Tag: plp 2.0

    USA, New Jersey, Jersey City, Portrait of woman with black eye

    Câmara aprova cirurgia plástica no SUS para mulheres vítimas de violência

    Nesta quinta (18), a a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania) aprovou um projeto de lei que determina que mulheres vítimas de violência de gênero tenham acesso garantido a cirurgia plástica reparadora no SUS. Agora, salvo recurso, o projeto seguirá para sanção da presidente Dilma. Por Ione Aguiar Do Brasil Post "A maioria dos casos de agressão às mulheres acontece com mulheres cujas condições socioeconômicas não suportam os custos de uma cirurgia plástica reparadora. Ficam, dessa forma, estigmatizadas pelo restante de suas vidas", diz a justificativa do projeto.. O texto, de autoria do deputado Neilton Mulim (PR-RJ), determina que vítimas de violência sejam informadas sobre o acesso gratuito à cirurgia perante apresentação de boletim de ocorrência que registre agressões. Ele também prevê que o governo crie equipes de especialistas em cirurgia plástica e distribua gratuitamente os medicamentos de pré e pós-operatório.

    Leia mais
    blank

    Violência contra a mulher: a verdade por trás da visão social

    O presente estudo visa apresentar, através de pesquisas bibliográficas, os problemas que flutuam sobre a violência doméstica e familiar, mais especificamente a violência contra a mulher. Os temas a serem abordados são os resquícios deixados pela família patriarcal, como a desigualdade de gênero, as consequências da violência na vida da mulher, da sociedade e dos filhos. Será apresentada uma definição de violência doméstica e familiar, os tipos e as formas em que ela se manifesta, bem como algumas das medidas de apoio a vítima que adotadas pelo Ordenamento Jurídico brasileiro Por Geovana Tayna Miranda Do Jornal Jurid   INTRODUÇÃO Violência doméstica e familiar contra a mulher é um problema histórico e social presente na sociedade a tempos. Consequência de uma ideologia patriarcal, a qual delega o poder de decisão ao homem e faz da mulher um objeto de procriação e prazer, a violência contra a mulher tornou-se um problema de saúde ...

    Leia mais
    RJ - PEDRO PAULO CARVALHO/AGRESSÃO/RIO - POLÍTICA - O secretário de governo da Prefeitura do Rio e pré-candidato à sucessão do prefeito Eduardo Paes (PMDB) em 2016 pelo PMDB, Pedro Paulo Carvalho, e sua ex-mulher Alexandra Marcondes concedem entrevista coletiva em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira. A coluna Expresso, da revista Época, publicou nota na manhã desta quinta-feira, 12, com a informação de que Pedro Paulo Carvalho teve um segundo episódio de agressão à ex- mulher Alexandra Marcondes registrado em delegacia de Polícia Civil. 12/11/2015 - Foto: FÁBIO MOTTA/ESTADÃO CONTEÚDO

    Não, Pedro Paulo! Agredir mulher NÃO é ‘coisa de casal’. É crime.

    Secretário Pedro Paulo Carvalho (PMDB-RJ) diz que agressões à ex-mulher são 'coisas normais' na vida de um casal no HuffPost Brasil  por  Ione Aguiar Nesta quinta (12), o secretário executivo de coordenação de governo do Rio, Pedro Paulo Carvalho (PMDB-RJ) participou de uma coletiva de imprensa em que não se falou de Olimpíadas, transporte público ou policiamento. O pré-candidato à prefeitura do Rio estava lá para assumir que havia espancado a ex-mulher, Alexandra Marcondes Teixeira, durante o Natal de 2008. A coletiva foi convocada após duas denúncias. Em outubro, Veja revelou que Alexandra havia sido arremessada no chão e levado chutes e pontapés em 2010. Depois, Época mostrou que aquela não havia sido a primeira agressão. Pedro mostrou não ter a menor dificuldade para justificar seus atos monstruosos. "Quem é que não tem uma briga dentro de casa? Quem é que não tem um descontrole? Quem é que não exagera numa discussão? Nós somos um casal como qualquer outro. Às ...

    Leia mais
    blank

    Por que precisamos falar sobre feminicídio?

    Até quando assassinatos como o da dançarina Ana Carolina Vieira serão tratados como crimes passionais? no Revista Claudia  por Ana Carolina Castro A dançarina cearense Ana Carolina de Souza Vieira, de 30 anos, foi encontrada morta na manhã desta quarta-feira (4) no apartamento em que morava na Rua Vergueiro, no Sacomã, Zona Sul de São Paulo. O corpo da dançarina foi encontrado pelos zeladores do prédio, que suspeitaram do forte mau cheiro vindo do apartamento onde Ana Carolina morava. Ao entrar no local, eles encontraram o corpo da jovem na cama do quarto, coberto. As janelas estavam fechadas, havia um ventilador ligado e muitos incensos acesos. A polícia revelou que o corpo tinha sinais de violência e que a dançarina teria morrido há pelo menos três dias. O ex-namorado dela, Anderson Rodrigues Leitão, confessou o crime. Em depoimento à polícia ele assumiu que estrangulou Ana Carolina e disse ainda que tomou veneno de rato para ...

    Leia mais
    blank

    10 piores estados para ser mulher no Brasil

    Um estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), revelou os números da violência motivada pela intolerância de um Brasil pouco ou quase nada cordial A pesquisa também investigou a situação das mulheres no Brasil. Em dois anos, quase 17.000 mulheres morreram por conflitos de gênero, o chamado feminicídio, que acontece pelo fato de ser mulher. Ou seja, 5.664 mulheres são assassinadas de forma violentada por ano ou 15 a cada 90 minutos. 10 piores estados para ser mulher no Brasil Espírito Santo Taxa de feminicídio– 11,24 por 100 mil mulheres Bahia Taxa de feminicídio – 9,08 por 100 mil mulheres Alagoas Taxa de feminicídio – 8,84 por 100 mil mulheres Roraima Taxa de feminicídio – 8,51 por por 100 mil mulheres Pernambuco Taxa de feminicídio – 7,81 por 100 mil mulheres Goiás Taxa de feminicídio – 7,57 por 100 mil mulheres Rondônia Taxa de feminicídio – 7,42 por 100 ...

    Leia mais
    blank

    Como a mobilização de duas jovens levou o metrô de SP a agir contra abuso sexual

    No último ano, chamaram a atenção casos de tentativa de estupro e abuso sexual ocorridos nos trens do metrô de São Paulo e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Foram 65 entre janeiro e agosto de 2014 e 100 no mesmo período de 2015, segundo dados obtidos pelo jornal O Estado de S. Paulo – números que representam um caso de abuso a cada 48h. Por Renata Mendonça Do BBC Em 2014, causou polêmica uma propaganda do metrô paulista veiculada na Rádio Transamérica em que um personagem chamado Gavião diz gostar do trem lotado porque "é bom pra xavecá a mulherada, né mano?! (sic)". Tudo isso combinado à discussão da proposta de adesão ao famoso "vagão rosa" no sistema metropolitano de São Paulo – que significaria separar vagões exclusivamente para mulheres em horários de pico, como ocorre no Rio de Janeiro – levou Ana Carolina Nunes, de 24 anos, e ...

    Leia mais
    blank

    Inversão de valores: A denúncia de abuso sexual em escola do Rio

    Mais um absurdo aconteceu nestas últimas semanas no Rio de Janeiro. Uma menina de 12 anos do Colégio Pedro II teria sofrido um abuso sexual de três garotos, de 15 a 17 anos, que também estudavam na escola. Eles filmaram o suposto abuso e compartilharam nas redes sociais. por Michel Farias no Brasil Post O ocorrido foi fora das dependências do colégio, que fica em São Cristóvão, na zona norte do Rio, porém a aluna já tinha sido vitima de uma tentativa de estupro em agosto dentro da instituição. O caso foi levado à direção do Pedro II, que num primeiro momento informou que trataria o caso de forma "pedagógica". Mas depois de ver o vídeo, o reitor do Pedro II suspendeu a matrícula dos três rapazes em 2016. Entretanto, eles poderão continuar frequentando a unidade até o final do ano. Que ótima medida adotada! A vítima é transferida e os agressores poderão terminar ...

    Leia mais
    blank

    De pistola e cassetete, ele me encurrala na parede: assédio nosso de cada dia.

    Todo o dia encontrava com eles. Sempre me preocupei em olhá-los e vê-los para além daquele traje de trabalho, aquela farda, ou a vassoura na mão. Olhar aqueles olhos por debaixo da boina ou do chapéu. Principalmente eles, tão invisibilizados, estigmatizados na sociedade elitista. Uns mais simpáticos outros recatados, mas sempre nos caía bem um “Bom dia. Tudo bem? Como passou de final de semana?” Por: Naeli Simoni de Castro via Guest Post para o Portal Geledés Nesse dia não foi diferente: período de férias, faculdade vazia, poucos funcionários. Cumprimentei porteiro, falei “oi” pra segurança e segui corredores adentro. Meio do caminho segurança me alcança: “Tá indo pra aquele lado?” “Sim, estou indo ao banco”, respondi. “Vamos juntos, também estou” - completou.   Leia também  PLP 2.0 - Aplicativo para coibir a violência contra a mulher Não haveria porque me preocupar: Sorriso doce, olho brilhante e sempre pronto a um “bom ...

    Leia mais
    blank

    Mulheres vítimas de violência fazem ‘via-sacra’ para denunciar

    A mulher vítima de violência doméstica, quando decide denunciar e afastar o agressor, muitas vezes tem que ir, por diversos motivos, à Polícia Militar, à Delegacia de Mulheres, à Vara da Mulher, à Vara da Família, às defensorias e às promotorias especializadas. E em cada lugar, a cada dia, ela espera horas e é atendida por pessoas diferentes, onde conta, reconta e revive a sua história tantas vezes que aquilo parece não ter fim. E em alguns casos, não tem mesmo. por Joana Suarez no O Tempo No último dia da série “Que amor é esse?”, O TEMPO mostra hoje que essa “via-sacra” seria minimizada se fosse aplicado o que está previsto na Lei Maria da Penha – considerada a terceira melhor do mundo pelas Nações Unidas, atrás apenas das legislações da Espanha e do Chile. No Brasil, todos os serviços para as mulheres deveriam ser concentrados em um só lugar. Isso significa, ...

    Leia mais
    blank

    Aumenta violência “online” contra mulheres no Mundo

    Mais de 70 por cento das mulheres que utilizam a Internet no Mundo já sofreu  algum tipo de violência “online”, revela um relatório da Comissão de Banda Larga das Nações Unidas divulgado ontem. O documento, que resulta de um levantamento sobre violência cibernética no Mundo, indica que as jovens entre 18 e 24 anos são as maiores vítimas de perseguições e de assédio sexual nas redes sociais e muitas sofrem ameaças físicas. Nos países da União Europeia, segundo o relatório da Comissão de Banda Larga das Nações Unidas, cerca de nove milhões de mulheres já passaram por alguma forma de violência “online”, algumas aos 15 anos de idade. O relatório refere, no entanto, que entre 86 países investigados, apenas 26 por cento têm medidas judiciais apropriadas para reverter o quadro, salientando que uma entre cinco utilizadoras da Internet vive em países onde casos de assédio e abuso por essa via ...

    Leia mais
    cris-brown

    Austrália nega visto a Chris Brown por ‘histórico de violência doméstica’

    O cantor pop americano Chris Brown teve o visto temporariamente negado para se apresentar na Austrália por causa de seu 'histórico de violência doméstica'. no BBC O artista deveria cumprir turnê pelo país em dezembro, e os ingressos começariam a ser vendidos já nesta segunda-feira. Ele tem agora 28 dias para apelar contra a decisão. Em 2009, Chris Brown se declarou culpado de agredir sua então namorada, a também cantora pop Rihanna. Desde então, ele já esteve na Austrália duas vezes, mas o governo do país vinha sofrendo pressão para impedir sua entrada dessa vez. O departamento de imigração da Austrália emitiu um "aviso de intenção de considerar a recusa" do visto, afirmou o ministro da Imigração do país, Peter Dutton. Na prática, porém, trata-se de uma negativa por ora à concessão do documento. Image copyrightAFP Image captionEm 2009, Brown se declarou culpado de agredir então ...

    Leia mais
    blank

    Após tentativa de estupro na UFU, DCE pede abertura de sindicância

    Na noite da última segunda-feira (21), uma estudante de 18 anos da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), sofreu uma tentativa de estupro em um dos banheiros do bloco de Direito no campus Santa Mônica, localizado na zona leste da cidade. O caso abalou a comunidade acadêmica e está mobilizando uma série de ações por parte do DCE. Do Vermelho Um documento com pedido de sindicância já foi protocolado junto à reitoria e também à coordenadoria do Curso de Direito expondo a indignação com a falta de segurança nos campi da UFU. ‘’A gente já vem tendo problemas com segurança no campus desde o começo do ano. São relatos de assaltos e até mesmo outros relatos de tentativas de estupro que chegam a ser abafados pela universidade. Queremos uma segurança mais humanizada, com curso de preparação para os servidores e também mais iluminação. Nossas estudantes não podem ser obrigadas a andarem ...

    Leia mais
    blank

    Impulsionando Redes de Promotoras Legais Populares-PLP

    Os vídeos Impulsionando Redes de Promotoras Legais Populares-SP e II Encontro de Promotoras Legais Populares-RS apresentam os encontros realizados por PLPs das cidades de São Paulo e Porto Alegre, onde discutiram suas atuações na orientação e proteção de mulheres em situação de violências, assim como os desafios para a eficaz implementação da Lei Maria da Penha. Na ocasião também foram discutidas as possibilidades e os desafios para a constituição de redes de PLPs, e para a institucionalização das PLPs nas redes de enfrentamento à violência contra a mulher. Os encontros ocorrem em 30 de maio 2015 (SP/SP) e 04/7/2015 (Porto Alegre/RS), foram organizados por Geledés Instituto da Mulher Negra e Themis Gênero e Justiça, e contou com apoio financeiro do Fundo Elas/Instituto Avon. Seminário Violência contra Mulheres: novos desafios O vídeo Seminário Violência contra mulheres: novos desafios, apresenta as reflexões de pesquisadoras, representantes do movimento social, gestoras públicas e operadores ...

    Leia mais
    blank

    Você é feminista e não sabe com Lívia de Souza

    Série de entrevistas do projeto Você é feminista e não sabe. Lívia de Souza é advogada e mestra em Ciências Criminais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS). É assessora jurídica e coordenadora de projetos na ONG Themis – Gênero, Justiça e Direitos Humanos, advogada voluntária do Grupo G8- Generalizando: Direitos Sexuais e de Gênero do Serviço de Assessoria Jurídica Universitária (SAJU) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e integrante do Grupo Assessor da Sociedade Civil da ONU Mulheres Brasil.

    Leia mais
    blank

    Mulher relata ter sido vítima de agressão por funcionário da NET

    A fonoaudióloga Analice de Souza, de 31 anos, utilizou as redes sociais para denunciar o caso, investigado pela polícia de Minas Gerais. Ela precisou ser levada ao hospital após o episódio no Revista Fórum A fonoaudióloga Analice de Souza, de 31 anos, utilizou seu perfil no Twitter para denunciar a agressão de que foi vítima por parte de um funcionário da NET no último sábado (22). Na rede social, ela postou imagens que a mostram imobilizada em um hospital. As informações são do portal Extra. Segundo Analice, o agressor é um técnico enviado à sua residência, em Belo Horizonte, para resolver um problema com a TV a cabo. Ele teria agido de forma estranha desde que chegou para prestar o serviço. “Ele entrou, sentou na cadeira da sala, colocou dois fones de ouvido e começou a conversar com o supervisor dele. Ficou meia hora o telefone e, depois, virou para mim e ...

    Leia mais
    blank

    DF registra 6,9 mil casos de violência contra a mulher no primeiro semestre

    Média é de 38 ocorrências por dia; Ceilândia e Planaltina lideram casos. Crimes mais comuns são ameaça, injúria, confronto físico e lesão corporal. A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal registrou 6.938 ocorrências de violência doméstica na capital no primeiro semestre de 2015 – uma média de 38 casos por dia. Segundo a pasta, a maior parte dos agressores é formada pelos próprios namorados, maridos ou companheiros das vítimas. no G1 Os dados apontam que 69% dos crimes se concentram em dez regiões. As áreas com mais denúncias são Ceilândia, com 17%; Planaltina, 9,3%; Gama, 6,7%; Samambaia, 6,4% e Recanto das Emas, com índice de 6,4%. Os crimes mais comuns são ameaça (30,58%); injúria (27,5%), confronto físico (9,10%); lesão corporal (8,26%) e lesão corporal dolosa (6,83%). A pesquisa também mostra que a situação piora aos finais de semana. A violência ocorre principalmente aos sábados e domingos, entre 18h e 21h. Aos ...

    Leia mais
    blank

    Ato em Natal marca “Dia Estadual de Combate à Violência Contra as Mulheres”

    Uma caminhada realizada na tarde desta quinta-feira (27) marcou o "Dia Estadual de Combate à Violência Contra as Mulheres" em Natal. O ato reuniu mulheres para protestar contra o machismo e o patriarcalismo na sociedade, pedir a legalização do aborto e maiores punições para o crime de estupro - os recentes casos ocorridos na capital potiguar foram bastante lembrados durante a manifestação. no Tribuna do Norte Julio Pinheiro O grupo se concentrou no viaduto do Baldo e seguiu em caminhada até a sede da Prefeitura O grupo se concentrou na avenida Rio Branco, no bairro de Cidade Alta, nas proximidades do viaduto do Baldo, e seguiu em caminhada até o Palácio Felipe Camarão, sede da Prefeitura de Natal. O trânsito no local foi interrompido por determinado tempo, mas já liberado. Dentre as reivindicações das mulheres que protestavam, estão mais investimento dos governos municipal, estadual e federal ...

    Leia mais
    blank

    ‘Tem o meu perdão’, diz jovem que teve mãos decepadas pelo marido

    Jovem de 22 anos teve mãos e pés decepados após briga com homem. Caso ocorreu no dia 2 de agosto, em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul. Por Paula Menezes Do G1 Dez dias depois de ter sofrido agressões brutais do marido, Gisele Santos, de 22 anos, relembra os momentos de terror vividos dentro de casa, em São Leopoldo, no Vale do Sinos do Rio Grande do Sul. Ela chegou a ligar para a mãe para se despedir, achando que morreria em instantes. Teve as mãos, o pé esquerdo e parte do direito decepados pelo companheiro. Hoje, amigos e familiares fazem uma campanha para arrecadar fundos para comprar próteses, além de pedir doações de fraldas e lenços umedecidos para a recuperação da jovem. O caso ocorreu em 2 de agosto, um domingo. Ela lembra que os dois tiveram uma discussão pela manhã, o que viria a causar a tragédia horas depois. ...

    Leia mais
    blank

    Uma em cada 5 mulheres já foi espancada no Brasil

    Mulheres se sentem mais desrespeitadas e desprotegidas, revela DataSenado (PESQUISA) Uma em cada cinco mulheres no Brasil já foi espancada pelo marido, companheiro, namorado ou ex. E apesar de 100% das brasileiras conhecerem a Lei Maria da Penha, promulgada há nove anos, elas ainda se sentem desrespeitadas. Ciúmes e bebida aparecem como as principais causas da violência, que já vitimou 18% das mulheres brasileiras. Aumentaram os registros de violência psicológica e diminuiu a sensação de proteção. Os dados foram revelados na pesquisa do DataSenado, realizada de 24 de junho a 7 de julho, quando 1.102 brasileiras foram ouvidas na sexta rodada da série histórica sobre violência doméstica e familiar contra a mulher. O trabalho é feito desde 2005, a cada dois anos, com mulheres de todos os Estados do país. "A pesquisa serviu como marco zero, antes mesmo da promulgação da Lei Maria da Penha, para levar ao Parlamento os dados sobre a realidade brasileira ...

    Leia mais
    nao-se-cale

    Mulheres: não se calem!

    No Brasil, a cada uma hora e meia, uma mulher é morta simplesmente por ser mulher. Das mulheres que sofrem qualquer tipo de violência, 48% informam que o fato ocorreu em sua própria residência, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada em 2009 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Por Ana Rita Souza Prata* no Vermelho  A procuradora criticou as declarações machistas da deputada Keiko Ota. Apesar de ter assinado diversos tratados internacionais que garantem direitos às mulheres, o Brasil foi condenado pela Comissão Interamericana por não assegurar proteção à mulher no caso Maria da Penha Fernandes, gerando a famosa Lei nº 11.340/2006, à qual ela emprestou seu nome. A Lei Maria da Penha trata a violência doméstica e familiar contra a mulher como uma violação de direitos humanos, e considera que sua prevenção, combate e erradicação é dever de todos. Trazendo diversas ...

    Leia mais
    Página 3 de 5 1 2 3 4 5

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist