quarta-feira, setembro 16, 2020

    Tag: Marilena Chaui

    A filósofa Marilena Chaui: 'Há uma inversão ideológica fantástica no Brasil: a violência é vista como ordem (Foto: Bob Sousa/CUT)

    Uma pitada de lógica clássica

    Comentário sobre o documento dos serviços ditos “de inteligência” do Ministério da Justiça e Segurança Pública Todos os homens são mortais. Sócrates é homem. Sócrates é mortal. Este talvez seja o silogismo mais conhecido do pensamento ocidental por sua clareza e simplicidade no estabelecimento de uma relação lógica necessária entre um princípio e sua consequência ou entre uma causa e seu efeito, graças à inerência de um particular (Sócrates) num universal (todos os homens) por meio do predicado que os vincula (mortais/mortal). No entanto, Aristóteles considerava que o silogismo científico perfeito é aquele em que as premissas e a conclusão são universais e afirmativas. Por exemplo: Todos os astros se movem. Todos os planetas são astros. Todos os planetas se movem. Ora, nos últimos dias, os serviços ditos “de inteligência” do Ministério da Justiça e Segurança Pública produziram um silogismo aparentemente perfeito ao apresentar uma lista de cidadãos considerados subversivos. ...

    Leia mais
    “Tentam preparar uma gigantesca vitória do capital”, diz professora, na USP: “Começou em agosto de 2013. A classe dominante quer — e uma classe média proto-fascista apoia”

    Marilena Chauí: o impeachment e o ódio de classe

    “Tentam preparar uma gigantesca vitória do capital”, diz professora, na USP: “Começou em agosto de 2013. A classe dominante quer — e uma classe média proto-fascista apoia” Por Marilena Chauí, do Outras Palavras – Este texto é a transcrição da fala feita em 16/2, no ato público de intelectuais contra o impeachment. Publicado sem revisão da autora – “Queria, por um segundo, retomar o que disse Paulo Arantes e manifestar a preocupação que tenho desde agosto de 2013 e manifesto em público, em privado e por escrito. Agosto foi o instante no qual se deu a virada em relação ao que se passara no movimento vitorioso do Passe Livre. Quando os meninos tentaram, com seus símbolos e bandeiras, comemorar na avenida Paulista, foram batidos e ensanguentados por pessoas vestidas com a bandeira do Brasil e que diziam: ‘meu partido é o meu país’. Já vimos, os mais velhos, esta cena ...

    Leia mais
    blank

    Marilena Chauí: Apoio ao golpe dos que lutaram contra a ditadura é “obscenidade histórica”; assista ao vídeo

    “É insuportável que os que lutaram contra o golpe sejam os golpistas hoje” por Camila Moraes, do Viomundo  Vozes contrárias a um processo de impeachment que afaste Dilma Rousseff da presidência do país se reuniram nesta sexta-feira, 16 de outubro, em um palco paulistano de grande simbolismo político, o Centro Universitário Maria Antônia. Convocado em caráter de urgência, apenas três dias antes de acontecer, por Paulo Sergio Pinheiro, Marilena Chaui e Fábio Konder Comparato, entre outros intelectuais de esquerda e personalidades do meio acadêmico, o evento reuniu cerca de 150 pessoas dentro e fora de uma sala do espaço – que pertence à Universidade de São Paulo e serviu de trincheira da militância política estudantil contra os agentes do golpe que resultou na ditadura militar (1964 – 1985). Em caráter suprapartidário, como reforçaram os organizadores —embora muitos dos quais tenha relação com o PT—, foram debatidos os riscos das propostas de impedimento da presidenta ...

    Leia mais
    Foto: Reprodução / Facebook Dom Odilo Pedro Scherer

    Carta Aberta de Chauí: vigiar e punir Foucault?

    Para vetar cátedra em homenagem ao grande pensador, PUC-SP alega divergência de pensamento. Ora, desde quando filosofia e ciência se definem pela unanimidade e pelo consenso? Por Marilena Chaui, do Outra Palavras  Foto: Reprodução / Facebook Dom Odilo Pedro Scherer Carta Aberta ao Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer Nos anos recentes da história brasileira, a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo tornou-se um dos grandes exemplos do verdadeiro sentido da instituição universitária: recebeu em seu corpo docente professores das universidades públicas que haviam sido cassados por governos da ditadura civil-militar por suas idéias filosóficas, científicas, políticas e pedagógicas; afrontou o Estado abrigando a Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), proibida por esses mesmos governos; abriu suas portas para grupos de pesquisa nas mais variadas áreas do saber, sem jamais questionar os princípios teóricos e práticos que os orientavam; defendeu seus estudantes ...

    Leia mais
    Marilena Chaui

    Palestra: Representação política e enfrentamento ao racismo. Prof. Marilena Chauí Parte 2

    Assita a íntegra da palestra da Prof. Marilena Chauí no Seminário Temático "Representação Política e Enfrentamento ao Racismo", realizado em Salvador (BA), em 19 de abril de 2013, no contexto das preparações para a III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial - a III CONAPIR Do Youtube Salvador foi a primeira capital fora de Brasília a sediar os Seminários Temáticos que integraram a programação comemorativa de dez anos de criação da SEPPIR e etapa preparatória para a III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial -- III CONAPIR, que acontece de 5 a 7 de novembro, em Brasília, com o tema Democracia e Desenvolvimento Sem Racismo: por um Brasil Afirmativo. Marilena Chauí, professora doutora do Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo (USP), foi palestrante no evento sobre o tema Representação Política e Enfrentamento ao Racismo.   Leia Também: Representação política e enfrentamento ao racismo: Prof. Marilena Chauí

    Leia mais
    Marilena Chaui

    Marilena Chauí classifica preconceitos de médicos e de FHC a nordestinos como “fascismo”

    A filósofa Marilena Chauí, professora aposentada da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, considera abominável o que o grupo de médicos e estudantes de medicina anti-PT pregam na internet. De castração química a holocausto aos nordestinos que votaram na candidata Dilma Rousseff no primeiro turno das eleições presidenciais. Uma violência fascista, segundo a filósofa. por Nicolau Neto  “O que caracteriza a violência fascista é não suportar a diferença, a alteridade, e partir para a eliminação. Você elimina o diferente, você elimina o outro. O primeiro aspecto abominável disso é o fato de que o que se propõe é, pura e simplesmente, genocídio dos nordestinos. O que é uma coisa inominável, inacreditável, inaceitável", desabafa, em entrevista à Rádio Brasil Atual, acrescentando: "A segunda coisa que é terrível é que isso exprime uma certa direção tomada por uma certa classe média reacionária e conservadora, que vive no sul do país, e ...

    Leia mais
    blank

    Marilena Chauí se diz estarrecida e propõe estudo de caso sobre reeleição de Alckmin

    Filósofa pede que acadêmicos se reúnam para tentar encontrar explicações para quarto mandato do governador em meio a racionamento, denúncias de corrupção e problemas de gestão   A filósofa Marilena Chauí propõe que acadêmicos somem esforços para tentar entender os motivos que levaram o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, a conquistar um novo mandato nas eleições realizadas ontem (5). Em entrevista à Rádio Brasil Atual, a professora da USP afirmou ter proposto ao presidente da Fundação Perseu Abramo, o economista Marcio Pochmann, que estude ao longo dos próximos quatro anos os processos que explicam que o PSDB possa chegar a mais de duas décadas de comando do Palácio dos Bandeirantes. “O PSDB tem uma monarquia hereditária. Alguém precisa entender o que acontece em São Paulo. A reeleição do Alckmin no primeiro turno é uma coisa verdadeiramente espantosa”, avaliou. Para ela, é difícil explicar como o governador obtém seu quarto mandato ...

    Leia mais
    blank

    Aula magna de Marilena Chauí desvenda “Universidade Operacional”

    Esquema de transição conduzido pela oligarquia resultou na escolha de um “tirano”, diz Ciro Correia ao abrir os trabalhos Do Adusp Foto: Daniel Garcia A universidade brasileira submeteu-se à ideologia neoliberal da sociedade de mercado, ou “sociedade administrada” (Escola de Frankfurt), que transforma direitos sociais, inclusive educação, em serviços; concebe a universidade como prestadora de serviços; e confere à autonomia universitária o sentido de gerenciamento empresarial da instituição. Em repetidas manifestações, o reitor da USP revela seu “lugar de fala”, sua afinação com esse ideário, ao recorrer ao vocabulário neoliberal utilizado para pensar o trabalho universitário, que inclui expressões como “qualidade universitária” (definida como competência e excelência e medida pela “produtividade”) e “avaliação universitária”. Foi o que sustentou a professora Marilena Chauí ao proferir sua Aula Magna sobre o tema “Contra a Universidade Operacional”, em 8/8, que lotou com centenas de pessoas o auditório da Faculdade de ...

    Leia mais
    blank

    Vou falar com o Piloto! A repugnante elite dos aeroportos (e dos estádios e tudo mais…)

    Por: Rosana Pinheiro Voltar ao Brasil para mim é sempre um pesadelo logístico. E acreditem, não porque eu tenho medo danado de avião, mas porque tenho que aguentar o comportamento de meus compatriotas nas filas de embarque. Quem tem que viajar seguido, especialmente passando pelos aeroportos dos Estados Unidos e da Europa, tem uma bela amostra do pior espírito da pior classe média brasileira. Aquela mesma que manda a Presidenta tomar no cu, que chama rolezinho de arrastão e que acha que pobre negro tem mesmo é que ser espancado e amarrado em poste. Como bem descreveu Marilena Chauí, a classe média violenta, ignorante, fascista e arrogante. Antes de prosseguir, apenas um lembrete a alguns leitores. Meu espelho me diz que eu sou branca e de classe média. Eu me refiro a um tipo bem específico, mas que infelizmente representa uma grande parte da população brasileira. Refiro-me àquele grupo que vive ...

    Leia mais
    blank

    O preconceito e o preconceituoso

    Toda pessoa preconceituosa é moralista. A relação é de promiscuidade mental. O preconceituoso reprova e exclui o outro apenas pelo que este outro é Muitos se julgam espertos suficientemente para manter preconceitos e achar que ninguém percebe. Alguns têm consciência de suas cismas mentais. Outros chegam a sentir orgulho. Mas isto desafia reflexões. Toda pessoa preconceituosa é um moralista. A relação é de promiscuidade mental. O preconceituoso reprova, inadmite e exclui o outro apenas pelo que este outro é. Nietzsche já desmontava esse farisaísmo social. ‘Nada é mais raro entre moralistas e santos do que a retidão’, ensinava o filósofo na obra Crepúsculo dos ídolos, número 42. O preconceito não é algo que se ‘quer’ apenas de uma forma estigmatizada ou feia. Também não é uma ‘escolha’ que a parcela ‘cult’ ou ‘entrei-numa’ da sociedade fez no sentido de começar a achar ruim certo comportamento. Aliás, esses ‘yuppies’ da sociedade, ...

    Leia mais
    blank

    Chauí, a Copa e a “Nova Classe Média”

    Por Fernando Horta*, Sul 21 Em 2013, num evento que reuniu o ex-presidente Lula, o cientista político Emir Sader e o economista Márcio Pochmann, a filósofa e professora da USP Marilena Chauí virou vídeo viralizado em redes sociais. No vídeo faz um pronunciamento em que afirmava que a “classe média é uma abominação política, uma abominação ética e uma abominação cognitiva”. Um discurso forte que recebeu críticas de grupos que, pela conceituação de Chauí, sequer foram atacados. Em realidade, o desconhecimento sobre exatamente o quê Chauí atacava provocou celeuma por toda a rede. O fato é que depois do lamentável fato ocorrido na inauguração da Copa de 2014 – quando a área VIP do estádio passou a ofender a presidenta com palavras de baixo calão, machistas e sexistas – temos que reconhecer: Marilena Chauí tinha razão. O argumento da professora Chauí é bastante antigo e tem sua base num trabalho do ...

    Leia mais
    marilena3

    Marilena Chauí: “No futuro, faremos download de nossas mentes”

    Pesquisadores identificam nas tecnologias atuais componentes responsáveis pela precarização da trabalho, sendo o único caminho para modificar tal cenário as políticas de resistência Por Marcelo Hailer. Fotos: Fora do Eixo Aconteceu ontem (25), na Biblioteca Mario de Andrade, o seminário “Tecnologia e Poder”, que contou com a participação de pesquisadores das principais universidades do Brasil. O evento foi encerrado com a mesa “Tecnologia e poder nas sociedades informacionais: Para onde estamos indo?”, que teve como debatedores os professores Sergio Amadeu (UFABC), Langdon Winner (Rensselaer Polytechinic Institute – New York) e Marilena Chaui (USP). A mesa teve mediação do editor da Fórum, Renato Rovai Sergio Amadeu abriu os trabalhos abordando a questão das “tecnologias de modulação, economia da intrusão e relações de poder”. De acordo com ele, hoje não vivemos mais na sociedade industrial. “Estamos numa fase de transição à sociedade informacional, que gira em torno das tecnologias ...

    Leia mais
    scritos de Marilena Chaui

    Os “Escritos de Marilena Chaui” será publicada em nove volumes

    Os "Escritos de Marilena Chaui" começam agora a ser publicados, em nove volumes, pela Autêntica Editora e Fundação Perseu Abramo. Marilena é provavelmente a filósofa mais lida no país: "O que é Ideologia?" (1980), hoje na 42ª edição, vendeu mais de 100 mil exemplares; "Cultura e Democracia" (1981) está na 11ª edição; e "Convite à Filosofia" (1994), na 14ª. Talvez esse sucesso esteja ligado à sua disposição de debater "questões atuais", como dizia um elogioso perfil que a revista "Veja" publicou sobre ela em 1981: "Na verdade digo o que as pessoas já sabem, com a diferença de localizar as questões em lugares que elas não suspeitariam". "Contra a Servidão Voluntária" reúne os trabalhos de Marilena sobre Etienne de La Boétie (1530-1575). Os três primeiros ensaios são de 1982, ano em que o partido que dava sustentação à ditadura elegeu as maiores bancadas no Congresso. Por que razão tantas pessoas ...

    Leia mais
    marilena_chaui_por_patricia_araujo

    Marilena Chaui: Pela responsabilidade intelectual e política

    Não seria possível não ouvir Marilena Chaui a respeito das manifestações de 2013. Pensadora de importância inestimável na história da cultura brasileira, Marilena chamou a atenção nos últimos anos por ter rompido com a mídia. Depois do tratamento imprudente que a maior parte do jornalismo brasileiro deu a questões políticas graves, Marilena decidiu “não falar mais”. Seu silêncio tornou-se insuportável para os grandes veículos de comunicação. Frequentemente cronistas dizem: “o que Marilena Chaui pensaria sobre isso?”. É óbvia a ironia da pergunta, usada para dar a entender que o silêncio de Marilena se deve ao fato de ela não ter o que dizer diante dos erros do PT e do governo federal, tão defendidos por ela nos últimos 10 anos. À CULT, porém, Marilena nunca fechou suas portas. Muito pelo contrário. E no último domingo de junho, em plena fase das manifestações por todo o Brasil, ela nos acolheu em ...

    Leia mais
    Eu odeio a classe média

    Marilena Chauí: “Não existe nova classe média”

     Para quem não viu Marilena Chaui detonando a classe média, eis o vídeo “Eu odeio a classe média!”, bradou a filósofa e professora da USP Marilena Chauí em uma palestra em maio, causando furor na direita e perplexidade em parte da esquerda. “A classe média é uma abominação política porque é fascista; é uma abominação ética porque é violenta; e é uma abominação cognitiva porque é ignorante. Fim”, completou. Confesso que eu mesma fiquei confusa com a afirmação. Não somos todos nós, progressistas, também classe média? Não seria uma generalização? Ou é apenas uma provocação? O leitor João Paulo Martins, estudante de jornalismo na Cásper Líbero, me mandou uma entrevista que fez com Marilena onde ela fala das manifestações pelo país, de Espinosa, do ENEM e também explica a que classe média se referia em sua diatribe. E diz mais: para Chaui, a tal “nova” classe média não é classe média ...

    Leia mais
    blank

    Marilena Chauí fala sobre a “cura gay” e sobre a necessidade de uma mudança antropológica para reconhecimento dos direitos LGBT

    De Eduardo Piza Durante um debate promovido pela Consulta Popular no Sindicato dos Advogados de São Paulo, indaguei à professora Marilena Chauí como estavam sendo consideradas as reivindicações de reconhecimento dos direitos LGBT tanto pelas forças conservadoras como pelas forças progressistas da sociedade brasileira. Ela afirmou que nem a ciência nem a religião reconhecem os direitos e a identidade de LGBT. E a sociedade à direita, à esquerda, acima e abaixo realiza a repressão sexual, sendo necessária uma mudança profunda, simbólica e antropológica para alcançar este reconhecimento. Resposta dura, clara e lúcida. Desafiadora para o movimento social.

    Leia mais
    chaui

    Representação política e enfrentamento ao racismo: Prof. Marilena Chauí

    Leia a íntegra da palestra da Prof. Marilena Chauí no Seminário Temático "Representação Política e Enfrentamento ao Racismo", realizado em Salvador (BA), em 19 de abril, no contexto das preparações para a III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial - a III CONAPIR Salvador foi a primeira capital fora de Brasília a sediar os Seminários Temáticos que integraram a programação comemorativa de dez anos de criação da SEPPIR e etapa preparatória para a III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial – III CONAPIR, que acontece de 5 a 7 de novembro, em Brasília, com o tema Democracia e Desenvolvimento Sem Racismo: por um Brasil Afirmativo. Marilena Chauí, professora doutora do Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo (USP), foi palestrante no evento sobre o tema Representação Política e Enfrentamento ao Racismo. O conteúdo da palestra segue abaixo. Em breve, serão divulgados os vídeos do evento de Salvador ...

    Leia mais
    marilena_chaui

    A ira justa de Marilena Chauí

    por Paulo Nogueira Você só encontra essa voz provocadora e inteligente na internet. A filósofa Marilena Chauí fez duas apreciações interessantes nesta semana, uma sobre a mídia, outra sobre a classe média. Numa, sobre a mídia, ela foi econômica. Noutra, sobre a classe média, foi torrencial. Em ambas, ela estava essencialmente certa. Sobre a mídia, ela disse que qualquer apreciação que fizesse conteria obscenidades. Veja a mídia. Globo, Veja, Folha, Estadão: como não concordar com Marilena Chauí? A mídia defende abjetamente seus próprios interesses, e os de seus amigos, e não o interesse público. As empresas jornalísticas não pagam os impostos devidos (o papel não é taxado, por exemplo), gozam de uma absurda reserva de mercado (estrangeiros só podem ter 30% das ações) e historicamente se alinharam às ações mais nocivas contra o povo brasileiro, como o golpe militar de 1964. A mídia brasileira precisa de um choque do capitalismo que ...

    Leia mais
    blank

    Chauí: Classe média e facista, violenta e ignorante

    "A classe média é uma abominação política, porque é fascista, é uma abominação ética porque é violenta, e é uma abominação cognitiva porque é ignorante. Fim", afirmou a filósofa, durante lançamento do livro "10 anos de governos pós-neoliberais no Brasil: Lula e Dilma"; em seu discurso, ela também grita: "Eu odeio a classe média"; assista O ineditismo de medidas governamentais e seus resultados surpreendentes estão sendo analisados durante o lançamento do livro 10 anos de governos pós-neoliberais no Brasil: Lula e Dilma. O primeiro deles ocorreu no último dia 13, em São Paulo, e contou com presença de Lula, Emir Sader, Márcio Pochmann e Marilena Chauí. Sem as sutilezas filosóficas das aulas emocionantes que costuma dar em eventos desse tipo, ela foi direto ao assunto. Chauí falou sobre o Bolsa Família para exemplificar a "revolução feminista" que vem ocorrendo no país, ao direcionar o recurso para a mulher, e depois ...

    Leia mais
    Marilena Chaui

    Brasil vive ‘revolução social’, diz Marilena Chauí

    Em lançamento de livro sobre os dez anos de pós-neoliberalismo no país, filósofa destaca 'empoderamento' das mulheres e a conquista de direitos pela classe trabalhadora A filósofa Marilena Chauí afirmou ontem (13) que o programa Bolsa Família provocou uma "revolução social" no Brasil ao transferir paras as mulheres a tarefa de gerenciar o benefício. "Não sei o quanto temos consciência de que aconteceu uma revolução social no Brasil. Vocês sabem que o Bolsa-Família vai para as mulheres. Vocês não imaginam o quanto isto alterou o modo de constituição da relação familiar, da relação homem-mulher e da maneira pela qual as mulheres se percebem como sujeitos sociais, como sujeitos políticos, e não apenas como instrumento de uso. Isso é gigantesco", disse ela, durante o lançamento do livro 10 Anos de governos pós-neoliberais no Brasil – Lula e Dilma. A obra, editada pela Boitempo e pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), ...

    Leia mais
    Página 1 de 2 1 2

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist