Mulher relata ter sido vítima de agressão por funcionário da NET

A fonoaudióloga Analice de Souza, de 31 anos, utilizou as redes sociais para denunciar o caso, investigado pela polícia de Minas Gerais. Ela precisou ser levada ao hospital após o episódio

no Revista Fórum

A fonoaudióloga Analice de Souza, de 31 anos, utilizou seu perfil no Twitter para denunciar a agressão de que foi vítima por parte de um funcionário da NET no último sábado (22). Na rede social, ela postou imagens que a mostram imobilizada em um hospital. As informações são do portal Extra.

Segundo Analice, o agressor é um técnico enviado à sua residência, em Belo Horizonte, para resolver um problema com a TV a cabo. Ele teria agido de forma estranha desde que chegou para prestar o serviço. “Ele entrou, sentou na cadeira da sala, colocou dois fones de ouvido e começou a conversar com o supervisor dele. Ficou meia hora o telefone e, depois, virou para mim e disse: ‘liga para o serviço de atendimento e pede para eles mudarem seu status de cancelado para ativo’”, relatou ao Extra. “Fiz até em viva voz para ele ouvir. Ele voltou a ligar para o supervisor e disse que não faria o serviço, uma vez que ele estava cancelado. Então, minha mãe disse: ‘Não pode isso, se você veio aqui para fazer o trabalho, tem que fazer. Ninguém pediu para cancelar’”.

A fonoaudióloga conta que, após a intervenção de sua mãe, uma idosa de 67 anos, o homem passou a ter comportamento violento. “Ele foi para dar um soco nela, eu entrei na frente e o golpe pegou em mim. Eu fui pegar meu celular para tirar uma foto do crachá dele para fazer uma reclamação na NET. Nessa hora, ele pegou meu celular e arremessou longe”, detalhou. “Então, ele me jogou no chão, começou a chutar minha cabeça e minhas costas. Eu estava preocupada em proteger meus dentes, eu estava muito preocupada. Ele continuou me chutando e conseguiu golpear a barriga e perna. Eu estou cheia de hematomas.”

leia também: Mulheres relatam assédio de funcionários da NET via whatsapp 

Enquanto a mãe de Analice tentava ligar para a polícia, o técnico deixou o local. A vítima teve de ser encaminhada ao pronto-socorro, onde realizou exames e passou a noite em observação. Depois de liberada, foi registrar a ocorrência em uma delegacia, mas, por meio de reportagem publicada num site local, descobriu que o agressor também havia aberto um boletim de ocorrência contra ela alegando que havia apanhado das duas mulheres. “Se você olhar para mim e para a minha mãe, vai ver que não temos a menor condição de agredir um homem. Eu mal consigo abrir uma vasilha de maionese, minha mãe tem 67 anos e é super debilitada”, contesta, indignada.

O fato está sendo investigado pela Polícia Civil de Minas Gerais. A reportagem contatou a NET, mas não obteve retorno. Este não é o primeiro caso de abusos envolvendo funcionários da empresa. Em maio, um de seus atendentes foi demitidoapós ter assediado uma jornalista de São Paulo por meio de mensagens enviadas pelo aplicativo WhatsApp.

+ sobre o tema

Gente boa também mata

Por Lelê Teles, enviado para o Portal Géledes Quem reclamou...

Pai denuncia estupro da filha após ouvir áudio de padrasto pedindo foto íntima

Além do padastro da menina, amigo dele, personal trainer,...

Brasil é quarto país no ranking global de casamento infantil

O casamento infantil responde por 30% da evasão escolar...

Opinião: O sistema penal não pode proteger as mulheres da violência

Pesquisadora pergunta de que maneira o feminismo pode abordar...

para lembrar

“Ele é agressivo verbalmente e não percebe”

E é muito difícil explicar para ele que a...

Kalungas acreditam na educação para salvar meninas da violência sexual

Para a comunidade, a solução virá de dentro e...

A desumanização das vitimas de feminicídio

A violência doméstica mata:  Por hora 5 mulheres em...

Por um Natal em que os homens lavem a louça

Natal é para ser uma época de amor, família,...
spot_imgspot_img

‘Não’ é ‘Não’, inclusive na igreja

No dia 29 de dezembro, o presidente Lula sancionou a lei do protocolo "Não é Não" (lei 14.786/2023), que combate violência e assédio sexual contra mulheres...

Lula sanciona lei que protege mulheres de violência em bares e shows

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei que cria o protocolo Não é Não, mecanismo de combate ao constrangimento e à...

Menina de 15 anos é vítima de estupro coletivo na noite de Natal; amigos são suspeitos, diz polícia

Uma adolescente, de 15 anos, foi estuprada na madrugada de Natal, 25 de dezembro, em Campo Grande (MS). De acordo com a polícia, os suspeitos...
-+=