Tag: literatura negra

    iStock

    Defensoria desenvolve campanha que estimula a leitura de obras produzidas por mulheres negras

    A Defensoria Pública do Estado do Piauí, juntamente com o Instituto Esperança Garcia, vem desenvolvendo campanha no âmbito da instituição como parte do Projeto “Esperançar – vidas negras importam/mulheres negras precisam ser escutadas”. O objetivo é arrecadar 200 livros e estimular leitura de obras produzidas por autoras negras, bem como a doação de exemplares para compor o acervo da Biblioteca Estação Nova Cultura, no bairro Itararé. Do Cidade Verde iStock O projeto consiste na indicação nas redes sociais da Defensoria, por meio de vídeos com a professora Andreia Marreiro, presidenta do Instituo Esperança Garcia, de autoras negras e obras escritas por essas mulheres. A segunda etapa da campanha ocorrerá em março do corrente ano, quando será realizado um momento de partilha de experiências, oportunidade em que os participantes serão convidados a fazerem a doação das obras para a biblioteca, que fica localizada na região onde foi ...

    Leia mais
    A escritora norte-americana N.K. Jemisin Foto: Laura Hanifin/Editora Morro Branco

    ‘Queria ler uma história com a qual eu me identificasse, diz a escritora N.K. Jemisin

    Premiada por sua trilogia 'A Terra Partida', autora trouxe diversidade à literatura fantástica Por André Cáceres, do O Estado de S.Paulo A carreira da escritora americana N.K. Jemisin passou por uma rápida ascensão quando ela se tornou a primeira mulher negra a vencer o Hugo de melhor romance, principal prêmio da literatura fantástica, em 2016. Ela se tornaria nos anos subsequentes a primeira pessoa, independente de gênero ou etnia, a conquistar o Hugo três vezes seguidas com sua trilogia A Terra Partida, algo inédito nos mais de 60 anos do prêmio. A escritora norte-americana N.K. Jemisin Foto: Laura Hanifin/Editora Morro Branco Publicados entre 2017 e 2019 no Brasil, os livros da saga – A Quinta Estação, O Portão do Obelisco e O Céu de Pedra – se passam em um planeta fictício com apenas um grande continente, chamado Quietude. A despeito do nome, o local é ...

    Leia mais
    blank

    “Tinder de livros” conecta doadores e leitores por meio da tecnologia

    Em pouco mais de um ano, Projeto WinnieTeca já despachou cerca de mil exemplares Brasil afora No Época Negócios MIL CONEXÕES Winnie faz a ponte entre negros que precisam de livros e quem se dispõe a doar (Foto: Ricardo Jaeger) “Sabe o que seria legal no dia da Consciência Negra? Você, branco privilegiado que se diz antirracista, comprar um livro que um negro precisa e enviar para ele.” Era 20 de novembro de 2018. Nascia assim, com um post no Twitter, o projeto WinnieTeca. Idealizado pela gaúcha Winnie Bueno, 31 anos, a proposta é tão simples quanto genial — conecta quem precisa de um livro a quem se dispõe a doar. Uma espécie de “Tinder de livros”. Até o mês passado, o processo era manual. Com o apoio do Geledés Instituto da Mulher Negra e graças a uma parceria com o Twitter, o “match” agora está automatizado ...

    Leia mais
    blank

    Geni Guimarães e Conceição Evaristo: um cuidado ao ler em público

    Certos livros não devem ser lidos em público, sob pena de passarmos por pessoas desequilibradas.  Sob pena de virem nos dar os pêsames pela vida que, terna, imita a  arte e nos machuca. por Maria Nilda de Carvalho Mota para o Portal Geledés Fotos: Geni Guimares - UFMG - Conceição Evaristo - Facebook (arquivo pessoal) Leite do peito, de Geni Guimarães, e Insubmissas lágrimas de mulheres,  de Conceição Evaristo, são exemplos plenos dessa capacidade da arte de mimetizar a vida e fazê-la doer com tanta força que desconcerta até as mais duras pedras psicopáticas. Eu acredito... Certa vez estávamos Mariana* e eu (duas Herdeiras de Nzinga) num trabalho frenético,  lendo histórias rudes, sem sal, sem mel, sem suspiros...  daí eu disse: tó, Mari... pra descansar da solidão.  E lhe entreguei Leite do peito. Ela começou a ler, sozinha no seu canto de trabalho. Cinco minutos. Levantou. ...

    Leia mais
    Conceição Evaristo: “Criações negras não são valorizadas e repercutidas” Rafael Arbex/Estadão Conteúdo

    Conceição Evaristo: “A questão racial não é para o negro resolver”

    Ao R7, consagrada escritora se mostrou feliz com prêmios recentes e falou sobre relações de racismo na sociedade e na literatura brasileira Por Guilherme Padin, do R7 Conceição Evaristo: “Criações negras não são valorizadas e repercutidas” (Foto: Rafael Arbex/Estadão Conteúdo) Um dos nomes mais conceituados da literatura brasileira nas últimas gerações, Conceição Evaristo é personagem importantíssima na luta pela afirmação da identidade negra no país, sobretudo no campo da escrita. Aos 73 anos, ela foi recentemente homenageada pelo prêmio Jabuti e condecorada cidadã honorária de São Paulo. Feliz com os prêmios recentes – tanto a ela como outros a seus pares –, a experimentada escritora não perde, porém, a oportunidade de apontar que as premiações chegaram de forma muito tardia. Em entrevista ao R7, ela falou das relações de racismo e luta por justiça na literatura, contou sobre sua trajetória na escrita e demonstrou otimismo com ...

    Leia mais
    Prisca Agustoni/Divulgação

    Antologia reúne 35 anos de poesia de Edimilson de Almeida Pereira

    Escritor mineiro lança 'Poesia +', em que mescla referências culturais e históricas para vocalizar marginalizados e oprimidos Por Pablo Pires Fernandes, do Dom Total Livro exibe coesão interna admirável no processo do poeta, que é de caráter sintático (Foto: Prisca Agustoni/Divulgação) A trajetória de Edimilson de Almeida Pereira é singular na literatura brasileira, marcada pela experimentação da linguagem, pelas múltiplas vozes que incorpora para se referir ao passado dos povos mais marginalizados da sociedade. O constante uso de elementos da cultura afro-brasileira, seja pela forma de rimas e da oralidade ou por evocação à ancestralidade, estabelece pontes ao passado dos dois lados do Atlântico. O poeta juiz-forano lança neste sábado, em Belo Horizonte a antologia Poesia +, antologia organizada por ele próprio que reúne trabalhos publicados entre 1985 e 2019, sem seguir a ordem cronológica, mas estabelecem conjuntos temáticos de uma estética que merece um olhar ...

    Leia mais
    blank

    Demorou 99 anos, mas UFRJ cria pós-graduação sobre autores negros

    Finalmente! Segundo a coluna de Lauro Jardim, de O Globo, a partir de março de 2020 a cadeira de literatura brasileira da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) vai, pela primeira vez em quase cem anos, oferecer um curso de pós-graduação stricto sensu exclusivamente sobre autores e autoras negros brasileiros Por Karol Gomes, Do Hypeness (Foto: Rafael Arbex/Estadão Conteúdo) Os estudantes poderão estudar obras clássicas de Lima Barreto (foto), Cruz e Sousa, Conceição Evaristo, Ana Maria Gonçalves e muitos outros. A UFRJ é a maior universidade federal do país e, com frequência, configura entre as 15 melhores universidades da América Latina nos rankings especializados. Logo, é um avanço ver uma instituição tão importante colaborando para valorizar e preservar a cultura afro brasileira. A literatura negra apresenta o outro lado da história do Brasil, ou mesmo de brasileiros de maneira individual, que costuma ser distorcida pelos ...

    Leia mais
    blank

    Conheça dez escritores de MG que colaboram com a luta antirracista

    Livraria em Belo Horizonte vende obras feitas por negros que não estão em lojas convencionais Por Gabi Coelho, Do G1 Escritora premiada e professora aposentada, Conceição Evaristo ministra oficina em Porto Alegre nesta terça-feira (8) — Foto: Livia Wu/Itaú Social "Não basta não ser racista, tem que ser antirracista", essa é a frase usada pela filósofa Angela Davis para reforçar a importância da sociedade em se envolver nas pautas sobre a desigualdade social e o quanto ela afeta a vida dos negros. Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), somente em Minas Gerais, de janeiro a setembro de 2019, cerca de 73 ocorrências de racismo e 221 de injúria racial foram registradas. É com base em dados como esses que escritores, professores e pesquisadores têm feito um trabalho para valorizar os estudos sobre a história dos negros. Iniciativas como a da jornalista Etiene Martins, ...

    Leia mais
    blank

    Novo livro de Elias Sampaio discute racismo na obra de Celso Furtado

    O economista Elias Sampaio lançará, no próximo dia 28, no auditório da Escola de Administração da UFBA, a partir das 18h30, seu mais novo livro: Dialogando com Celso Furtado – Ensaios sobre a questão da mão de obra o subdesenvolvimento e as desigualdades raciais na formação econômica do Brasil. Publicado pela Editora Hucitec, os escritos propõem uma reflexão crítica a respeito da interpretação de Furtado sobre o papel do negro na economia e na sociedade após a escravidão, tendo como ponto de partida os registros no clássico Formação Econômica do Brasil (FEB), do referenciado pensador brasileiro. No Política Livre O economista Elias Sampaio (Foto: Divulgação/Reprodução/Bahia Municípios) “O conteúdo do trabalho propõe uma discussão de fôlego sobre a questão racial no Brasil numa perspectiva histórica, com uma abordagem crítica, uma reinterpretação da narrativa desse grande cientista social brasileiro . É uma análise que expõe contradições em ...

    Leia mais
    Taís Araújo - Vestido Valentino, brincos Arqvo e Broche Kika Rufino (Foto: Caroline Lima)

    As escritoras negras que Taís Araújo lê

    Nas brechas do trabalho, a estrela de capa de Marie Claire novembro, visita a literatura de autoras negras. Lê das americanas Angela Davis e Toni Morrison à nigeriana Ayòbámi Adélbáyò e às brasileiras Djamila Ribeiro e Sueli Carneiro Por FLÁVIA OLIVEIRA, da Marie Claire Taís Araújo - Vestido Valentino, brincos Arqvo e Broche Kika Rufino (Foto: Caroline Lima) Para ser feliz num país polarizado e entristecido, a Taís Araújo “trabalha, trabalha, trabalha”. Nas brechas de tempo, a estrela de capa de Marie Claire novembro, visita a literatura de autoras negras. Lê das americanas Angela Davis e Toni Morrison à nigeriana Ayòbámi Adélbáyò e às brasileiras Djamila Ribeiro e Sueli Carneiro. Conheça as escritoras negras que Taís lê: Alice Walker – Escritora, poeta e ativista feminista americana. Publicou mais de três dezenas de livros, entre eles, o romance A Cor Púrpura (José Olympio), ganhador do National Book ...

    Leia mais
    blank

    Winnie Bueno criou o ‘Tinder dos Livros’ para democratizar leitura entre negros

    Ela, como adianta a descrição do Twitter, conecta pessoas através de livros. Winnie Bueno funciona como um Exu que utiliza a inteligência tecnológica cunhada pela religião nascida em África e desenvolvida no Brasil para entregar livros a quem precisa. Por Kauê Vieira, do Hypeness Winnie Bieno (Foto: Camila Tuon) Bacharel em direito pela Universidade Federal de Pelotas, Winnie é criadora do ‘Tinder dos Livros’, uma comunidade que liga doadores com quem precisa de um livro, seja para passar no vestibular, conseguir uma sonhada vaga de emprego ou se informar sobre determinado assunto. O Hypeness conversou com a gaúcha de Pelotas sobre o projeto sucesso no Twitter. Feminista negra alinhada com o pensamento de nomes com Sueli Carneiro, ela conta que a ideia surgiu em um 20 de novembro, Dia da Consciência Negra. “Eu sou bem ativa no Twitter e percebi que uma série de pessoas, especialmente ...

    Leia mais
    A escritora jamaicana Claudia Rankine, que teve ensaio publicado na última edição da revista Serrote, do Instituto Moreira Salles - Elizabeth Weinberg/The New York Times

    Brancos não falam do racismo porque isso os beneficia, diz autora jamaicana

    Em ensaio de seu próximo livro, Claudia Rankine questiona os privilégios dos homens brancos Por Guilherme Henrique, da Folha de S.Paulo A escritora jamaicana Claudia Rankine, que teve ensaio publicado na última edição da revista Serrote, do Instituto Moreira Salles - Elizabeth Weinberg/The New York Times A inquietação surgiu como um estampido seco no cérebro da escritora e professora de poesia da Universidade de Yale, Claudia Rankine, 56, enquanto observava o jardim de sua casa: o que significaria perguntar aleatoriamente a homens brancos como eles entendiam seu privilégio? A dúvida é o principal argumento do ensaio publicado na edição deste mês da revista Serrote, do Instituto Moreira Salles, intitulado “Eu queria saber o que os homens brancos pensavam de seu privilégio. Então perguntei”. O texto faz parte do seu próximo livro, “Just Us” (só nós), programado para setembro de 2020. “Pensei em ter essas conversas para ...

    Leia mais
    Lima Barreto na época da 1ª edição do Recordações do Escrivão Isaías Caminha (Agência Brasil), e detalhe de crônica inédita do escritor encontrada após sua morte (Biblioteca Nacional) – Fotomontagem: Jornal da USP

    Lima Barreto: literatura que se confunde com vida pessoal denuncia racismo

    Historiadora e antropóloga Lilia Schwarcz mostra como a “escrita de si” de Lima Barreto denunciou perseguições racistas e o fim de uma utopia de inclusão que não se concretizou no fim da escravidão Por Margareth Artur, do Portal de Revistas USP Lima Barreto na época da 1ª edição do Recordações do Escrivão Isaías Caminha (Agência Brasil), e detalhe de crônica inédita do escritor encontrada após sua morte (Biblioteca Nacional) – Fotomontagem: Jornal da USP Lima Barreto, autor de Triste fim de Policarpo Quaresma, hoje um clássico da literatura brasileira, nasceu no dia 13 de maio de 1881, e tomou a data como “predestinação” em sua vida, visto toda sua obra representar “uma forma de revisão crítica do período em que existiam escravizados no Brasil e do contexto do pós-emancipação“. Em artigo na revista Estudos Avançados, a professora da USP Lilia Moritz Schwarcz analisa como, em boa ...

    Leia mais
    blank

    Lançamento de Gosto de Amora, de Mário Medeiros

    A Editora Malê convida para o lançamento do livro de contos O gosto de Amora, de Mário Medeiros. Do Facebook  Reprodução/Facebook Bate-papo e autógrafos. Bate-papo: Sobre meninos e homens em contos negros, com Mário Medeiros, Cuti e João Pinheiro. Sobre o autor: Mário Medeiros nasceu em São Paulo, em 1982. É doutor em sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Publicou em 2013 o livro A descoberta do insólito: literatura negra e periférica no Brasil (1960-2000). Foi finalista do Prêmio Sesc de Literatura 2017, na categoria contos. Publicou contos no jornal Ìrohìn e na Revista Lavoura. Sobre o livro: Com olhares atentos, os personagens de Gosto de Amora sobrevivem em ambientes conturbados. Para superar os obstáculos, eles são matreiros em captar cada aprendizado do mundo exterior. Nesta tentativa de permanecerem vivos, revelam, em grandes ou pequenos gestos (distribuindo pentelhos ou de tocaia atrás da janela), seus ...

    Leia mais
    blank

    Pallas lança “O filho querido de Olokun” no sábado, dia 9, na Blooks Livraria

    "O filho querido de Olokun" (Pallas Editora) é o segundo livro de Rogério Athayde e Clara Zúñiga e será lançado em tarde de autógrafos no próximo sábado, 9 de novembro, a partir das 16h, na Blooks Livraria, em Botafogo. O evento tem entrada gratuita e o livro, para crianças e adultos, custa R$ 58. O casal rememora um das centenas de contos da tradição oral iorubá, em duas narrativas que andam juntas: texto dele e ilustrações dela. Enviado para o Portal Geledés  Divulgação/Pallas Um pescador insatisfeito com a sua pobreza e que desejava a todo custo uma vida abastada recebeu um chamado de Olokun, o orixá das profundezas dos Oceanos, de quem era devoto. Olokun atendeu ao seu desejo, lhe entregando as riquezas do fundo do mar. Porém, nesta ganância, este homem não percebeu que deixava para trás os seus maiores tesouros: uma vida simples e cheia de ...

    Leia mais
    blank

    Com autores negros, biblioteca na quebrada aposta na subversão contra o racismo

    Um levantamento do Centro de Estudos da Metrópole (CEM) mostrou que o número de pessoas morando em favelas subiu entre 2000 e 2010. 11% da população de São Paulo vive nestes espaços periféricos. Por Kauê Vieira, Do Hypeness (Foto: Reprodução/Instagram) A alta concentração de densidade populacional exige a disponibilização de uma série de serviços que atendam ao fluxo de pessoas. Transporte público de qualidade, saúde para todos, boas escolas e claro, cultura. Elementos fundamentais para manter a qualidade de vida. Só assim para reverter um cenário que diminui em 21 anos a expectativa de vida de moradores das periferias. Segundo o Mapa da Desigualdade de 2017, habitantes de bairros como o Jardim Ângela, na zona sul de São Paulo, chegam até os 55 anos de idade. Você deve estar pensando que isso se dá por causa da violência. Pode até ser, desde que você também tenha ...

    Leia mais
    Carlos de Assumpção: poeta simboliza arte contra racismo, há mais de 60 anos (foto: Alberto Pucheu/ Divulgação)

    Carlos de Assumpção defende poesia com militância

    Com 92 anos de luta, resistência e militância, o poeta Carlos de Assumpção terá um livro publicado em março pela Companhia das Letras Por Devana Babu*, do Correio Brasiliense Carlos de Assumpção: poeta simboliza arte contra racismo, há mais de 60 anos(foto: Alberto Pucheu/ Divulgação) “Comecei ali pelos 14 anos. Faz muito tempo. Sempre escrevi sobre o mesmo tema”, destaca o poeta Carlos de Assumpção, de 92 anos de idade, autor do poema Protesto, considerado um hino entre militantes do movimento negro, do qual o autor é tido como um decano. O grande público, entretanto, a mídia, os meios culturais, editoriais, literários e hegemônicos, sempre passaram ao largo de sua obra. Até agora. Após lançamento de um documentário produzido por outro poeta, o professor de literatura Alberto Pucheu, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e da publicação de um artigo na Folha de S.Paulo, ...

    Leia mais
    Reprodução/Correio Braziliense

    Escritores brasilienses ressignificam o legado de Cruz e Sousa

    São nomes que possuem importância na literatura negra do Distrito Federal Por Vinícius Veloso, do Correio Braziliense Imagem: Reprodução/Correio Braziliense Carregada de uma simbologia marcante e própria, a literatura negra é de uma riqueza única por contar com autores que escrevem sobre histórias e vivências reais. Preconceito, resistência, visibilidade, pertencimento, racismo, escravidão e tantos outros temas que estão entranhados na evolução do negro perante a sociedade são utilizados nas produções literárias de escritores negros como Jorge Amâncio, Rêgo Júnior, Cristiane Sobral e Sérgio Souza. São nomes que possuem importância na literatura negra do Distrito Federal. Mais do que isso, os quatro utilizam o poema e a poesia como forma de empoderamento. “De um tempo pra cá, a partir de meados do século passado, a literatura passa pela marginalização da poesia. As editoras não editam produções de poetas, o que agrava e aumenta a invisibilidade do estilo. ...

    Leia mais
    Foto: Divulgação/Flip

    Conceição Evaristo faz palestra na Academia Mineira de Letras

    Nesta quinta feira, 24, a Academia Mineira de Letras recebe a homenageada da 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa, Conceição Evaristo. No Jornal da Cidade BH Foto: Divulgação/Flip A partir das 19h30, a convidada apresenta o tema “Escrevivendo o presente, forjando o futuro”, abordando a leitura e a escrita como direitos do cidadão. Tudo isso acontece no âmbito da Universidade Livre – Plano Anual de Manutenção AML. Entre os assuntos discutidos durante a palestra, Conceição Evaristo falará sobre como o professor pode trabalhar o processo de leitura e escrita em sala de aula e a importância da literatura entre os jovens. Além disso, ela vai abordar como a Olimpíada de Língua Portuguesa, realizada pelo Itaú Social em parceria com o Ministério da Educação, incentiva a prática da leitura e da escrita em sala de aula e reforça o direito do cidadão ao letramento. O evento ...

    Leia mais
    blank

    Colóquio KÀWÉ 2019

    O Kàwé/Neab - Núcleo de Estudos Afro-Baianos Regionais da Uesc, socializa a realização de seu Colóquio 2019. Nesta edição privilegiamos a interface linguagem/africanidades, em discussões relativas à literatura infantil e suas linguagens. Estarão conosco escritores, ilustradores, contadores de histórias, produtores culturais e professores, comprometidos com a dimensão estética e político-identitária das literaturas produzidas e dirigidas para a criança e jovem negros. Participe das oficinas, palestras, mesa-redondas, conversas com escritores e lançamentos de livros! Da UESC O evento é aberto a comunidade geral e acadêmica. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas on line e no local do evento. Consulte a programação. Divulgação/UESC

    Leia mais
    Página 2 de 15 1 2 3 15

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist