa “Personalidade do Amanhã”. Do Yahoo Autora de livros e colunas, Djamila será uma das homenageadas pelo governo francês pelo programa “personalidade do amanhã”. (Foto: Felipe Larozza/VICE) O programa seleciona uma pessoa por país da América Latina e Caribe por sua projeção atual e impacto no futuro. Além da homenagem, Djamila passará dez dias em agendas oficiais pelo país, como a visita nos órgãos oficiais francesas, ao parlamento europeu, encontro com o presidente da França Emmanuel Macron, bem como outros encontros com ativistas locais. A pensadora brasileira ganhou projeção nacional pelos conteúdos de suas manifestações nas redes sociais, com destaque na luta contra o racismo. Além disso, seus livros “O que é Lugar de Fala?” e “Quem tem medo do ...

    Leia mais
    Sueli Carneiro (Foto- Caroline Lima)

    Sueli Carneiro revê trajetória feminista e de luta contra o racismo em livro – Hoje

    Com um sorriso nos lábios, Sueli Carneiro segura com carinho no braço desta que lhes escreve e deixa claro que o objetivo de nosso encontro, uma longa conversa sobre sua vida, naufragara. “Não considero minha vida pessoal interessante e criativa, mas sou uma ativista e, desse lugar, fico confortável em falar”, diz ela, que dá raras entrevistas, e aceitou receber Marie Claire a pedido de nossa colunista, a filósofa Djamila Ribeiro. “Prefiro focar no meu livro e na proposta de Djamila”, diz Sueli, sobre Escritos de Uma Vida (Letramento, 238 págs., R$ 42). A obra que inaugura o selo Sueli Carneiro, criado por Djamila, é a primeira a reunir artigos escritos pela mais importante feminista negra do país. Com prefácio de Conceição Evaristo, compõe um panorama da jornada dessa filósofa de 68 anos que, ao contrário do que afirma, tem, sim, uma trajetória excepcional. Nascida na Lapa, região oeste de ...

    Leia mais
    Foto Gabo Morales – TRÉMA

    “Sueli Carneiro contribuiu para a restituição de nossa humanidade”, diz a filósofa Djamila Ribeiro

    Djamila Ribeiro é uma das maiores feministas negras da contemporaneidade no país. Mestre em Filosofia Política e autora de dois best sellers, Quem tem medo do feminismo negro? (2018) e O que é lugar de fala? (2017), agora Djamila faz um tributo a Sueli Carneiro, uma das diretoras do Geledés – Instituto da Mulher Negra e ícone da luta contra o racismo e sexismo, ao lançar um selo com seu nome. O primeiro livro deste selo é Sueli Carneiro: Escritos de uma obra, com lançamento previsto no SESC Pompeia, em São Paulo, na próxima terça-feira 4, às 19h30. Com prefácio da ilustre escritora Conceição Evaristo, o livro reúne uma série de artigos escritos anteriormente por Sueli – um resgate essencial da pensadora e de suas posições sobre temas relevantes à população negra, em especial às mulheres negras. Nesta entrevista à coluna Geledés no debate, Djamila contou que conheceu Sueli na Casa da Cultura da Mulher Negra, uma organização não governamental santista, onde ...

    Leia mais
    Foto: Gabo Morales/TRËMA

    Djamila Ribeiro já entrou para a História literária

    Por um breve tempo, refleti se escreveria este texto ou não. Se valeria a pena esta posição aqui ou não. E me lembrei do texto de Reni Eddo-Lodge – que eu traduzi aqui no blog – sobre não mais falar sobre raça com pessoas brancas. Em um determinado momento do texto, Eddo-Lodge explicita que, a depender do local, e das pessoas que podem ser alcançadas e do impacto de suas palavras nestas, vale a pena ainda falar. Por isso, eu explicito logo de cara: este não é um texto para brancos. E, pelo simples fato de que eu sei que eles não querem ouvir. Mais uma vez, emprestando o humor britânico da autora supracitada, uma grande parte dos brancos, não todos eles. Assim, já adianto que, caso algum branco leia este texto, já está garantida a sua negação e “excecibilidade”. Por JULIANA BORGES, do Afropiniões Foto: Gabo Morales/TRËMA ...

    Leia mais
    Djamila Ribeiro é autora do best-seller 'Quem tem medo do feminismo negro' Foto- Marcos Alves : Agência O Globo

    Djamila Ribeiro: ‘A gente luta por uma sociedade em que as mulheres possam ser consideradas pessoas’

    Escritora participa da mesa 'Feminismos plurais' na Flup por Thayná Rodrigues no O Globo Djamila Ribeiro é autora do best-seller 'Quem tem medo do feminismo negro' Foto- Marcos Alves : Agência O Globo No mês da Consciência Negra, a Festa Literária das Periferias (Flup) homenageia Maria Firmina dos Reis, que publicou seu primeiro livro, "Úrsula", em 1859. Pioneira no romance antiescravagista no Brasil, a mulher que cresceu órfã e se apaixonou pelas Letras na adolescência tornou-se autodidata e passou em primeiro lugar num concurso para ser professora primária. Nordestina do Maranhão, a educadora fundou no estado a primeira escola pública para meninos e meninas do país, no século 19. Mas Maria não foi reconhecida em vida. Pela memória passada de Maria Firmina, Djamila Ribeiro — autora do best seller brasileiro "Quem tem medo do feminismo negro" (Companhia das Letras, 2018) — recupera a inspiração na autora e ...

    Leia mais

    Camila Pitanga protagoniza viagem incrível à África do Sul

    Camila Pitanga embarcou recentemente para uma experiência incrível. Junto de um grupo de mulheres, entre elas Nátaly Neri, Djamila Ribeiro, a jornalista Milly Lacombe e a cinegrafista Carol Rocha, elas foram convidadas para participar de uma viagem com um grande intuito cultural. Por Pedro Ungheria  Do Ofuxico Camila Pitanga protagoniza viagem incrível à África do Sul Foto: Reprodução/Ofuxico A fim de desbravar os locais que ficaram marcados por terem feito parte, de alguma forma, da história de Nelson Mandela, as mulheres partiram com o destino à África do Sul. Percorrendo os passos do grande líder sul-africano, elas estão conhecendo um pouco mais da riquíssima herança cultural do país. A viagem foi organizada pelo South African Tourism, escritório do turismo da África do Sul no Brasil, como uma das ações de celebração do centenário de Nelson Mandela. A ideia é mostrar, através do olhar dessas mulheres brilhantes, a ...

    Leia mais
    Empatia (Foto- Mauricio Planel)

    Precisamos promover uma coexistência ao nosso redor

    Djamila Ribeiro escreve sobre como podemos romper os muros invisíveis que dividem os diferentes grupos da sociedade por Djamila Ribeiro no GQ Empatia (Foto- Mauricio Planel) Peço que leiam esta carta de coração aberto. Muitas das coisas escritas aqui vão incomodar, desestabilizar um lugar de conforto e a vontade poderá ser parar de ler ou julgar que é mimimi. Por isso, se desafiem, meu objetivo é criar pontes em vez de se manter muros. Pensei em começar a partir das reflexões trazidas em O que é Lugar de Fala? (Letramento/Justificando), primeiro livro de minha autoria, onde parto de intelectuais negras para resgatar o conceito que nos auxilia a pensar um projeto de mundo diverso, com a coexistência de vozes, para, a partir do grupo social a que pertencermos, podermos pensar uma postura ética na luta contra todas as formas de opressão. Sou uma mulher negra e, como ...

    Leia mais
    Foto: Gabo Morales/TRËMA

    Djamila Ribeiro faz sessão de autógrafos e participa de bate-papos abertos em Brasília

    Filósofa lança 'Quem tem medo de feminismo negro?' e 'O que é lugar de fala?' na Asa Norte e no Gama. Veja programação. Do G1 Foto: Gabo Morales/TRËMA A filósofa e escritora Djamila Ribeiro faz sessão de autógrafo dos livros "Quem tem medo de feminismo negro?" e "O que é lugar de fala?" nesta sexta (31) e no sábado (1º) em Brasília. O evento inclui roda de conversa e performances – entrada é gratuita. Nesta sexta, o evento começa às 19h no EWE Gastronomia, na 216 Norte, com a apresentação de "Poetas negras purais", com Marina Andrade, Vera Verônika, Guerreira Lilian, Prethaís, Julia Nara, Meimei Bastos e Marina Mara. O bate-papo começa às 20h com Keka Bagno, Leila Negalaize, Graça Santos, Joseanes Santos e Djamila. A sessão de autógrafos será das 21h15 às 22h. Haverá, ainda, uma feira com a VRA Acessórios, as pochetes da Mariana ...

    Leia mais

    Djamila Ribeiro: ‘Não tem problema maior hoje no Brasil do que discutir o racismo’

    Djamila Ribeiro talvez seja a principal referência intelectual negra da atualidade. Autora de dois best sellers que estiveram entre os mais vendidos nas recentes edições da Bienal do Livro de São Paulo e Flip — Quem tem medo do feminismo negro? (2018) e O Que é Lugar de Fala? (2017) –, Djamila tem se tornado uma fala cobiçada no circuito nacional de palestras. Nesta sexta-feira (17), o Teatro Dante Barone, da Assembleia Legislativa, lotou para ouvir sua conferência “Lugar de Fala: discutindo subjetividades e grupos sociais”, no Encontro Gaúcho da Psicologia. Por Luís Eduardo Gomes Do Sul21 O Sul21 conversou com a filósofa e escritora Djamila Ribeiro antes de conferência no Encontro Gaúcho de Psicologia | Foto: Guilherme Santos/Sul21 Em conversa de cerca de 20 minutos com o Sul21 no camarim do teatro antes do evento, Djamila responde quem tem medo do feminismo negro? Para a filósofa, classificar as questões de raça, gênero e ...

    Leia mais
    Foto: Walter Craveiro/ Divulgação

    ‘Se quiserem debater, que leiam’, diz Djamila Ribeiro sobre racismo

    Para filósofa, deslegitimação de conceitos não é algo novo e militância não 'deve ficar só na reação' Por Marília Moreira, do Correio 24 Horas Foto: Walter Craveiro/ Divulgação Uma das escritoras mais vendidas do Brasil atualmente, a filósofa paulista Djamila Ribeiro é destaque da programação da Festa Literária Internacional do Pelourinho (Flipelô) hoje. Ao lado da escritora e poeta cearense Jarid Arraes, Djamila discute o tema Literatura Feminista Negra no Brasil: As Vozes da Vez, às 11h, em mesa mediada pelo jornalista Rodrigo Casarin. A filósofa, que vem conquistando cada vez mais seguidores com seu trabalho, lançou recentemente o  livro Quem Tem Medo do Feminismo Negro? (Companhia das Letras, R$ 29,90). O título já é um best-seller, assim como O Que É Lugar de Fala (Letramento, R$ 19,90), o primeiro da coleção Feminismos Plurais, que esse mês ganha mais um lançamento: O Que É Interseccionalidade, da pesquisadora baiana Carla ...

    Leia mais
    Djamila Ribeiro na Flip - @waltercraveiro / Divulgação

    ‘Não dá pra ser feminista e ser a favor da redução da maioridade penal’, diz Djamila Ribeiro em mesa da Flip

    Quarta mesa desta quinta-feira da Flip trouxe a política para o primeiro plano aquecendo os debates em Paraty. A fllósofa brasileira Djamila Ribeiro e a escritora argentina Selva Almada conversaram sobre as diferentes formas de feminismo, seus avanços e desafios, sob o olhar social e literário. por Jan Niklas no O Globo Djamila Ribeiro na Flip - @waltercraveiro / Divulgação O debate se iniciou com uma citação da autora Chimamanda Ngozi Adichie feita pela mediadora Alice Sant'Anna, que serviu como uma espécie de fio condutor da conversa. — Chimamanda lembra que é perigoso conhecer apenas uma versão da história. Há muitas versões que não só devem, como podem ser contadas — disse Alice. Pensando na importância de como se narra a realidade, Selva Almada ressaltou a urgência de conceitos como o "feminicídio" para uma melhor compreensão da violência que atinge as mulheres. — Há alguns anos poucas pessoas ...

    Leia mais
    Djamila Ribeiro durante sua mesa na Flip 2018 nesta quinta-feira (26) (Foto: Walter Craveiro/Divulgação)

    Djamila Ribeiro defende feminismo negro em mesa sobre feminicídio e lembra Marielle Franco: ‘racismo institucional’

    Ao defender o feminismo negro – e a ideia de que há feminismos, no plural ("a gente não pode tratar a questão das opressões como competição") –; dizer que "não dá para ser feminista sem ser antirracista, sem lutar contra a opressão por conta de orientação sexual e sendo a favor da maioridade penal e da reforma trabalhista"; e lamentar a morte de Marielle Franco, Djamila Ribeiro foi bastante aplaudida na concorrida mesa de que participou no final da desta quinta-feira (26) na 16ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip). Do bom encontro chamado "Amada vida", também participou a argentina Selva Almada, autora "Garotas mortas" (Todavia) sobre três casos de jovens assassinadas em seu país. No debate, falou bastante sobre feminicídio, violência contra a mulher (disse que é no abuso cotidiano que se sutenta o assassinato) e também ganhou palmas várias vezes. Mesmo antes de a mesa começar, já dava ...

    Leia mais
    Felipe Larozza/VICE

    Flip 2018: 2º dia tem debates sobre violência contra a mulher, feminismo negro, religião, solidão e morte

    Djamila Ribeiro, autora de 'O que é lugar de fala?' e 'Quem tem medo do feminismo negro?', está na programação desta quinta, que tem ainda Sérgio Sant'anna e um especialista em literatura medieval. Do G1 Foto: Felipe Larozza/VICE Um debate que deve abordar violência contra a mulher e feminismo negro; um escritor brasileiro consagrado falando sobre temas como solidão e morte; e uma conversa sobre religião, magia, luxúria e leitura na época medieval são os principais destaques desta quinta-feira (26), segundo dia da 16ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip). Da Mesa "Amada vida", marcada para as 17h30, participam a brasileira Djamila Ribeiro e argentina Selva Almada. Djamila é autora do livro "O que é lugar de fala?" (Letramento), que saiu no ano passado, e acaba de lançar "Quem tem medo do feminismo negro?" (Companhia das Letras). Já Selva Almada escreveu sobre histórias reais de feminicídio. ...

    Leia mais
    Página 2 de 6 1 2 3 6

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist