quinta-feira, fevereiro 25, 2021

Tag: língua portuguesa

O passado do Brasil é africano, e o futuro? talvez seja africano

De 15 a 17 de março, a UFBA sediou uma conferência internacional de alto nível para debater “Poder e dinheiro na era do tráfico: escravidão e outros laços econômicos entre África e Brasil” * Por Mariluce Moura e Ricardo Sangiovanni Do Edgar Digital O negócio do tráfico de escravos, que forjou uma verdadeira economia-mundo a partir do Atlântico Sul, e a teia de relações econômicas, políticas, sociais e culturais entre África e Brasil, ao longo de mais de 300 anos, têm uma radical centralidade, ainda pouco compreendida e aceita, na formação da nação brasileira, disse o historiador Luiz Felipe de Alencastro, na conferência de abertura do evento “Poder e dinheiro na era do tráfico: escravidão e outros laços econômicos entre África e Brasil”, na noite de quarta feira, 15 de março, no auditório do PAF I, campus de Ondina. Mais ainda, ao articular a esse passado a retomada significativa das relações ...

Leia mais
(Foto: Reprodução/ Editora EDUFBA)

O Português Afro-Brasileiro

Apresentação Este livro se originou em uma disciplina sobre línguas pidgins e crioulas ministrada por Alan Baxter (na época, Professor Associado da Universidade La Trobe, na Austrália), como professor convidado do Mestrado de Linguística Portuguesa Histórica, coordenado pelo Prof. Dr. Ivo Castro, na Universidade de Lisboa. Nessa disciplina, Baxter apresentou a hipótese das origens crioulas do português popular do Brasil, com base nas recentes formulações de Gregory Guy e John Holm. Um de seus alunos, Dante Lucchesi, contestou tal hipótese, em função de sua formação estruturalista, recebida durante a graduação, na Universidade Federal da Bahia (UFBA). Segundo essa visão, as mudanças que afetaram a língua portuguesa no Brasil já estavam prefiguradas na sua estrutura, e o contato com índios e africanos só teria acelerado essas tendências seculares. Apesar da divergência, Alan Baxter orientou o trabalho final da disciplina de Dante Lucchesi sobre os artigos nos crioulos de Cabo Verde e São Tomé, que seria publicado no Journal of Pidgin and Creole Languages, em ...

Leia mais
Foto: Jupiterimages/Creatas/Getty Images

“A língua portuguesa que falamos é culturalmente negra”

“A proximidade entre o português arcaico e as línguas do grupo banto resultou no português que falamos hoje” Por Marcello Scarrone, do RHBN Jupiterimages/Creatas/Getty Images   Nossa língua africana   Em Angola, ela é Yeda “Mun-tu” Castro. Na Nigéria, é Yeda Pessoa “Olobumim” Castro. Vem de longe a relação da etnolinguista e professora da Universidade do Estado da Bahia com a cultura africana. Ainda criança, em Feira de Santana, Yeda viu-se com o desejo de decifrar a incompreensível língua falada pelos negros. Desejo que a levou a desbravar um caminho em tudo pioneiro: mestrado na Nigéria, doutorado no Zaire e a descoberta de uma herança linguística fundamental para o português falado no Brasil.   Se nos orgulhamos de falar “cantano”, devemos agradecer ao gosto das línguas banto pelas vogais. Vem da mesma fonte africana o costume de abolir os plurais, como em “as criança” e “os ...

Leia mais
Foto: Dione Afonso/ Agência O Globo

Dicas de português

Dad Squarise:Casadinho sofisticado Do Jornal  do Commercio Foto: Dione Afonso/ Agência O GloboLeia mais: https://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/brasil-nao-tem-historico-de-acoes-efetivas-contra-analfabetismo-diz-especialista-22219277#ixzz5MHWbs0cOstest "Eu nunca usei ponto e vírgula e nunca me fez falta." Quem fez o depoimento? Ninguém menos que Luiz Fernando Verissimo. Ele tem razão. Podemos viver muito bem sem a duplinha. Mas, com ela, ganhamos um recurso a mais pra enriquecer o texto. E, de quebra, ficamos pra lá de bem na foto. O verso de Mário Quintana serve de prova: "A Maria Eugênia é uma moça muito inteligente. Ela sabe usar ponto e vírgula". Você sabe? O casadinho tem dois empregos. Nenhum deles é bicho de sete cabeças. Quer ver?   1º emprego O ponto e vírgula separa os itens de uma enumeração: São funções do Banco Central: a. emitir moeda; b. fiscalizar o Sistema Financeiro Nacional; c. controlar o crédito e o capital estrangeiros; e d. representar o governo brasileiro ...

Leia mais

Como escrever um artigo perfeito: 10 Regras de ouro para um post memorável

Você já passou por isso? Você escreve um novo artigo. Todo orgulhoso, clica no botão “publicar”. Mas após uma semana, o número mais frustrante não sai da sua cabeça. Zero. Zero comentários. por Henrique Carvalho no Viver de Blog Parece familiar? Não se preocupe. Todos nós já passamos por essa frustração. Mas essa história não precisa terminar assim… Logo, vou ensinar a você como escrever um artigo perfeito, através de simples, mas poderosas 10 regras de ouro. Você aprenderá várias dicas práticas que mais de 6 anos escrevendo para a web me ensinaram sobre o que funciona, e o que não. Ah, e eu aposto que a regra de ouro #9 irá surpreender você. Por quê? Bom, ela é ignorada pela maioria dos sites com publicações na web. E sim, ela faz toda a diferença. Preparado? Então continue lendo esse artigo. REGRA DE OURO #1: DEFININDO O TEMA E ENCONTRANDO A PALAVRA-CHAVE ...

Leia mais
iStockphoto

Aprenda definitivamente a usar a vírgula com 4 regras simples

A vírgula é um dos elementos que causam mais confusão na língua portuguesa. Pouca gente sabe ao certo onde deve e onde não deve usá-la. O motivo disso é bem simples: sempre nos ensinaram do jeito errado! Por: prof. André Gazola do Português Fácil  iStockphoto Você deve lembrar da sua professora falando coisas como “a vírgula é usada para indicar pausa”, “prestem atenção em como vocês falam, quando tiver pausa, usem vírgula”. Isso é besteira, pois cada um de nós fala de um jeito diferente, usa pausas diferentes e, basicamente, decide como quer falar. Mas não podemos simplesmente decidir onde vai e onde não vai vírgula. Ela tem poder demais para ser arbitrária. Quer ver o poder da vírgula? Assista esse vídeo: Viu como a vírgula é importante? Pois bem, existem algumas regras para o uso da vírgula, e elas são baseadas na gramática. Deu medo, né? Calma, ...

Leia mais

80 erros gramaticais que ninguém deveria cometer [Infográfico]

Recentemente fiz uma pesquisa profunda sobre os principais equívocos que as pessoas cometem ao escrever. Foi um trabalho árduo, mas necessário, afinal de contas, cada vez mais nos comunicamos através de celulares e o corretor ortográfico tem conquistado muitas inimizades por sempre trocar as palavras. Mas paralelamente a isso, também cometemos erros, que por descuido ou esquecimento, podem pegar mal. Por Henrique Carvalho, do HUBSPOT  Mas você já parou para pensar quais são os erros de português que muita gente comete? Pois é, a escrita pode ser o nosso aliado, mas também um vilão e pensando nisso, quero compartilhar o resultado da pesquisa que realizei, afinal de contas um simples erro de português (às vezes nem tão simples assim) pode comprometer seriamente a competência que você deseja transmitir, abalando a confiança com seu público. Leia Também: Você quer escrever? Nesse material você vai descobrir (ou relembrar): Como e quando usar os ...

Leia mais

O que quer, o que pode esta língua?

Neste 13 de maio, dia em que se comemora a abolição da escravatura no Brasil, o Vida&Arte questiona: afinal, a língua portuguesa é livre de racismo? Por Paulo Renato Abreu do Opovo Seria a expressão “negro quando não suja na entrada, suja na saída” só um dito popular inofensivo? E “como a cor não pega, mulata, mulata eu quero o teu amor” apenas uma marchinha divertida de Carnaval? E o que dizer do trecho “Tia Nastácia, esquecida dos seus numerosos reumatismos, trepou (numa árvore) que nem uma macaca de carvão”, escrito por Monteiro Lobato no livro Caçadas de Pedrinho? Nada mais do que uma metáfora? No dia em que se comemora a abolição da escravatura no Brasil – data que tem como marco temporal a assinatura da Lei Áurea, em 13 de maio de 1888 –, o Vida&Arte questiona: a língua portuguesa segue escrava do racismo? Palavras e expressões preconceituosas ...

Leia mais
(Foto: Lucíola Pompeu)

Como não zerar na redação do Enem

Levei um susto com a notícia de que, no último Enem, 529 mil participantes levaram nota zero na redação. Isto é: 8,54% do total dos candidatos. Um dos critérios para o zero foi a fuga do tema. Por Fernanda Pompeu Do Yahoo Lucíola Pompeu Em português claro: escrever acerca da tomada quando era para escrever sobre o focinho e vice-versa. Por que alguém não compreenderia o tema da redação? Porque lê pouco ou nada na vida real. A leitura - como aliás 90% de tudo que fazemos - exige prática. Para saber ler é preciso ler. Não apenas juntar uma letra com outra e desvendar a palavra. É imprescindível conectar os sentidos das frases para formar um entendimento do conteúdo. Se fazemos o exercício de ler muitas e muitas vezes por toda a vida, não haverá tema que nos confunda, ou nos derrube. A notícia também ...

Leia mais

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist